Magazine Luiza

quarta-feira, 27 de março de 2013

Metal Gear Rising: Revengeance

METAL GEAR RISING: REVENGEANCE »  
Lâmina afiada  
Com muita ação e correria, o game da Konami representa um redirecionamento inusitado para a franquia e consolida Raiden como um protagonista de respeito. Upgrades durante o jogo melhoram os combates

Publicação: 21/03/2013 04:00

 (Konami/Divulgação)
 Em um dos primeiros momentos de Metal gear rising: revengeance, um dos personagens orienta o protagonista Raiden na missão que tem pela frente: “Não há nenhuma necessidade de se esconder ou de evitar o combate”. A fala é simples, mas resume bem o recado para os fãs da série criada pelo japonês Hideo Kojima: esse não é o Metal Gear com que você está acostumado.

O novo título deixa de lado a furtividade, principal característica dos jogos Metal gear solid, para dar espaço à ação. O game é o primeiro spin-off da série e deixa de lado o Solid Snake, o grande herói da franquia. No lugar dele, volta ao centro da história Raiden, o famigerado protagonista sem sal de Metal gear solid 2, que ressurgiu como um habilidoso ciborgue ninja em Metal gear solid 4.

O game, cuja trama se passa três anos após o quarto título, tem estrutura e narrativa muito mais modestas do que as dos jogos anteriores. O roteiro das fases é simples: siga em direção ao ponto marcado no mapa e utilize a espada para cortar tudo e a todos que passarem pelo caminho. Para facilitar ainda mais a jornada, existe o ninja run (corrida ninja, em tradução livre): enquanto o personagem corre, basta manter apertado um botão e Raiden, automaticamente, salta obstáculos, escala paredes e desliza sob fendas. Tudo isso para que você não pare de golpear.

O sistema de combate é tão simples quanto o de deslocamento: aperte poucos botões para começar a distribuir golpes de espada e formar longos combos. O grande diferencial na hora de lutar fica por conta do chamado Modo Katana, que faz o tempo desacelerar e permite selecionar exatamente quais pontos do inimigo quer “fatiar”.

DETALHES Metal gear rising pode ser considerado um passo arriscado por parte da Konami, uma vez que ele destoa muito dos games anteriores de uma série com vasta legião de fãs. Mas, após as primeiras horas de jogo, percebe-se que a empresa não fez feio. Rising soube aproveitar décadas de história e adaptá-las muito bem à nova proposta. O fato de a trama ser mais simples é um excelente exemplo de como o título conseguiu se apropriar do universo geral para criar algo dinâmico e divertido.

A impressão que fica, contudo, é que os esforços em fazer bem tal mudança de direcionamento foram tão grandes que certas minúcias não receberam tanta atenção. Um exemplo disso é a simplificação excessiva do combate, que acaba por tirar parte do brilho do título.

As lutas são divertidas, principalmente, os confrontos com os chefes, que são o ponto alto do jogo. Mas, em comparação com outros games do mesmo gênero, Rising tem combos pouco variados, mesmo com os ataques extras, que podem ser adquiridos por meio de upgrades. A câmera é uma frustração durante os combates, pois, muitas vezes, a angulação errada que ela assume, automaticamente, atrapalha, escondendo os inimigos em lutas importantes.

Outra opção que faz falta é a de se esquivar desde o princípio (a habilidade pode ser adquirida depois, via upgrade). Por ser um comando básico, presente em jogos de ação, sem essa alternativa, resta ao jogador correr ou usar a defesa, acionada por um comando que também envolve o botão de ataque.

Mas esses pontos fracos não são suficientes para tornar Metal gear rising uma experiência ruim. O título não apenas tem o mérito de adaptar bem o complexo universo da série para a divertida proposta corra e corte, como também consegue consolidar um dos personagens menos queridos de Metal gear como um protagonista interessante.

A Konami começou o spin-off bem, mas ainda existe espaço para melhorias. Resta a esperança de que a empresa aproveite o redirecionamento e lance novos jogos com Raiden, desta vez com os erros corrigidos. Se fizer isso, Rising pode muito bem, um dia, alcançar o mesmo nível de prestígio que os títulos anteriores.


DERIVAÇÃO
Os spin-offs são títulos derivados de uma série que surgem após a consolidação dela. A trama não tem ligação direta com os outros jogos. Em geral, aproveitam para contar histórias de personagens secundários ou eventos pouco explorados nos games principais.

DICA
Na versão para Playstation 3, para desbloquear o nível de jogo mais difícil, vá para a tela de título (em que aparece a frase “aperte start”) e pressione duas vezes o direcional para cima, duas vezes para baixo, esquerda, direita, esquerda, direita, O e X. Na versão para Xbox 360, basta fazer a mesma sequência de direcionais, mas aperte B e A.



Metal Gear Rising: Revengeance faz jus ao nome que carrega


Apesar da jogabilidade completamente diferente de seus antecessores, jogo mantém a história grandiosa, personagens extravagantes e apresentação impecável que deram fama à série.

