Magazine Luiza

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Entrevista - Michel Levy - Presidente da Microsoft Brasil

Muito bem na fita  
Principal executivo no Brasil destaca a importância do mercado mineiro para a empresa


Publicação: Jornal Estado de Minas - Caderto Inform@tica - 29/11/2012 - Repórter Silas Scalioni


"O caminho da tecnologia, sem qualquer dúvida, passa pelas nuvens. O consumidor final vai usar cloud computing em quase tudo"  
  
O presidente da Microsoft Brasil, Michel Levy, esteve em Belo Horizonte esta semana visitando o novo escritório da Microsoft na capital e para tratar de novas estratégias da empresa no estado. Segundo ele, o escritório local cresceu na mesma proporção que a atuação da empresa na região. “Antes eram apenas quatro funcionários, agora já são 15 trabalhando internamente. Temos por aqui cerca de 1,2 mil parceiros e Belo Horizonte é a sede da nossa regional Centro-Oeste, que já é responsável por entre 20% e 30% do nosso faturamento. Estamos muito bem por aqui”, garantiu ele, que em conversa exclusiva com o Informátic@ concedeu esta entrevista.

Qual é a importância do mercado mineiro e regional para a Microsoft?
O mercado de TI cresce em média  10% ao ano no Brasil e perto de 15% no estado, enquanto o crescimento da Microsoft nessa região, liderada por Minas, é bem maior, chegando aos 30%. Isso nos faz dirigir sempre atenção especial para cá. Um sinal de que o desenvolvimento é grande por aqui é a falta de mão de obra especializada, problema que começamos a enfrentar já há algum tempo. Estou aqui para, além de acompanhar como está nosso escritório, visitar clientes e estudar novas formas de expansão.

Há algum tipo de investimento previsto para cá?
A Microsoft quer investir em um laboratório de desenvolvimento de tecnologias em parceria com uma aceleradora de negócios. Incubadoras, investidores institucionais, associações ligadas à área podem ser esses parceiros. Vamos procurar conhecer mais alguns trabalhos realizados em Belo Horizonte, como o BH Tec, e quem sabe desenvolver parcerias com eles. Começamos, em outros locais, a fazer acordos com arenas multiuso para fomentar a inovação e o empreendedorismo no Brasil por meio da instalação de aceleradoras de negócios dentro das próprias arenas. Já fechamos parceria com a OAS Arenas, primeira empresa brasileira a desenvolver plena expertise na implementação de arenas multipropósito, para realizar projetos de aceleradoras nos estádios em construção em Porto Alegre e em Natal.

Como funcionam os centros de inovação da Microsoft, que inclusive tem uma unidade em Belo Horizonte?
Nós temos 12 centros de inovação no Brasil e um deles é aqui, um trabalho bem relevante criado com a PUC Minas. O laboratório local tem sido realmente um acelerador de novas tecnologias da Microsoft. O conceito do programa é fazer parcerias com instituições de ensino e entidades locais de forma a desenvolver pesquisas tecnológicas. Inclusive, são pagas bolsas especiais para os pesquisadores que integram os programas, de forma a prepará-los para se tornarem autônomos. Corremos o risco de depois eles procurarem um caminho próprio e nos deixarem, mas geralmente isso não ocorre devido às boas condições de trabalho que oferecemos. Todos os trabalhos realizados por esses centros, que se mostram ótimos formadores de mão de obra, são ligados às características da região em que estão. Vale ressaltar que no centro de inovação mineiro foram desenvolvidos alguns aplicativos para o novo Windows Phone e para o Windows 8.

Por falar em Windows 8, como a empresa está vendo o novo sistema operacional e em que o senhor acha que ele supera as outras versões?
Esta versão do sistema é realmente uma quebra de paradigma, trazendo inovações tanto no ponto de vista de interface quanto de conceito. É um sistema criado para funcionar bem, independentemente se o equipamento é um PC, um tablet ou um smartphone. A união do Win 8 com o Internet Explorer 10 é realmente um experiência transformadora. Claro que estamos passando por uma curva de aprendizado, mas o usuário pega muito rápido. O sistema mostra-se imbatível em termos de segurança e gerenciabilidade. O mundo empresarial ganha muito com o novo OS, especialmente por ele ser capaz de apresentar aplicações necessárias para o desenvolvimento de tarefas específicas. E vem preparado para ser usado por toque de tela. A experiência touch é realmente riquíssima, mas quem ainda trabalha com mouse vai também encontrar facilidades para lidar com ele. O interessante é que o Vista, que não caiu no gosto do usuário, foi a base para essa nova concepção de sistema operacional.

O Internet Explorer, que chegou a dominar com folgas o mercado de navegadores, é outro ponto. Por que ele perdeu tanto espaço para o Firefox e o Google Chrome?
O problema é que a Microsoft tem o compromisso de manter a compatibilidade de seus produtos, e isso acabou interferindo nas aplicações do IE, facilitando o crescimento de outros navegadores. Uma coisa é começar do zero, sem qualquer compromisso e já contando com uma boa experiência para se basear. Com o IE 10 tais, carências foram cobertas. É inquestionável o quanto ele está melhor, principalmente em termos de velocidade e segurança.

Qual é a principal tendência tecnológica que o senhor vê como caminho sem retorno?
O caminho da tecnologia, sem qualquer dúvida, passa pelas nuvens. O consumidor final vai usar cloud computing em quase tudo. Aliás, ele já usa há algum tempo e nem sabia. Windows Live, Hotmail e MSN são exemplos. Mas agora ele está percebendo o benefício disso mais claramente. O desafio maior para que não haja maiores problemas é a conectividade de banda larga, que também precisa avançar no Brasil. O mais interessante é que o usuário comum, ao manter seus arquivos na nuvem e compartilhá-los em qualquer dispositivo com internet, sem riscos e sem gastar memória para nada, está ajudando na adoção desses serviços por parte das empresas, que ainda não atentaram devidamente para a importância deles. A MS tem uma oferta diferenciada para cloud capaz de apresentar experiência extremamente rica em todos os dispositivos com Windows 8.

Os ultrabooks vieram mesmo para ficar?
Não resta dúvida de que os ultrabooks, um conceito de computador criado pela Intel, são máquinas preparadas para substituir os demais PCs. Se você tiver um ultrabook equipado com Windows 8 e se ele tiver tela touch, com certeza você terá o melhor dos mundos. Claro que cada equipamento tem o seu espaço e utilidade, mas, de forma geral, com uma máquina assim na mão você não precisaria de mais nada.

Como a Microsoft se vê nos próximos anos?
A gente se vê entregando ao consumidor a nossa visão estratégica de atuação, que se resume em distribuir serviços de TI e conteúdos por meio de uma gama de produtos para diferentes dispositivos, que terão de estar conectados entre si e na nuvem. E temos de fazer tudo isso de forma bem competitiva.