Confesso que fiquei com um pé atrás quando a Konami anunciou a produção de Metal Gear Rising: Revengeance (na época conhecido como Metal Gear Solid: Rising) em 2009. A furtividade sempre foi a principal característica da série, que valoriza a estratégia em vez do combate direto, e um jogo de ação pura como Rising parecia destoar completamente de seus antecessores.
E convenhamos: o personagem principal, Raiden, não foi lá muito bem recebido em seu primeiro jogo (Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty) e virou motivo de piada no seguinte (Metal Gear Solid 3: Snake Eater). E pra “piorar” o jogo não foi desenvolvido pela Konami nem dirigido pelo criador da série, Hideo Kojima. O desenvolvimento ficou a cargo da Platinum Games, responsável por jogos como Bayonetta e MadWorld, e a direção foi de Kenji Saito. Uma mudança de estilo, de protagonista, de estúdio e de diretor de uma só vez? Xiii...
Como fã, tinha medo de que o jogo fosse apenas uma forma de ganhar "dinheiro fácil" usando o nome Metal Gear, enquanto Kojima e sua equipe trabalhavam numa verdadeira sequência (que agora sabemos que será Metal Gear Solid: Ground Zeroes) digna do nome da série. Felizmente, não é esse o caso.
O melhor açougueiro do mundo
Em outros Metal Gear a melhor estratégia de jogo é se tornar "invisível" e completar a missão sem ser descoberto pelos inimigos. Entrar correndo dentro de um hangar lotado deles é suicídio, e até mesmo o som de seus passos em uma passarela metálica pode alertá-los de sua presença. Isso cria um clima de tensão que ajuda o jogador a entrar na pele do protagonista. Sei que preciso chegar a um depósito, mas como? Posso dobrar essa esquina? Será que o guarda lá embaixo vai me ver se eu subir a escada? É preciso pensar antes de agir.
Já Rising é mais "descerebrado", não que isso seja ruim. Pense nele como um "Dia de Fúria", onde você pode atacar a tudo e a todos sem medo das consequências. O jogo incentiva o confronto: a arma principal de Raiden é uma espada especial, e o método mais eficaz de recarregar a energia é fatiar os ciborgues inimigos (a lâmina absorve os eletrólitos de suas baterias), ou então arrancar e esmagar suas colunas vertebrais, num movimento chamado "Zan-Datsu".
rising_combate-360px.jpg
Fatiar os inimigos à vontade é o ponto-chave da jogabilidade de Revengeance
A jogabilidade lembra a série "God of War": com poucos botões é possível fazer combos eficientes para despachar os inimigos, e em vários momentos ícones na tela pedem sequências específicas de botões que levam a ataques e finalizações grandiosas. Coisas como agarrar um robô gigante pela cauda, arremessá-lo através do cenário e depois partí-lo ao meio usando sua espada. Raiden também pode usar a "Corrida Ninja" para se mover mais rapidamente através das fases e superar automaticamente obstáculos no caminho, não que eles sejam muitos.
Um diferencial é o "Blade Mode": o jogo entra em câmera lenta e assume uma visão em terceira pessoa, com a câmera sobre o ombro de Raiden e o inimigo à frente dele. Com um dos direcionais analógicos é possivel selecionar o ângulo do corte, mostrado como uma linha sobre o corpo do inimigo, e aí basta pressionar o botão de ataque para fatiar o pobre soldado feito salaminho. Cortes específicos podem render itens: em dado momento um dos aliados de Raiden, conhecido como "Doktor", pede que o protagonista corte as mãos esquerdas do maior número de soldados que puder, para capturar valiosos "dados de combate" armazenados em chips holográficos dentro delas.
rising_maos-360px.jpg
Os inimigos podem lhe dar uma "mãozinha", literalmente
Há armas secundárias, como um lança-foguetes que é útil para despachar inimigos distantes, mas a estrela é mesmo a espada. E os dois modos de jogo proporcionam um pouco de variedade à ação: se estou cercado de inimigos posso despachá-los rapidamente com combos. Se enfrento apenas um ou dois posso me dar ao luxo de entrar no Blade Mode e ser mais, digamos, "criativo" nos ataques. Aliás, além dos inimigos é possível fatiar itens do cenário, como árvores, portões, caixas e cercas, e até cortar os pilares de pontes para derrubar os inimigos que estão sobre elas.
Coisa de cinema
Metal Gear Rising: Revengeance segue a tradição de apresentação "cinematográfica" dos outros Metal Gear, com gráficos e sons excelentes. A história grandiosa se passa no futuro e envolve uma corporação paramilitar (PMC) chamada Desperado que usa ciborgues para perpetuar a guerra, garantir sua existência e acumular poder.
A rivalidade entre Raiden e Samuel Rodrigues, um dos principais soldados da Desperado, é o ponto central, bem como a luta de Raiden para suprimir instintos de seu passado, quando sua violência como soldado-mirim lhe rendeu o apelido de “Jack, o estripador”. E o Raiden de Revengeance, um ninja cibernético altamente letal, é muito diferente do jovem recruta inseguro de Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty. Mas nem tudo é sério: o típico humor da série, como as caixas de papelão para se esconder dos inimigos ou as revistas pornô para distraí-los, também está presente.
Tudo se desenrola através de belas animações entre as fases e constantes conversas via CODEC (uma espécie de comunicador) entre os personagens. A história se sustenta sozinha: não é necessário ter jogado os outros Metal Gear para compreendê-la, embora isso ajude a colocá-la dentro de um contexto muito maior. Além de jogar, Revengeance é um jogo que vale a pena assistir, de preferência com um balde de pipoca do lado.
A influência cinematográfica se estende também à jogabilidade: combos são frequentemente finalizados com ângulos de câmera e movimentos coreografados dignos de um filme de John Woo, e a sensação de "Uau, eu fiz isso?!?" é constante, empolgando o jogador. As batalhas contra os chefes, extravagantes soldados de elite da Desperado com nomes como Mistral, Moonsoon, Jetstream e Sundowner, são um show à parte.
rising_mistral-360px.jpg
As batalhas épicas contra chefes como Mistral (à esquerda) são um ponto alto do jogo
Aliás, é nas batalhas contra os chefes que o principal ponto fraco de Revengeance fica evidente: a câmera pode "se perder" durante a ação, e você vai sofrer com os ataques de um inimigo que não consegue ver porque ela está apontando para o lado errado. É irritante, mas não é o suficiente para estragar o jogo.
Em bom português
Vale a pena citar o excelente trabalho feito pela Konami ao adaptar o jogo ao nosso idioma: todos os menus, indicadores, descrições de itens e sistema de ajuda estão em Português, e as animações entre as missões e conversas entre personagens são legendadas. A tradução foi bem-feita: até mesmo trocadilhos e expressões idiomáticas foram corretamente adaptados para nossos equivalentes, em vez da tradicional tradução "ao pé da letra" e sem sentido que às vezes é encontrada em outros jogos.
Honrando o nome
No final das contas, Metal Gear Rising: Revengeance faz jus ao nome que carrega. É um “Metal Gear” diferente, é verdade, mas tem todas as características que tornaram os outros jogos da série um sucesso, e mostra que em boas mãos ela pode continuar mesmo sem a intervenção direta de seu criador, Hideo Kojima, ou sem uma das muitas encarnações do protagonista Snake. Quem já acompanha a série tem mais um ótimo jogo para curtir, e quem não conhece pode acabar descobrindo um novo favorito.
Agora me dêem licença, que tenho mais algumas mãos a cortar.
Serviço
Metal Gear Rising: Revengeance está disponível em versões para o Xbox 360 e PlayStation 3. Analisamos a versão para o Xbox 360. Segundo a Konami, o preço sugerido para ambas as versões é R$ 199.90.

Trabalho a distância - Byod (Bring your own device)“Traga seu próprio dispositivo”

Aqui, ali, em qualquer lugar  
Seguindo tendência mundial, empresas liberam o uso de dispositivos pessoais no ambiente corporativo. De olho nesse novo mercado, fabricantes lançam seus gadgets e novas soluções de segurança da informação


Publicação: Jornal Estado de Minas - 21/03/2013 - Caderno Inform@tica Repórter Shirley Pacelli


 

Quem nunca teve a sensação de que o seu notebook é bem mais rápido que aquele desktop utilizado no trabalho? Ou mesmo respondeu e-mails profissionais no próprio smartphone durante o trajeto até o serviço e atualizou status de redes sociais enquanto utilizava o computador da firma? A cada dia tem se tornado mais difícil estabelecer limites entre os equipamentos profissionais e pessoais. Diante desse quadro, o novo lema das empresas é: “Traga seu próprio dispositivo”, conhecido como Byod (Bring your own device).

Duas fortes tendências tecnológicas empurram as empresas rumo ao Byod: o armazenamento na nuvem e o boom dos dispositivos móveis. Segundo pesquisa recente da IDC, os tablets representaram 16% do mercado de vendas tecnológicas no terceiro trimestre de 2012. A previsão é de que as pranchetas digitais dobrem essa marca neste ano. Nos Estados Unidos, um relatório da Cisco Horizons IBSG revelou que 95% das organizações já permitem que os funcionários utilizem dispositivos pessoais para fins profissionais. A pesquisa foi realizada com mais de 600 líderes dos mercados de tecnologia da informação.

Apesar de ser um sistema recente no Brasil, as empresas já avaliam a mudança como estratégia para os negócios, adaptando a estrutura tecnológica para inserção na rotina do trabalho. Na semana passada, a Dell anunciou o lançamento do tablet Latitude 10 e do ultrabook conversível XPS 12, ambos criados com características próprias a essa nova visão – incluem soluções de segurança da informação e baterias intercambiáveis que chegam a totalizar até 20 horas de duração. A Samsung acabou de apresentar ao mundo o Galaxy SIV, smartphone top da marca e principal concorrente da linha iPhone, da Apple. Além de processadores cada vez mais potentes e maior armazenamento, o celular tem tela de 5 polegadas e traz recursos de tradução para nove línguas (inclusive o português). Com características especiais, os aparelhos transformam-se em ferramentas de trabalho sempre à mão e conectados.

O diretor da Ledcorp, empresa de soluções em logística da informação em Belo Horizonte, José Lúcio Balbi de Mello, explica que normalmente os empresários compram o equipamento escolhido pelos funcionário e, por meio de acordo, estabelece que no prazo de um ano o gadget será dele. Se o profissional sair antes, paga uma parte do valor do aparelho. Poder escolher o próprio equipamento traz satisfação ao profissional e consequentemente uma maior produtividade.

Mello conta que há várias vantagens nesse sistema, como uma maior vida útil dos equipamentos. “O colaborador toma mais cuidado com o PC, porque é dele”, explica. O principal benefício, contudo, é a mobilidade: permite o acesso, independentemente do local e do horário, das informações corporativas em tempo real. Além disso, o Byod reduz os custos em infraestrutura tecnológica para as empresas. É preciso menos espaço físico e cabeamento. “Ele evita que tenha que duplicar o número de equipamentos – comprar desktops para o escritório e tablets para tarefas externas”, destaca. Outra economia é com os antivírus.