Alguma novidade vindo por aí?
No primeiro trimestre de 2013 estaremos lançando o novo pacote Microsoft Office. A próxima versão vai trazer um design mais intuitivo, que funcionará perfeitamente com toque, caneta, mouse ou teclado nos novos dispositivos com Windows, incluindo tablets. Ele terá uma faceta mais social, antecipando cenários modernos para leitura, anotações, reuniões e comunicações, além de ser oferecido a assinantes por meio de um serviço em nuvem, que será continuamente atualizado. Ele já está disponível para testes no endereço http://www.microsoft.com/brasil/office-preview/pt/

Comércio Eletônico - Procon-SP divulga lista com mais de 200 sites que devem ser evitados pelo consumidor ao fazer compras pela internet

Evite esses sites

27 de NOVEMBRO de 2012

      
Procon-SP divulga lista com mais de 200 sites que devem ser evitados pelo consumidor ao fazer compras pela internet

A lista de sites não recomendados pela Fundação Procon-SP está disponível na página principal do órgão no link "Evite esses sites", contendo endereço eletrônico em ordem alfabética, razão social da empresa e número do CNPJ ou CPF, além da condição de "fora do ar" ou "no ar". Veja aqui a lista.

O Procon-SP recebeu reclamações desses sites por irregularidades na prática de comércio eletrônico, principalmente por falta de entrega do produto adquirido pelo consumidor e não obtém resposta dos mesmos para a solução do problema.

De acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Góes, esses fornecedores virtuais não são localizados, inclusive no rastreamento feito no banco de dados de órgãos como Junta Comercial, Receita Federal e Registro BR, responsável pelo registro de domínios no Brasil, o que inviabiliza a solução do problema apresentado pelo consumidor.

Para Góes, é preocupante a proliferação desses endereços eletrônicos mal- intencionados, que em alguns casos continuam no ar lesando o consumidor. "Denunciamos os casos ao D epartamento de Polícia e Proteção a Pessoa (DPPC) e ao Comitê Gestor da Internet (CGI), que controla o registro de domínios no Brasil, mas, o mais importante é que o consumidor consulte essa lista, antes de fechar uma compra pela internet, para evitar o prejuízo".

Dicas

O Procon-SP mantém disponível no site o "Guia de Comércio Eletrônico" com dicas e cuidados que o consumidor deve ter ao comprar produtos ou contratar serviços pela internet.

O consumidor que tiver dúvidas ou quiser fazer uma reclamação, pode procurar o Procon de sua cidade ou um dos canais de atendimento da Fundação:

Orientações: 151 (Só para a capital).

Pessoalmente: de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Sábados, das 7h às 13h, nos postos dos Poupatempo, sujeito a agendamento e distribuição de senha. Telefone: 0800-772-3633.

- Praça do Carmo, S/N, Centro.

Santo Amaro - Rua Amador Bueno, 176/258 - São Paulo - SP (próximo ao Largo Treze de Maio).

Itaquera - Av. do Contorno, S/N, Itaquera (ao lado do metrô).

Nos postos dos Centros de Integração da Cidadania (CIC) Norte, Leste, Oeste, São Luiz e Feitiço da Vila, de segunda a quinta-feira, das 9h às 15h. No CIC Imigrantes o atendimento é às segundas-feiras, das 9h às 15h. No CIC Imigrantes o atendimento é às segundas-feiras, das 9h às 15h.

Fax: (11) 3824-0717.

Cartas: Caixa Postal 1151, CEP 01031-970, São Paulo-SP.

Atendimento eletrônico : No caso problemas com compras feitas pela internet, a reclamação pode ser registrada diretamente no site do Procon-SP pelo endereço : http://www.procon.sp.gov.br/atendimento_texto.asp . O endereço eletrônico também está aberto para orientação sobre qualquer outro problema de consumo .

Na Grande São Paulo e interior, o consumidor pode procurar o órgão municipal.

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/proconsp
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/@proconspoficial
Dicas e orientações sobre defesa do consumidor no blog http://educaproconsp.blogspot.com.br

28/11/2012
Fundação Procon-SP
Assessoria de Comunicação

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Guias da educação - Dicas para acompanhar a educação com nossos filhos.

Dizem que maiores problemas do Brasil são três: Educação, educação e educação. (Frase do ex-candidato a presidente e ex-ministro da educação Cristóvão Buarque). E educação é um problema que demora uma geração para resolver e a solução começa em casa com a atenção que damos aos nossos filhos...  Meu filho ainda tem um ano, mas já estou preocupado em fazer a minha parte!...

GUIAS DA EDUCAÇÃO

Cartilhas com ideias simples e rápidas para participar da melhoria da Educação. Baixe, imprima e passe adiante

ATENÇÃO: para fazer os downloads abaixo utilize preferencialmente os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox ou Safari. Algumas versões do Internet Explorer estão danificando os arquivos zip e PDF dos cartazes e das cartilhas.


TURMA DA MÔNICA - EDUCAÇÃO COMEÇA EM CASA Educar para Crescer desenvolveu uma cartilha em parceria com o Estúdios Mauricio de Sousa para falar sobre a importância da Educação
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
CARTAZ - EDUCAÇÃO COMEÇA EM CASA
10 dicas essenciais para você acompanhar o dia a dia escolar do seu filho
Baixar versão PDF
GUIA DA EDUCAÇÃO EM FAMÍLIA
Guia Fundamental 2 - 11 dicas simples para ajudar seu filho na entrada para o 6º ano
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DA EDUCAÇÃO INFANTIL 67 dicas para você contribuir com o desenvolvimento do seu filho
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
NOVO GUIA DA EDUCAÇÃO EM FAMÍLIA Você se envolve na Educação do seu filho? Siga nossas dicas e descubra se você ajuda seu filho a se dar bem na escola
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DA EDUCAÇÃO EM FAMÍLIA - ALFABETIZAÇÃO Dicas para ajudar seu filho a ler e a escrever e informações para você entender melhor esta importante fase
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DA EDUCAÇÃO PARA JOVENS Com linguagem voltada para os estudantes do Ensino Médio, esta cartilha mostra os principais problemas que o afastam da escola
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DA EDUCAÇÃO EM FAMILIA PARA ESCOLAS PÚBLICAS Dicas de como participar da vida escolar dos filhos, testes para avaliar o grau desse envolvimento, ideias de como melhorar o colégio das crianças e muito mais
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DA EDUCAÇÃO EM FAMILIA PARA ESCOLAS PARTICULARES Dicas de como se envolver na educação formal dos filhos, testes para avaliar o grau desse envolvimento, ideias de como melhorar o colégio das crianças e muito mais
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DO INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO PARA EMPRESÁRIOS Ideias e orientações para você e sua empresa investirem na melhoria do ensino de sua cidade
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)
GUIA DO VOTO CONSCIENTE O que você precisa saber sobre a Educação do Brasil antes de escolher seus candidatos a presidente, governador, senador e deputados federal e estadual
Ver cartilhaDownload de arquivo para imprimir em impressora comumDownload de arquivo para imprimir em grafica (alta resolução)

Atenção
Para visualizar os arquivos, recomendamos que você tenha a versão mais atualizada do software Adobe Acrobat Reader. Para baixa-lo, basta clicar aqui.aqui.

APLICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO Uma boa maneira de saber se seu funcionário se envolve na vida escolar das crianças é aplicar o questionário "voê participa da Educação dos seus filhos?". Imprima-o, aplique-o e avalie o resultado e veja como ajudar a familia do seu funcionário
Para baixar versão PDFPara fazer o teste on line
SEJA UM MULTIPLICADOR Um passo a passo para você multiplicar os Guias de Educação em sua escola ou cidade. Passe adiante essa ideia
Para baixar versão Power Point

O 13º salário está chegando...

Veja como usar melhor o dinheiro extra do 13º Com as parcelas do benefício no bolso, a forma de usar o dinheiro pode parecer tarefa fácil. Entretanto, analistas dizem que é preciso ter prioridade. Pagar dívida é a primeira


Publicação:   Jornal Estado de Minas  27/11/2012- Repórteres:Zulmira Furbino - Carolina Mansur


Um tsunami de R$ 130 bilhões vai irrigar a economia do país até 20 de dezembro. Começou ontem o pagamento da segunda parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas e, na sexta-feira, cai na conta bancária dos brasileiros com carteira assinada a primeira parte do benefício. A enxurrada de dinheiro na praça não quer dizer, porém, que os trabalhadores fecharão o ano endinheirados. Neste período do ano, se de um lado a parcela a receber aumenta, por outro, também crescem as contas a pagar, as tentações do consumo, a vontade de quitar as dívidas e de fazer aquela tão sonhada viagem de férias.

Tudo ao mesmo tempo agora. Mas será que o dinheiro extra será suficiente para bancar tudo isso? O Estado de Minas consultou especialistas, que dão dicas para os trabalhadores sobre as melhores formas de usar o benefício. A prioridade número 1 é pagar dívidas ou pelo menos parte delas. “É preciso lembrar que o 13º salário não é nenhuma Mega-Sena”, lembra José César Castanhar, professor de finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV).


Ao ficar desempregado em maio, o pintor Ângelo Júnior de Souza precisou utilizar o cheque especial para despesas do dia a dia e acabou contraindo uma dívida de R$ 421 junto ao banco Santander. Ontem, durante a Campanha de Recuperação de Crédito da CDL/BH, ele aproveitou a oportunidade para negociar e pagará R$ 253,44, à vista, para limpar seu nome. 'Fiquei desempregado por um mês, mesmo assim me endividei. Agora com o nome limpo, é mais fácil comprar algumas coisas para o Natal', conta. Empregado novamente,o pintor diz que usará o 13º referente ao tempo trabalhado para honrar com  o valor negociado. (Fotos: Túlio Santos/EM/D.A/Press)
Ao ficar desempregado em maio, o pintor Ângelo Júnior de Souza precisou utilizar o cheque especial para despesas do dia a dia e acabou contraindo uma dívida de R$ 421 junto ao banco Santander. Ontem, durante a Campanha de Recuperação de Crédito da CDL/BH, ele aproveitou a oportunidade para negociar e pagará R$ 253,44, à vista, para limpar seu nome. "Fiquei desempregado por um mês, mesmo assim me endividei. Agora com o nome limpo, é mais fácil comprar algumas coisas para o Natal", conta. Empregado novamente,o pintor diz que usará o 13º referente ao tempo trabalhado para honrar com o valor negociado.
De acordo com ele, parece simples e racional escolher como gastar o benefício, mas será preciso eleger prioridades. “O dinheiro do 13º chega num momento peculiar do ano. Existe uma tradição de comprar presentes, então é inevitável que parte dele seja destinado a esse fim.” Para quem tem um pouco de disciplina e pensa no longo prazo, a saída é tirar uma parcela desse recurso para investir. Há ainda as férias e os impostos de início do ano, sem contar matrícula e material escolar para os filhos. Resumo da ópera: mais uma vez, o trabalhador brasileiro terá que se desdobrar.

Negociando débitosQuando uma pessoa tem uma dívida, dificilmente pagará por ela menos do que 3% de juros mensais. Nenhuma aplicação financeira existente hoje no país rende mais do que isso no mesmo período de tempo. Por isso, a quitação ou o abatimento das dívidas deve ser a prioridade número 1 dos consumidores. “O ideal é encerrar o ano livre de endividamento, mas se não der, pelo menos a pessoa pode tentar reduzi-lo”, explica Júlio Hegedus Neto, analista de investimento e economista da Lopes Filho & Associados Consultores de Investimento. No entanto, é bom aproveitar essa época do ano para pagar uma parcela maior, o que fortalece o consumidor na hora de negociar um desconto na dívida.

A maioria dos mineiros têm dívidas que ultrapassam R$ 500, mas pretendem quitá-las nos próximos 30 dias. É o que aponta a pesquisa de inadimplência Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) em novembro. Para facilitar o pagamento dos débitos em atraso, a CDL promove, até o dia 30, uma campanha de recuperação de crédito, com descontos que podem ultrapassar 50%. A intenção, segundo o presidente da entidade, Bruno Falci, é permitir que os consumidores endividados reabilitem o seu crédito para voltar ao mercado até o Natal.

Em sua quarta edição, o evento deve receber até o fim desta semana 50 mil consumidores. Desse total, pelo menos 15 mil vão tirar o nome do cadastro de maus pagadores do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). “Nosso o objetivo é proteger os clientes, mas também as empresas”, diz Falci.

Regularizando sua situação, os consumidores poderão retornar ao mercado de consumo, o que contribuiu para aumentar as vendas de produtos e serviços. De acordo Fábio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), a grande incógnita para os próximos meses é o que vai acontecer com o crédito e com a inadimplência no país a partir de janeiro. “Ainda não sabemos se o índice vai recuar, o que pode ocorrer somente no segundo semestre de 2013”.

Compra com desconto
Os especialistas se dividem no que diz respeito às compras do fim de ano com o dinheiro do 13º salário. Para Júlio Hegedus, o ideal é não embarcar na onda de consumo e comprar lembrancinhas, mesmo assim somente para os mais chegados. Segundo ele, vale apelar para promoções pré-natalinas, bazares e queimas de estoque ou então esperar o Natal passar e aproveitar as megaliquidações depois do réveillon. Para a médica e educadora financeira Naila do Espírito Santo, no entanto, é preciso que o dinheiro traga bem-estar. Por isso, é importante separar uma parcela do benefício paras as compras e para as festas natalinas, sem esquecer de fazer uma reserva para as despesas de início de ano.

Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio (CNC), explica que 19% dos empresários do comércio estão com estoques acima do adequado neste fim de ano. O índice revela certo desapontamento com a velocidade das vendas ocorridas até agora. Por isso, muitos deles estão partindo para promoções antecipadas. A expectativa é  que as vendas do comércio brasileiro cresçam 8% ante igual período do ano passado, quando a expansão ficou em 6,7%. Para Marianne Hanson, também economista da CNC, as liquidações no país estão ganhando força e tradição. Segundo ela, como  alguns setores estão com vendas mais fracas que as do ano passado, o número de promoções pode aumentar.

Poupança a curto prazo
A sacoleira Tatiana de Fátima Rúbio viu uma dívida de cheque especial pequena se transformar em um débito de R$ 2,3 mil. Segundo ela, a dívida aumentou porque ela se mudou de Sete Lagoas para Belo Horizonte e, devido à distância, a negociação com o banco ficou inviável. 'Procurei vários bancos em BH, mas a informação que os funcionários me davam é que não podiam negociar', explica. Durante a campanha da CDL/BH, a consumidora conseguiu que os R$ 2,3 mil se transformassem em R$ 800, que serão pagos em 10 parcelas sem juros. 'Estou muito feliz por ter resolvido a minha situação com a Caixa, que se arrastava desde 2010', avaliou.
A sacoleira Tatiana de Fátima Rúbio viu uma dívida de cheque especial pequena se transformar em um débito de R$ 2,3 mil. Segundo ela, a dívida aumentou porque ela se mudou de Sete Lagoas para Belo Horizonte e, devido à distância, a negociação com o banco ficou inviável. "Procurei vários bancos em BH, mas a informação que os funcionários me davam é que não podiam negociar", explica. Durante a campanha da CDL/BH, a consumidora conseguiu que os R$ 2,3 mil se transformassem em R$ 800, que serão pagos em 10 parcelas sem juros. "Estou muito feliz por ter resolvido a minha situação com a Caixa, que se arrastava desde 2010", avaliou.
Os trabalhadores que querem investir parte do 13º salário, mas têm prazo curto e programado para usá-lo, devem depositá-lo na caderneta de poupança, indicam analistas de investimentos ouvidos pelo Estado de Minas. Com a taxa de juros básicos da economia (Selic) no patamar de 7,25% ao ano, que deverá ser mantida na reunião que se inicia hoje e termina amanhã do Comitê de Política Monetária (Copom), os rendimentos da aplicação fecharam outubro, últimos dados disponíveis, em 0,43% ao mês. “Além de pagar as contas, o dinheiro a ser reservado para quitar os impostos e a matrícula escolar no início de 2013 deve ser guardado na caderneta. Não dá para fazer estripulia”, ensina o analista de investimentos Paulo Vieira.

Com as novas regras da caderneta de poupança, os depósitos realizados a partir de 4 de maio deste ano passaram a ter a Selic como parâmetro de rendimento. Com a taxa igual ou menor que 8,5%, a poupança rende 70% da Selic mais TR. Com a Selic maior que 8,5%, o rendimento é de 0,5% mais TR. Apesar disso, a captação tem se elevado nos últimos meses. “A poupança tem preservado as captações por causa da elevação do rendimento nas classes mais baixas, que não têm recursos suficientes para aplicar em outros investimentos e nem conhecem produtos mais sofisticados”, explica Vieira.

Para o economista Júlio Hegedus Neto, os trabalhadores que pretendem usar a parcela economizável do 13º salário nos próximos meses devem optar por aplicações que garantam liquidez imediata como poupança e fundos DI.

Foco no investimentoA melhor opção para quem pode deixar uma parcela do 13º rendendo por mais tempo são os títulos públicos, orienta o analista de investimento Júlio Hegedus Neto. De acordo com ele, depois da queda da Selic, há poucas saídas para remunerar melhor o capital do investidor. Uma das opções, explica, é entrar no Tesouro Direto. “Para quem pode ficar com o dinheiro por mais tempo, uma boa saída são as notas do Tesouro Nacional, série B (NTNBs), que são atreladas à inflação e mantêm ganho real. A poupança está na linha d’água. O investidor não tem para onde correr”, sustenta.

Quem quiser uma remuneração melhor terá que pesquisar mais, procurar fundos agressivos e, por isso mesmo, arriscados, em empresas gestoras de investimentos. “Os bancos têm uma taxa de administração muito alta. O melhor é optar pelos gestores, buscar fundos multimercado”, orienta. De acordo com ele, a quantidade de dinheiro para começar a investir num desses fundos depende de cada gestor. “É preciso pesquisar para encontrar uma opção de acordo com o perfil de cada um.”

Para a educadora financeira Naila do Espirito Santo, o ideal é dividir o 13º em três partes: uma para pagar as contas de janeiro, outra para as festas e os presentes e mais uma para poupar com o objetivo de realizar um sonho. “Quem pensa a longo prazo deve guardar uma parte maior”, ensina. Especialmente se não tiver dívidas, o dinheiro do trabalhador deve ser canalizado para os investimentos. “No Tesouro Direto é possível escolher opções de aplicação bem variadas”, diz José Cézar Castanhar, professor de finanças da FGV. Outra vantagem é que a taxa de administração é bem menor que a cobrada por corretoras e pelos bancos. “O Tesouro admite aplicações com valores a partir de R$ 100”, avisa.


Recebeu o 13º salário? Veja o que fazer com o dinheiro

Para o endividado, especialistas recomendam renegociar a dívida antes de abater o saldo devedor; já quem tem hábito de poupar pode aproveitar o salário extra

Danielle Brant - iG São Paulo |
SXC
Antes de gastar o 13º salário, lembre-se de que as festas de fim de ano reservam gastos extras
O final do ano é a época mais aguardada pelos trabalhadores. Além da proximidade das festas, novembro e dezembro também trazem um alento ao bolso dos brasileiros: o 13º salário. De acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), essa remuneração adicional deve injetar R$ 131 bilhões na economia brasileira até o final do ano. Mas, antes de sair gastando o dinheiro, confira as dicas de especialistas para fazer bom uso do salário extra.


Segundo Otto Nogami, professor de economia e finanças do Insper, o 13º salário – que tem uma parcela depositada em 30 de novembro e a outra em 20 de dezembro – deve ser encarado como uma renda adicional para cobrir o excesso de gastos do final do ano, com presentes de Natal. “Portanto, é preciso ser parcimonioso, e não colocar o pé na jaca e acabar com tudo”, explica.