REFORÇO NA SEGURANÇA
Se por um lado há uma redução das despesas de infraestrutura, é preciso garantir a segurança da informação corporativa. Adequações na arquitetura tecnológica e de governança dos processos são essenciais e há programas específicos para isso. Primeiro, é necessário estabelecer um horário de trabalho adequado ao colaborador da empresa. Os workaholics (viciados em trabalho) estão soltos por aí e ninguém quer que um funcionário trabalhe todos os dias até as 4h de sua casa. Aplicativo instalado no notebook, o Time Sheet permite controlar a frequência de horas trabalhadas e extras. “Depois das 18h, não se consegue atender o ramal da empresa no smartphone”, exemplifica.

Para assegurar que os dados da empresa não sejam extraviados, há um limite da visualização de informação dos dispositivos do colaborador. Do tablet ele consegue acessar os pedidos de compra de um dia, mas não do ano todo. “A própria característica desses equipamentos móveis impossibilitam o backup de grande volume de dados”, esclarece o diretor.

Há ainda o rastreamento do gadget, recursos VoIp (que transfere ligações de um telefone para outros aparelhos) e gestão de agendas (tarefas do dia). Com o sistema de rastreamento pessoal, é possível saber onde está cada funcionário. “Se você tem uma obra, quer que a pessoa bata ponto do lado do buraco e não na secretaria. É possível verificar isso”, brinca o diretor. Mais do que controle, o recurso pode ser utilizado como gestão da logística de pessoal.

Mello acredita que o próprio mercado consumidor vai estimular o Byod. “As empresas estão sendo forçadas a migrar para plataformas móveis. Aos poucos vai ficar mais caro ter PCs e data centers nas empresas do que armazenar tudo na nuvem”, afirma. O risco para o sucesso da novidade é a insegurança dos patrões em relação aos preciosos dados corporativos. Por isso, as fabricantes começam a lançar tablets e notebooks com soluções de segurança. 
 
A quarta galáxia 
Samsung apresenta Galaxy SIV e ganha pontos na disputa com Apple por título de mais inovadora. Aparelho deve chegar ao Brasil em abril, em lançamento mundial

Galaxy SIV
Especificações: tem 7,9mm de espessura e pesa 130g. Tela de 5%u201D com 441 pixels por polegada. 
Vem com sistema operacional Jeally Bean 4.2.2, processador de até 1,9GHz (conforme modelo) e armazenamento de até 64GB.
Preço sugerido: R$ 2.399 (3G) e R$ 2.499 (4G)
galaxys4brasil.com.br (AFP /Don Emmert)
Galaxy SIV Especificações: tem 7,9mm de espessura e pesa 130g. Tela de 5%u201D com 441 pixels por polegada. Vem com sistema operacional Jeally Bean 4.2.2, processador de até 1,9GHz (conforme modelo) e armazenamento de até 64GB. Preço sugerido: R$ 2.399 (3G) e R$ 2.499 (4G) galaxys4brasil.com.br
 Há menos de 30 dias, a Samsung lançou o Galaxy Note 8.0, tablet para bater de frente com o iPad mini, da Apple, durante a Mobile World Congress, feira de dispositivos móveis em Barcelona (Espanha). Pouco depois foi a vez de os smartphones Galaxy SIII mini e do Gran Duos – dual chip – serem apresentados no Brasil. E na última semana, em Nova York (Estados Unidos), o mundo conheceu enfim o Galaxy SIV, celular inteligente top de linha da fabricante sul-coreana. Tantos lançamentos em tão pouco tempo demonstram a corrida da marca para desbancar a Apple no ranking das mais inovadoras. A empresa norte-americana tem baixado a guarda e deixado o caminho livre para isso acontecer. A Samsung já é a maior fabricante de smartphones do mundo e reúne uma legião de fãs que aguardam ansiosamente por seus eventos.

Enquanto a Siri, assistente de voz do iPhone, fala até cantonês, mas nada de português, a Samsung lançou um novo serviço de tradução – S Translator – já com suporte para a língua portuguesa. Além disso, o lançamento mundial de vendas, em 26 de abril, contemplará também o Brasil. Fora a novidade do site do SIV em português. Sinais de que a fabricante considera o mercado brasileiro importante, e, claro, isso agrada à população – a ponto de potenciais applemaníacos se renderem aos encantos da marca.

Foi o que aconteceu com o publicitário Gustavo Varella, de 34 anos. Depois de ter o iPhone 3GS que usava há três anos roubado durante o carnaval de Diamantina (MG), decidiu que era hora de comprar um novo aparelho. O smartphone era uma ferramenta de trabalho: conferências, reuniões, anotações importantes, tudo estava lá. Diante de conselhos dos amigos e da própria observação do mercado, o publicitário resolveu se arriscar com o Galaxy Note II. “Ao mesmo tempo em que a Samsung acelerou os lançamentos e se preocupou com a qualidade do aparelho e do sistema, a Apple começou a frear a inovação. Não vi grande diferença entre o iPhone 3GS, o 4, o 4S e o 5. Quem gosta de tecnologia quer ver coisa nova”, justificou Varella.

O publicitário foi se adaptando às funcionalidades e ao novo sistema operacional, mas acabou sentindo falta de alguns recursos do iPhone, como o black screen, em que aparecem todas as notificações mesmo com o celular travado. “Cheguei a perder uma reunião porque a notificação não me chamou a atenção”, conta. Para ele, o Note II é uma solução boa, mas para quem já teve um aparelho Apple é difícil se adequar, porque há todo um investimento em aplicativos da App Store.