Porém, com quase 59% das famílias brasileiras endividadas, segundo dados referentes ao mês de setembro compilados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), boa parte desse dinheiro deve ser destinado ao pagamento de dívidas. O que pode ser um erro, na opinião de Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira.
“Há dois tipos de endividados: o controlado e o inadimplente. O controlado tem dívidas, mas está com as prestações em dia. Com isso, pode usar metade do 13º salário para pagar dívidas e poupar a outra metade”, afirma. No entanto, para algumas pessoas esse salário a mais pode fazer a diferença entre encerrar o ano no vermelho ou com as contas em dia. Se você está nesse grupo, acrescenta Nogami, pagar as dívidas é o melhor uso para o dinheiro extra.


Mas, antes de quitar o saldo devedor, tente renegociá-lo, recomenda o educador financeiro Álvaro Modernell. “A capacidade que o devedor tem de levar a dívida para outro banco está cada vez mais comum. (O banco) Tem que baixar a taxa (de juros) para não perder o cliente”, afirma. “Com a renegociação, o cliente pode melhorar as condições do empréstimo, reduzir seu saldo devedor, a taxa de juros ou alongar o perfil das dívidas”, acrescenta.
O dinheiro também pode ser usado para pagar aquelas contas que sempre pesam no bolso no começo de cada ano, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar. “É uma providência que, dentro de um planejamento financeiro, deve ser considerada”, explica Nogami.
Quem está no azul
Se você é uma daquelas pessoas super precavidas, que já separou todo o dinheiro para arcar com os gastos de início de ano, que tal usar o 13º para formar uma poupança? “É uma forma de garantir um futuro melhor e uma condição de consumo melhor. Manter um colchão sempre vai permitir sobreviver em momentos de crise”, analisa Nogami, do Insper, que aconselha guardar pelo menos 20% do valor.
A aplicação a ser feita vai depender do uso que se pretende dar ao dinheiro. Osmar Pastore, professor do curso de administração da Faculdade Anhembi-Morumbi, de São Paulo, recomenda a poupança para quem tem dinheiro sobrando, mas precisa resgatá-lo em um prazo de três a seis meses. “Em um segundo momento, pode-se aplicar no Tesouro Direto ou em CDB (Certificados de Depósitos Bancários)”, explica.


“Acima de dez salários mínimos, invista na previdência complementar. Ou, conforme o perfil, uma carteira de ações ou o próprio tesouro direto”, complementa Álvaro Modernell. Sobrou uma grana? Compre um presente para si. “Reserve uma parte para se premiar, mas que seja pequena para não comprometer essa quantidade de dinheiro extra que está recebendo”, afirma Pastore.
“O trabalhador que está sem dívidas conquistou a liberdade e o direito de escolher o que fazer com o dinheiro. A primeira coisa é comemorar, já que está com as contas em dia. Comprar um bom vinho, uma bolsa nova, ir à praia”, afirma Modernell. Só não vale deixar o dinheiro parado. “Não deixe na conta corrente. Se deixar, vai derreter”, adverte Reinaldo Domingos, da DSOP.

7 dicas para você usar de maneira consciente seu 13º salário
Muitas pessoas abusam nas compras e presentes de final de ano e chegam a estourar o cartão de crédito. Para você não ser uma delas, o consultor financeiro Janser Rojo, da QI Financeira, listou algumas dicas para aproveitar de maneiras diferentes essa grana extra.

Liquide as dívidas que tiram seu sono
Uma boa dica é liquidar dívidas que tiram seu sono como as do cartão de crédito e do cheque especial. Já as dívidas parceladas que cabem no orçamento dos próximos meses podem ser mantidas.

Espere as liquidações
No início do ano, com a diminuição da demanda, já que a maioria das pessoas comprou o que precisava no final do ano, as lojas fazem promoções para venderem seus estoques. Essa é a hora de aproveitar! Mesmo assim, é necessário pesquisar preços. Use a internet como aliada.

Reserve o 13º para pagar impostos no começo do ano
Guarde essa renda extra para gastos do começo de ano que você já sabe que vai ter como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar dos filhos, por exemplo. Normalmente, pagar à vista traz descontos e você ainda se livra de acumular novas dívidas. Outro ponto importante: formar uma reserva é extremamente útil para que os gastos futuros sejam liquidados sem se tornarem novas dívidas. Este tipo de atitude garante a tranquilidade para  você iniciar o ano com o pé direito.

Aproveite a grana extra para planejar seu futuro
Caso você não possua dívida e aparecer um dinheiro extra como o 13º, é a hora de se planejar para o futuro. Comece a formar uma carteira de investimentos pesquisando alternativas para rentabilizar melhor o montante. Além de usar os juros a seu favor, automaticamente terá a formação de uma reserva para emergências e imprevistos. E ainda poderá pechinchar descontos para pagamentos à vista de gastos futuros.

Cuidado com os preços dos sonhos que você quer realizar
Esse dinheiro extra deve ser usado para a realização de sonhos? Depende do 'preço'. O importante é equilibrar a realização de sonhos com o orçamento doméstico. Não vale a pena realizar um sonho que dura uma semana (como uma viagem, por exemplo) e depois ficar sofrendo um ano para pagar as parcelas. Tenha sempre um bom planejamento para que o sonho não vire um pesadelo depois que acaba.

Não encare o 13º como um 'tapa-buraco'
O dinheiro do 13º não deve ser encarado todo ano como um “tapa-buraco”. Se as dívidas estavam em excesso e o 13º acabou tão rápido quanto chegou, é hora de analisar o porquê. Se fizer diferente no ano seguinte, o 13º será um prêmio a ser aproveitado e não mais um remédio para os maus hábitos financeiros.

O 13º pode ser o começo de novos investimentos
Essa grana extra que entra no orçamento pode ser um ótimo começo para você investir principalmente para a pessoa que não tem o hábito de investir um pouco todo mês. Este pode ser o incentivo que faltava para pesquisar diferentes opções de investimento e descobrir que os rendimentos podem trazer um complemento que não existia antes para a renda.









heyyeyaaeyaaaeyaeyaa

Isso é antigo... Mas eu só vi hoje...
Todos os blogs tem um post com esse vídeo e eu não posso ficar de fora...
Estou colocando algumas variações... as mais interessantes que encontrei...
Se você conhece alguma variação interessante comente!

http://heyyeyaaeyaaaeyaeyaa.com/





HEYYEYAAEYAAAEYAEYAA from impliedFibre on Vimeo.






Campus Party 2013 - The Geek Week 2013 - Qual você vai participar?

 Site oficial: http://www.campus-party.com.br

São Paulo será a casa da #cpbr6!