Varella acabou vendendo o Note II e comprando um iPhone 5. A grande vantagem da Apple, segundo ele, é que todos os seus dados estavam na nuvem. “Restaurei o aparelho em algumas horas. Até a foto de fundo era a mesma que eu tinha antes no 3GS”, conta. Para ele, o modelo de negócios de personalização dos perfis na nuvem, somado ao esmero da Apple no acabamento perfeito de seus celulares, fideliza o cliente. “O celular é praticamente uma joia. Tem bordas que parecem ter sido lapidadas como um diamante e brilha”, brinca Varella. O lado ruim da marca, para ele, é o sistema fechado, que impossibilita transferências de arquivos de um aparelho para o outro.

Ele explica que escolheu o iPhone 5 para não ter tecnologia obsoleta, mas que compraria um 4S tranquilamente, já que não há diferenças significativas entre os aparelhos. Varella diz que os smartphones da Samsung são uma ótima opção para quem ainda não criou vínculo com a rival. “A Samsung representa uma ameaça ao reinado da Apple. Daqui a pouco ela oferece a funcionalidade que faltava aos usuários iOS e ela passa a concorrente”, diz.


IMAGENS A JATO
Com recurso Story Album, é possível criar um álbum interativo. Fotos e vídeos são organizados automaticamente por localização e ordem cronológica. Outra ferramenta permite fazer até 100 fotos em quatro segundos e criar uma imagem em movimento.


Dois em um  
Com foco na consumerização, Dell lança ultrabook conversível e tablet com bateria intercambiável, com até 20 horas de duração, focados no mercado corporativo


 
 


"Tecnologia por tecnologia não paga conta. É preciso agregar valor para o cliente"
São Paulo – É um tablet? Não. É um notebook? Também não. O ultrabook conversível XPS 12, lançado pela Dell na última semana em São Paulo (SP), é uma mescla dos dois. O equipamento tem tela touchscreen com uma tecnologia de display rotativo que permite o uso como uma prancheta digital ou um notebook, com todo o conforto do teclado. Além dele, a fabricante lançou o tablet Latitude 10, primeiro com Windows 8, voltado ao mercado corporativo. Há três versões – Lite, Standard e Security – ,que oferecem diferentes recursos de segurança, como leitor biométrico. As novidades do portfólio marcam o investimento da marca na tendência mundial de BYOD (Bring your own device) – uso de dispositivo pessoal no trabalho – desenvolvendo produtos que sejam facilmente incorporados às redes corporativas, mas que integrem ferramentas que facilitem a gestão e a segurança da informação.

Na ocasião, Raymundo Peixoto, diretor geral da Dell Brasil, ressaltou que a companhia esforça-se para ser uma empresa end-to-end (de ponta a ponta) que oferece o hardware, mas também o software, serviços de consultoria de TI, soluções de armazenamento, gerenciamento de dados etc. Para isso, ao longo dos últimos quatro anos, a Dell adquiriu 21 empresas. Nenhuma aquisição foi para ganhar mercado, mas baseadas em propriedade intelectual. Assim, a companhia passou a oferecer o Kace, software que gerencia sistemas dentro de empresas de forma simples, transparente e automatizada. “Tecnologia por tecnologia não paga conta. É preciso agregar valor para o cliente”, afirma Peixoto.

O diretor ressaltou que a empresa vem apostando na tendência de consumerização (uso de dispositivos pessoais no trabalho). Para ele, as pessoas tinham medo desse conceito porque ele representava uma ameaça ao mundo corporativo, afinal informação é um dos principais ativos de uma empresa. “Nossa proposta é fazer esse sistema funcionar. Não existe um mundo claro que defina pessoa física ou jurídica. As empresas passam a navegar de um para outro, não há retorno. Isso traz novos desafios”, ressalta.

Segundo ele, já existem 96 milhões de tablets corporativos e a média mundial de dispositivos móveis adquiridos por pessoa é de 3,3. O estudo The envolving worface (http://dell.to/WRCCX0), em parceria com a Intel, revelou que nos Estados Unidos cerca de 50% das pessoas usam o PC para assuntos pessoais e profissionais. No Brasil, essa marca chega a 74%. “É melhor se preparar para esse novo mercado do que ir contra”, ressalva Peixoto, afirmando que a empresa quer ser pioneira nesse segmento.

WIN 8 Carlos Rabello, gerente de marketing para consumidor final da Dell Brasil, destacou que a companhia separa o público em três tipos de clientes: usuários finais, líderes de negócios e administradores de tecnologia da informação (TI). “Isso traz diferentes desafios dentro de uma corporação. Há um conflito entre a satisfação, a mobilidade, novos dispositivos e geração de trabalhadores. Em meio a tudo isso, os profissionais de TI precisam garantir a segurança dos dados. Como atender aos desejos de todos?”, diz.

Para a empresa, o Windows 8 foi a melhor solução para resolver essa zona de conflito entre usuários e administradores de TI. “Com a parceria com a Microsoft, independentemente da categoria de produto, o funcionário terá a mesma plataforma”, esclarece. Apesar disso, a Dell reconhece que, para o sucesso da sua aposta, o Win8 é um sistema operacional que ainda precisa ganhar mais mercado, afinal, os consumidores costumam comprar o tablet com mesmo sistema do seu smartphone, terreno hoje dominado por plataformas iOS e Android.

Estimulando as vendas de plataformas com sistema operacional móvel da Microsoft, a Dell lançou dois produtos e garante que haverá novas linhas em breve. O ultrabook conversível XPS12 traz duas possibilidades no mesmo equipamento. Durante o dia, é possível produzir conteúdo com ergonomia e de noite, em casa, você pode se sentar no sofá e usá-lo no modo tablet.

Ele traz conceitos premium, como fibra de carbono, que garante isolamento térmico, e tela touch com Gorilla Glass, material de alta resistência contra quebra e risco. “A Dell não é a primeira empresa a lançar essa categoria, mas nosso design é o único. Quando o ultrabook fecha, o teclado continua protegido. São detalhes que fazem a diferença”, ressalta Rabello. Em comparação com as 20 horas de duração da bateria do Latitude 10, o produto decepciona com suas míseras cinco horas. O gerente explica que a capacidade é proporcional ao consumo de energia do ultrabook, que é maior porque tem alta performance, já que é equipado com um processador i7.

Com baterias intercambiáveis, o tablet Latitude 10 vem com USB tamanho padrão, oferecendo total conectividade com periféricos, como modem 3G, e tem seu próprio dockstation, apesar de ser compatível com outros modelos do mercado. O conector de carregamento é um miniconector USB padrão, similar aos carregadores de celulares. A linha oferece versões com maior controle de segurança, como microSD e leitor óptico. Assim, o mesmo dispositivo pode ser usado por vários profissionais ao longo do dia.

O QUE VEM POR AÍ Para Camila Santos, analista sênior de mercado para dispositivos voltados a usuários finais e corporativos da IDC, consultoria de mercado de tecnologia, a estratégia da Dell de oferecer novo portfólio de soluções touch está alinhada a uma demanda própria do mercado. “Estamos vivendo a terceira era da tecnologia. Nesse novo ambiente, no qual as pessoas têm que ficar conectadas o tempo todo e em qualquer local, os dispositivos móveis ganham cada vez mais espaço, ao mesmo tempo que há a proliferação de novos formatos de notebooks, como os ultrabooks, tablets e conversíveis”, conclui a analista.

Segundo a pesquisa do IDC, o Brasil é o terceiro país no ranking mundial de dispositivos. O mercado de tablets vem crescendo a cada trimestre, não há uma sazonalidade de vendas. Cerca de 5,5 milhões de unidades devem ser comprados em 2013, aumento de quase 90% em relação ao ano passado. Enquanto haverá uma queda de vendas de 300 mil desktops neste ano. Santos revela que quase 50% do volume de tablets atuais são os chamados dispositivos “xing ling”, vendidos por valores abaixo de R$ 500. “Mas nem todos são do mercado cinza. Nessa parcela há dispositivos que são legais, como os da marca Digital Life”, ressalva. Segundo a analista, alguns usuários podem se frustrar, porque esses aparelhos ficam aquém dos líderes da tecnologia, mas as vendas não devem cair. Ao longo do tempo, esses compradores vão migrar para outras categorias.

NOVIDADES DELL
Ultrabook conversível XPS 12
Com Windows 8, tem tecnologia de display rotativo, que permite o uso do equipamento em modo ultrabook ou tablet. Tela 12” touchscreen Full HD com tecnologia IPS (maiores ângulos de visão). Processador da 3ª geração Intel Core i até i7 (3537U), memória de até 8GB. Autonomia de bateria de 5 horas e 51 minutos. Pesa a partir de 1,52kg. Tema apenas 15mm de espessura em sua parte mais fina. Recursos de segurança, com configurações opcionais: Trusted Boot (inicalização segura) e BitLocker (proteção de dados com encriptação). Já está disponível para venda no site.
Preço: R$ 4.999
dell.com.br

Tablet Latitude 10
Tela multitouch HD LED de 10,1” com vidro Gorilla Glass e resolução 720p. Tem memória de 2GB e SSD de até 64GB. Autonomia de bateria de até 20 horas. Conectividade com opções Wi-Fi, Bluetooth e 3G. Pesa a partir de 658g. Vem com porta USB 2.0 (1), entrada microUSB padrão, leitor de cartão SD, conector de dock station e entrada combinada de fone de ouvido estéreo e microfone. Opções com saída mini-HDMI, micro-SIM e caneta stylus. Já está disponível para venda no site na versão Lite.
Preço: a partir de R$ 2.299
dell.com.br

 

terça-feira, 26 de março de 2013

105 Anos do Clube Atlético Mineiro. Documentários, curiosidades e reportagens.

Desculpe o atraso... era para ser postado ontem... Mas estamos em tempo... Por mais 364 dias o Galo vai continuar com 105 anos...


Vivenciando um momento ímpar de sua rica e vitoriosa história, o Clube Atlético Mineiro completa 105 anos nesta segunda-feira.



Perfil da torcida do Atlético Mineiro - Galo




ANIVERSÁRIO DO GALO

Galo comemora aniversário de 105 anos em momento especial na história do clube

Time se destaca na Libertadores e tem em R10 mais visibilidade internacional

Bruno Cantini/ Atlético
Galo vive fase vitoriosa e demonstra força nos jogos da Copa Libertadores e do Estadual

O Atlético comemora 105 anos nesta segunda-feira. Mas, ao contrário da última década, quando o clube atravessou fases instáveis, o Galo vive um momento especial. Vice-campeão brasileiro e com grande campanha na Libertadores'2013, o Alvinegro é destaque no cenário internacional, principalmente nos feitos de Ronaldinho Gaúcho.

Uma curiosidade na trajetória do clube é que, exatamente há 100 anos, a instituição passou a se chamar Clube Atlético Mineiro. Antes disso era chamado Atlético Mineiro Futebol Clube, e a mudança de nome ocorreu justamente no dia 25 de março de 1913.