Pelo sexto ano consecutivo a Campus Party vai montar acampamento na cidade de São Paulo, grande pólo de tecnologia no Brasil. E é lá que vamos fazer a nossa parte para transformar o país na “Garagem do Silício do século XXI”, mostrando para o mundo o nosso grande potencial!
E o Riocentro será o local do grande encontro! Com 100 mil m² de área construída o espaço estará totalmente ocupado pelos participantes em busca das últimas novidades sobre inovação, ciência, cultura e entretenimento digital!
São esperados 7.500 campuseiros neste que é o maior acontecimento de tecnologia e internet do mundo, sem contar a Zona Expo, um espaço totalmente gratuito e aberto ao público, onde é possível interagir com um verdadeiro parque de diversões digital.
Não perca essa chance única de encontrar as principais comunidades da web brasileira para compartilhar conhecimentos, expandir a rede de contatos e, quem sabe, iniciar um novo negócio. A #CPBR6 te espera!!!
O Anhembi Parque será o local do grande encontro! Com 76 mil m² de área construída o espaço estará totalmente ocupado pelos participantes em busca das últimas novidades sobre Inovação, Ciência, Cultura e Entretenimento Digital! São esperados 8.000 campuseiros neste que é o maior acontecimento de tecnologia e internet do mundo, sem contar a Zona Expo, um espaço totalmente gratuito e aberto ao público, onde é possível interagir com um verdadeiro parque de diversões digital.
Não perca essa chance única de encontrar as principais comunidades da web brasileira para compartilhar conhecimentos, expandir a rede de contatos e, quem sabe, iniciar um novo negócio.
A #cpbr6 te espera!!!

A Campus Party Brasil 2013 terá novidades!
Seguindo a reformulação global da Campus Party, os cenários da #CPBR6 estão de cara nova. Foram acrescentados temas inovadores aos já tradicionais assuntos que fazem parte da agenda de cerca de 500 horas de conteúdos formativos, além de grandes personagens da história serem homenageados ao dar nome aos palcos: Galileu, Michelangelo, Gutenberg, Pitágoras, Sócrates, Arquimedes e Hypatia. Para completar, há ainda o Palco Principal e Stadium.
A Campus Party vai reunir o talento campuseiro e irá contribuir para que nosso país concretize a meta de se transformar na 5ª Potência Mundial, mostrando que o futuro é agora. Afinal, está em nosso DNA: como sempre, o maior acontecimento de tecnologia do mundo colocará lado a lado jovens com projetos inovadores, governos, as mais importantes empresas de tecnologia do mercado, além de universidades e escolas. Fomentando a inovação aberta e a inclusão digital, este encontro é o grande catalisador do processo de firmar o Brasil como a “garagem do Silício do século XXI”.
Campus Party Brasil 2013

+ Quando? De 28 de janeiro a 3 de fevereiro de 2013. 
 
+ Onde? Anhembi Parque, São Paulo/SP. (Avenida Olavo Fontoura, 1.209)
 
+ Como Chegar?
 
- Localizado junto a duas das principais vias expressas de São Paulo: Marginal Tietê (acesso às estradas e zonas leste/oeste) e Av. Santos Dumont (acesso ao centro e zona sul).
 
Ao lado do Campo de Marte – heliporto e aeroporto para aeronaves particulares - maior segurança para autoridades e executivos.
Próximo ao Terminal Rodoviário Tietê (interestadual/internacional) e à estação Tietê do metrô. Linha de ônibus 278A (Ceasa - Penha) e pontos de táxi nesse Terminal.
- Facilidade de acesso aos aeroportos de Guarulhos (internacional/nacional) e Congonhas (nacional e ponte aérea RJ).
- Ao lado do Campo de Marte – heliporto e aeroporto para aeronaves particulares - maior segurança para autoridades e executivos.
- Próximo ao Terminal Rodoviário Tietê (interestadual/internacional) e à estação Tietê do metrô. Linha de ônibus 278A (Ceasa - Penha) e pontos de táxi nesse Terminal.


The Geek Week




O que é?

Em uma galáxia não tão distante, um grupo de geeks resolveu se unir em um objetivo comum: ter um evento que atendesse aos reais interesses e desejos do universo nerd. Assim surgiu o movimento The Geek Week.
Prevista para acontecer em julho de 2013, a The Geek Week está em fase de planejamento para captação de patrocínio, apoio e parcerias dispostas a fomentar a realização do evento. A ideia é apresentar uma alternativa com infraestrutura adequada, conteúdo relevante e sem #mimimi, segurança e um mínimo de conforto, por um preço justo e acessível a todos, sem buscar lucros.
Curta nossa página no Facebook.


Olá, Mochileiros da Galáxia!
Vocês serão a parte mais importante deste projeto. Por isso, gostaríamos de compartilhar as nossas ideias, projetos e, o mais importante: nossa prestação de contas.
Como já está sendo divulgado, o The Geek Week surgiu da insatisfação com os preços e a infraestrutura da Campus Party. Não pretendemos ser um evento concorrente, e sim um evento alternativo. Somos um grupo de profissionais de diversas áreas, dispostos a oferecer tempo e dedicação em nome deste ideal.
Sabemos que a organização de um evento deste porte representa um grande desafio: financeiro, estrutural e organizacional. Isto sem contar com a dúvida e a desconfiança de muita gente. E o desafio, para nós, já começou: Encontrar alternativas para viabilizar um evento de qualidade com valor acessível. É por isto que estamos tendo o máximo de cuidado no planejamento do evento e na divulgação das informações.
Atualmente, nossa equipe conta com 12 organizadores (...e crescendo), 100% voluntários. São três coordenadores gerais, responsáveis pela estrutura e planejamento do evento como um todo, e uma equipe de coordenadores específicos para cada área temática.
Queremos deixar claro que a The Geek Week não é um evento com fins lucrativos. Inicialmente,
nosso objetivo é realizar todo o The Geek Week através de permutas e parcerias. Mas, estamos abertos a sugestões de todos vocês. Foi assim que recebemos com muito carinho a sugestão do Vinicius Borges Tavares, curtidor da página, que nos deu a ideia de utilizar plataformas crowdfunding como uma das possibilidades de captação de fundos. Até este momento, nossos gastos se resumem aos R$30,00 pagos
pelo registro do domínio (www.thegeekweek.com.br), registrado no dia 05/10/2012. Estamos buscando uma
forma prática e segura de fazer a prestação de contas do trabalho e custos (aceitamos sugestões).
Na próxima semana iremos colocar no ar o nosso site, uma pesquisa de interesse e formulários para
cadastro de voluntários, imprensa e patrocinadores. Contamos com o apoio e as ideias mirabolantes de
vocês.

Obrigado pela confiança. Que a força esteja conosco!
 