Os garotos que fundaram a agremiação, no Parque Municipal de Belo Horizonte, tinham um descontetamento com a falta de equipes na capital e decidiram criar o Atlético. A primeira sede do clube foi na Rua Goiás, em um porão. Uma situação inusitada vivida pelos fundadores foi a aquisição da primeira bola. Ela foi trocada por alguns insetos, que um dos jogadores enviou para um amigo na França. O primeiro jogo do Atlético foi só em 1909, na vitória sobre o Sport Club, por 3 a 0, com o primeiro gol marcado por Aníbal Machado.

Gestão atual

O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, que também comemora seu aniversário neste 25 de março, está há quatro anos e cinco meses no cargo e é um dos responsáveis pela boa fase da equipe. Com contratações como R10, Tardelli, Réver, Victor e a manutenção do técnico Cuca desde agosto de 2011, o mandatário, que completa 54 anos, controla um clube que é exaltado pelo bom futebol.

Com formações vitoriosas nas décadas de 1970 e 1980, o Atlético passou momentos complicados na última década. Com exceção dos nacionais de 2001 e 2009, o Galo não figurou na luta pela título brasileiro nas outras edições.

A chegada de R10 na competição nacional de 2012 foi uma das maiores contratações da história do clube. Para esta temporada, o atacante Diego Tardelli retornou do Catar, depois de alto investimento dos cofres atleticanos, e agregou qualidade ao plantel de Cuca.

Em sua história, o Atlético tem feitos importantes, como a conquista do primeiro Campeonato Mineiro, em 1915, e o título Brasileiro de 1971.

Visibilidade internacional

Bruno Cantini/ Atlético
R10 deu mais visibilidade ao Atlético
Recentemente, o Atlético foi à Bolívia para enfrentar o The Strongest e recebeu homenagens locais. Essa rotina tem sido comum nos jogos do time, principalmente devido a Ronaldinho Gaúcho, já considerado duas vezes o melhor jogador do planeta e reconhecido mundialmente.

A presença de R10 no Atlético também costuma ser notícia em vários jornais europeus. Porém, além da visibilidade espontânea gerada pelo craque, o trabalho realizado no Galo tem outros pontos que valorizam o clube. Com um dos melhores CT´s do país, orçamento milionário para o ano, plantel qualificado e equilíbrio nas finanças, o Alvinegro planeja figurar na prateleira de cima do futebol brasileiro, com base no discurso de Kalil.

Para o jornalista espanhol Juan Castro, do Diário Marca (Espanha), Ronaldinho renasceu no Atlético e trouxe a atenção da mídia. “Basicamente todo mundo está surpreso com Ronaldinho no Atlético. Acreditávamos que ele estava morto e agora ressuscitou. Já tinha ouvido falar do clube, mas ele deu mais visibilidade”, disse à reportagem.

O jornalista Norberto Lopes, do Jornal de Notícias, de Portugal, ressalta que outros jogadores e treinadores marcaram época e também deram visibilidade ao Atlético. “Na Europa já conhecíamos o Atlético, até porque teve grandes jogadores e treinadores antes de contratar o Ronaldinho. O Carlos Aberto Silva, por exemplo, é um nome que é falado aqui e que passou pelo Atlético”, destacou.

Para Sérgio Pereira, do Mais Notícia, de Portugal, a ida de vários jogadores do Galo para o futebol português, nos últimos anos, deram ao clube reconhecimento no país. “Acredito que a maioria dos portugueses que gostam de futebol conhecem o Atlético, ainda que alguns só de nome. No entanto, com a chegada do Ronaldinho, é verdade que as notícias triplicaram ou quadruplicaram, e por isso o Atlético tornou-se um nome mais familiar, mais gente conhece a camisa do clube e porventura mais gente sabe de que cidade é o clube. Fora de Portugal, nos outros países europeus, acredito que a influência da chegada de Ronaldinho, aí sim, seja maior. Em Portugal, e porque sempre houve jogadores do Atlético a vir para Portugal, o clube já era conhecido”, frisou.

Especiais da ESPN para o centenário do Galo











Só quem é Atléticano saber entender a razão dessa paixão!




Há 105 anos, surgia o clube que honraria o nome de Minas

Wallace Graciano - Hoje em Dia


Atlético/Flickr oficial
Há 105 anos, surgia o clube que honraria o nome de Minas -
Equipe do Atlético em 1914, posando ao lado do time do Morro Velho (camisas pretas)