Em uma Galáxia não Tão Distante, 22 de Outubro de 2012. The Geek Week team



Motim no acampamento  
Grupo de "campuseiros" reclama do valor dos ingressos para edição 2013 do evento e organiza encontro alternativo


Publicação: Jornal Estado de Minas - 22/11/2012 Caderno Inform@tica - Repórter Shirley Pacelli

Preço do ingresso e da barraca, que passou de R$ 180 para R$ 450, assusta os interessados (Cristiano Sant%u2019Ana/Indicefoto.com/Divulgação)
Preço do ingresso e da barraca, que passou de R$ 180 para R$ 450, assusta os interessados
Os organizadores mal anunciaram a programação 2013 do maior camping tecnológico do Brasil e nove líderes das principais caravanas de “campuseiros” já boicotaram o evento. O problema? O preço exagerado do ingresso, mais a barraca, que pulou de R$ 180 para R$ 450. Segundo a página criada no Facebook (http://on.fb.me/QP8Qza), contra a organização da Campus Party Brasil 6 (CPBR6), o encontro virou um evento nerd de fachada, que está visando o lucro sem melhorar a estrutura. Até o momento, cerca de 2,2 mil pessoas curtiram a fan page do boicote.

Na edição deste ano, roubo de equipamentos, calor excessivo e falha na conexão foram algumas das principais reclamações dos participantes. O preço dos ingressos aumentou ao longo das edições, mas a estrutura deficitária permaneceu a mesma. Mario Teza, diretor da Futura Networks, responsável pela organização do evento, justificou que os preços foram elevados para cobrir a inflação no setor de eventos, que, em alguns casos, alcançou 300%.

Em protesto, alguns hackers resolveram derrubar o site da organização em 2 de outubro, primeiro dia de vendas. A indignação é tanta que o grupo do boicote criou um evento concorrente: The Geek Week (thegeekweek.com.br), marcado para julho de 2013. O projeto está em fase de planejamento para captação de patrocínio, apoio e parcerias dispostas a bancar a sua realização. A ideia, segundo os organizadores, é apresentar uma alternativa com infraestrutura adequada, conteúdo relevante, segurança e um mínimo de conforto, por um preço justo e acessível à todos. Aberta a sugestões, a organização estuda a possibilidade de utilizar plataformas de crowdfunding (que reúnem contribuições financeiras de internautas) para captar fundos.

O engenheiro de software Rafael Amorim, de 24 anos, participou da CPBR deste ano e conta que, apesar de o lugar ser bem espaçoso, não havia ventilação apropriada, o que fazia com que durante o dia o calor fosse infernal. Ele reclama também que faltaram bebedouros e que, por isso, se formaram filas enormes. “Como o ingresso estava barato, muita gente relevou esses detalhes. Mas pagando esse preço atual, sabendo que há chance de os mesmos problemas acontecerem, não vale a pena. Sobre o evento alternativo, acredito que seria boa ideia, mas não acho que vão conseguir montar uma estrutura tão grande quanto a CPBR, de forma independente”, afirma.

SAIBA MAIS Criada há 16 anos, na Espanha, a Campus Party atrai geeks, nerds, empreendedores e gamers que se reúnem para acompanhar centenas de atividades sobre inovação, ciência, cultura e entretenimento digital. A CPBR6 (campus-party.com.br) será realizada entre 28 de janeiro e 3 de fevereiro do ano que vem, no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Até o dia 30, o ingresso promocional custa a bagatela de R$ 300. Alunos do ProUni e demais programas de bolsas de estudos universitários pagam R$ 150.

A organização já confirmou a presença de Buzz Aldrin, astronauta mundialmente conhecido por ter sido um dos primeiros homens a pisar na Lua. Nas próximas semanas serão anunciados outros palestrantes.
 
 


Em protesto contra preços altos, site da Campus Party sofre ataque DDoS

Publicação: Site TechTudo - 02/10/2012 16h02 -Repórter Ricardo Fraga 
 

Na manhã desta terça-feira (02), um dia após os organizadores da Campus Party 2013 anunciarem a data, local e os valores da 6ª edição do evento, um ataque DDoS tirou o site do ar, que permanecia inacessível até o início desta tarde.
Site da Campus Party ficou inacessível após sofrer um ataque DDoS (Foto: Reprodução/Ricardo Fraga) 
Site da Campus Party ficou inacessível após sofrer um ataque DDoS (Foto: Reprodução/Ricardo Fraga) De acordo com um dos fundadores da feira, Paco Ragageles, o ataque DDoS teria sido motivado por pessoas insatisfeitas com os valores dos ingressos e do acampamento da edição 2013 do evento que, se comparado com os praticados em 2012, sofreram um aumento de 100% e 400%, respectivamente.
Em seu perfil no Twitter, Ragageles lamentou o ataque e afirmou que providências estavam sendo tomadas para restabelecer o acesso ao site. Ele ainda destacou que medidas judiciais serão feitas contra quem retirou a página do ar. “É incrível sem a informação certa agredir e atacar, mas a Justiça terá que atuar para perseguir este tipo de comportamento”, escreveu Ragageles.
Paco Ragageles lamenta o ataque em seu perfil no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter) 
Paco Ragageles lamenta o ataque em seu perfil no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter)
Desde o momento em que houve o anúncio oficial, centenas de usuários utilizaram as redes sociais para reclamar dos preços da próxima edição do evento. No Twitter, fazendo uma rápida pesquisa pela hashtag “#CPBR6", é possível encontrar inúmeras queixas. No Facebook, um grupo criou a página “Boicote a Campus Party”, que conta com quase 1 mil "curtidas" até a publicação desta matéria.
Ataques do tipo DDoS são normalmente utilizados para retirar sites do ar em forma de protesto. Fazendo uso de tentativas de acesso em massa contra um mesmo servidor ou domínio, a ofensiva tende a provocar que o servidor em questão não aguente o aumento súbito no número de requisições simultâneas e passe a negar o acesso a página ou serviço nele hospedado.
 
 

Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciada

Reajustes irreais no preço de hotéis e passagens aéreas tiveram grande impacto sobre o preço para participar do evento.



  • 9
  • Visualizações2.306 visualizações

Por Felipe Gugelmin em 19 de Outubro de 2012
Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciadaMario Teza, diretor da Futura Networks Brasil (Fonte da imagem: Divulgação/Campus Party Brasil)
Em uma atualização publicada na última quarta-feira (17) por Mario Teza, diretor da Futura Networks Brasil, a organização da Campus Party Brasil esclareceu o aumento no preço dos ingressos para a edição 2013 do evento. O principal responsável para o grande salto nos valores cobrados seria a “inflação diferenciada” que afeta o setor de grandes eventos no país.
“Hotéis, passagens aéreas e produção em geral custam mais em função do número elevado de eventos que o Brasil tem recebido. Isso nos afeta e muito. Tivemos situações de reajustes de preços quase inexplicáveis, em alguns casos, na ordem de 300%”, explica Teza em seu texto.
Segundo o diretor da Futura Networks, a organização do evento tem plena consciência de que, com os ajustes, muitas pessoas não poderão participar dele em 2013. Entre as iniciativas citadas por ele para que o impacto dos ingressos não fosse tão grande está a criação da Bolsa Campus, que oferece descontos de 50% a 100% para campuseiros que cumprirem determinados pré-requisitos.
Fonte: Campus Party Brasil


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/campus-party-2013/31540-aumento-do-preco-da-campus-party-brasil-2013-e-resultado-de-inflacao-diferenciada.htm#ixzz2DPy0U6BC

Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciada

Reajustes irreais no preço de hotéis e passagens aéreas tiveram grande impacto sobre o preço para participar do evento.



  • 9
  • Visualizações2.306 visualizações

Por Felipe Gugelmin em 19 de Outubro de 2012
Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciadaMario Teza, diretor da Futura Networks Brasil (Fonte da imagem: Divulgação/Campus Party Brasil)
Em uma atualização publicada na última quarta-feira (17) por Mario Teza, diretor da Futura Networks Brasil, a organização da Campus Party Brasil esclareceu o aumento no preço dos ingressos para a edição 2013 do evento. O principal responsável para o grande salto nos valores cobrados seria a “inflação diferenciada” que afeta o setor de grandes eventos no país.
“Hotéis, passagens aéreas e produção em geral custam mais em função do número elevado de eventos que o Brasil tem recebido. Isso nos afeta e muito. Tivemos situações de reajustes de preços quase inexplicáveis, em alguns casos, na ordem de 300%”, explica Teza em seu texto.
Segundo o diretor da Futura Networks, a organização do evento tem plena consciência de que, com os ajustes, muitas pessoas não poderão participar dele em 2013. Entre as iniciativas citadas por ele para que o impacto dos ingressos não fosse tão grande está a criação da Bolsa Campus, que oferece descontos de 50% a 100% para campuseiros que cumprirem determinados pré-requisitos.
Fonte: Campus Party Brasil


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/campus-party-2013/31540-aumento-do-preco-da-campus-party-brasil-2013-e-resultado-de-inflacao-diferenciada.htm#ixzz2DPy0U6BC
 

Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciada

Reajustes irreais no preço de hotéis e passagens aéreas tiveram grande impacto sobre o preço para participar do evento.

Publicação: Site Techmundo 19 de Outubro de 2012 repórter:Felipe Gugelmin


 
Mario Teza, diretor da Futura Networks Brasil (Fonte da imagem: Divulgação/Campus Party Brasil)
Em uma atualização publicada na última quarta-feira (17) por Mario Teza, diretor da Futura Networks Brasil, a organização da Campus Party Brasil esclareceu o aumento no preço dos ingressos para a edição 2013 do evento. O principal responsável para o grande salto nos valores cobrados seria a “inflação diferenciada” que afeta o setor de grandes eventos no país.
“Hotéis, passagens aéreas e produção em geral custam mais em função do número elevado de eventos que o Brasil tem recebido. Isso nos afeta e muito. Tivemos situações de reajustes de preços quase inexplicáveis, em alguns casos, na ordem de 300%”, explica Teza em seu texto.
Segundo o diretor da Futura Networks, a organização do evento tem plena consciência de que, com os ajustes, muitas pessoas não poderão participar dele em 2013. Entre as iniciativas citadas por ele para que o impacto dos ingressos não fosse tão grande está a criação da Bolsa Campus, que oferece descontos de 50% a 100% para campuseiros que cumprirem determinados pré-requisitos.
 

Site da Campus Party Brasil é atacado por crackers

Protesto contra os preços cobrados pela organização do evento resultou na queda da página oficial da convenção.




  • Visualizações3.507 visualizações

Por Felipe Gugelmin em 5 de Outubro de 2012
Site da Campus Party Brasil é atacado por crackers (Fonte da imagem: Reprodução/TargetHD)
Desde que a organização da Campus Party Brasil anunciou o preço cobrado para participar da edição 2013 do evento, o site oficial da convenção tem sido vítima constante de ataques por parte de crackers. Desde a última quinta-feira (4), o endereço está oficialmente fora do ar, devido à impossibilidade de mantê-lo ativo diante da situação atual.
Um comunicado oficial emitido pelos responsáveis pelo evento afirma que os ataques acontecem como uma forma de protesto contra o aumento dos valores cobrados pelos ingressos. Em média, as entradas estão 66% mais caras do que em 2012, com a justificativa de que isso deve garantir  “um evento com ainda mais qualidade de conteúdos para os campuseiros”.
Os organizadores da Campus Party brasileira afirmam ainda que não obtiveram apoio de seu provedor atual para resolver o problema, o que os obrigou a transferir todo o site oficial para outra rede. Segundo eles, o endereço deve voltar ao ar assim que a transição for finalizada.


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/campus-party-2013/30924-site-da-campus-party-brasil-e-atacado-por-crackers.htm#ixzz2DPweu5rE
 

Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciada

Reajustes irreais no preço de hotéis e passagens aéreas tiveram grande impacto sobre o preço para participar do evento.



  • 9
  • Visualizações2.306 visualizações

Por Felipe Gugelmin em 19 de Outubro de 2012
Aumento do preço da Campus Party Brasil 2013 é resultado de inflação diferenciadaMario Teza, diretor da Futura Networks Brasil (Fonte da imagem: Divulgação/Campus Party Brasil)
Em uma atualização publicada na última quarta-feira (17) por Mario Teza, diretor da Futura Networks Brasil, a organização da Campus Party Brasil esclareceu o aumento no preço dos ingressos para a edição 2013 do evento. O principal responsável para o grande salto nos valores cobrados seria a “inflação diferenciada” que afeta o setor de grandes eventos no país.
“Hotéis, passagens aéreas e produção em geral custam mais em função do número elevado de eventos que o Brasil tem recebido. Isso nos afeta e muito. Tivemos situações de reajustes de preços quase inexplicáveis, em alguns casos, na ordem de 300%”, explica Teza em seu texto.
Segundo o diretor da Futura Networks, a organização do evento tem plena consciência de que, com os ajustes, muitas pessoas não poderão participar dele em 2013. Entre as iniciativas citadas por ele para que o impacto dos ingressos não fosse tão grande está a criação da Bolsa Campus, que oferece descontos de 50% a 100% para campuseiros que cumprirem determinados pré-requisitos.
Fonte: Campus Party Brasil


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/campus-party-2013/31540-aumento-do-preco-da-campus-party-brasil-2013-e-resultado-de-inflacao-diferenciada.htm#ixzz2DPy0U6BC