Em uma manhã de quarta-feira, de um longínquo 25 de março de 1908, uma turma de estudantes resolveu deixar os cadernos de lado e se reunir no coreto do Parque Municipal, em Belo Horizonte. O objetivo era colocar em prática o projeto de um grupo esportivo, que iria praticar o tal “football”, esporte que ganhava espaço em meio às ruas da capital das alterosas, que acabara de completar sua primeira década. Mal sabiam eles que ao criarem o Athlético Mineiro Football Club – o anglicismo foi deixado de lado anos depois, com a oficialização do nome Clube Atlético Mineiro – aqueles adolescentes seriam os responsáveis por um dos maiores acontecimentos da história da cidade. Nascera ali a equipe que arrastaria multidões e honraria o nome de Minas Gerais pelo Brasil e pelo Mundo.
Eles só viriam a atuar de forma oficial somente um ano depois, quando encararam o Sport Clube Futebol, no dia 21 de março de 1909. Coube a Aníbal Machado marcar aquele que seria o primeiro gol da história alvinegra. Ao final da disputa, o placar apontou 3 a 0. Sete dias depois, a pedido do rival, houve uma revanche. E o Atlético não fugiu à regra, ganhando o jogo por 2 a 0. Em mais um embate, desta vez em 21 de abril do mês seguinte, outro triunfo dos garotos de Lourdes, desta vez por 4 a 0. O Sport seria extinto a partir daquele momento, e o Galo começava a traçar sua trajetória de vitórias.
Pioneirismo
Nos anos seguintes, outros clubes foram surgindo na capital mineira para a prática do esporte bretão. As partidas se tornaram mais frequentes e a rivalidade foi crescendo. Assim, em 1914, Atlético, América e Yale se reuniram para realizarem o primeiro torneio oficial do Estado, a Taça Bueno Brandão. O título ficaria com os alvinegros. No ano seguinte, a Liga Mineira de Esportes Terrestres (LMET), atual Federação Mineira de Futebol (FMF), organizou o primeiro Campeonato da Cidade. Como outrora, o pioneirismo de levantar a taça coube também ao Atlético, com a campanha de cinco vitórias, um empate e uma derrota.
Mesmo sendo fundado por membros da aristocracia da capital, o Atlético também foi pioneiro ao abrir seus quadros para qualquer atleta. Assim, o clube se fortaleceu e ganhou carisma da população, apesar do hiato de títulos no Campeonato da Cidade (só voltaria a conquistar em 1926). Em 1927, outro troféu foi erguido, mas o feito mais marcante da Década de 20 foi a inauguração do estádio Antônio Carlos, para 5 mil pessoas (em uma época que Belo Horizonte tinha 40 mil habitantes). O jogo de inauguração do Estádio de Lourdes foi em 30 de maio daquele ano, contra o Corinthians. Na data, o Galo venceu por 4 a 2, gols de Mário de Castro (3) e Said. No ano seguinte, Jules Rimet, então presidente da FIFA, viria ao principal palco do futebol mineiro para assistir a uma partida noturna, feito raro no período, uma vez que os refletores eram pouco populares.
No final daquele ano, o grande ídolo da equipe, Mário de Castro, também se tornou um personagem ímpar. Coube a ele ser o único jogador de fora do eixo Rio-São Paulo a ser chamado pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD) para a Seleção Brasileira, que disputaria a Copa do Mundo de 1930. Ele recusou afirmando que não vestiria outra camisa que não fosse a alvinegra, mas, posteriormente, admitiu que também só iria ao Uruguai para ser titular de Carvalho Leite, do Botafogo, que tinha o apreço da comissão técnica. Quem perdeu foi o futebol tupiniquim. O “doutor” era um jogador raro. Seus números comprovam isso. Em 100 jogos pelo clube alvinegro, anotou 195 gols, média incrível para um centroavante.

Há 105 anos, surgia o clube que honraria o nome de Minas - 1929
Comandada pelo Trio Maldito (Jairo, Said e Mário de Castro), a equipe Alvinegra conquistou o seu primeiro bicampeonato Mineiro, em 1927



Rompendo fronteiras

Nas décadas de 30 e 40, o Atlético provou sua hegemonia no estado. Em 20 torneios disputados, conquistou a metade. Mas o ano que ficou para a história foi 1937, quando o clube se sagrou o Campeão dos Campeões do Brasil. O torneio foi organizado pela Federação Brasileira de Futebol (FBF), e reuniu os campeões estaduais de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.
O tempo passou e entre novembro e dezembro de 1950, o Galo obteria um de seus feitos mais emblemáticos. Naquele período, o clube excursionou pela Europa enfrentando times da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e França. Foram dez partidas no total, conquistando seis vitórias, empatando duas vezes e perdendo em outras duas oportunidades. A bela campanha fez com que a imprensa mineira apelidasse o Galo de “Campeão do Gelo”, feito eternizado no Hino Oficial do clube, composto por Vicente Motta.
Anos áureos
A Década de 50 trouxe sete títulos estaduais para a sala de troféus do clube. A supremacia não se confirmou nos dez anos seguintes, quando somente um bicampeonato (em 1962/1963) e uma vitória sobre a Seleção Brasileira (em 1969) ficariam para a memória. O jejum seria compensado nos anos 70. Quatro títulos Mineiros foram conquistados. Parece pouco, mas duas gerações mudariam os rumos da história do clube.
Logo em 1970, Telê Santana chegara para quebrar a série de cinco conquistas do arquirrival celeste no estadual. O “mestre” montou uma equipe quase que invencível, uma vez que triunfou em 20 de suas 22 partidas no certame. Em 1971, ainda sob o comando do “Fio de Esperança”, o Galo obtinha seu maior feito ao faturar o Campeonato Brasileiro. Na campanha, o clube passou por Cruzeiro, São Paulo, Santos e Botafogo, equipes que contavam com jogadores que foram tricampeões do Mundo no ano anterior.

Há 105 anos, surgia o clube que honraria o nome de Minas - Galo 1970

Atletas comemoram a conquista do Campeonato Mineiro de 1970, ao vencer o Atlético de Três Corações por 2 a 0. Na foto, Vaguinho, Dario Peito de Aço e o goleiro Careca. Em 71 o Galo é o primeiro Campeão Brasileiro



Ao mesmo tempo em que se afirmava como potência, o clube lapidava talentos que despontavam de sua categoria de base. De lá surgiram pedras preciosas como Reinaldo, Cerezo, Paulo Isidoro e Marcelo, que levaram a equipe a um título invicto de 1976. Eles também foram figuras constantes em alguns dos anos imponentes da equipe, como o período hegemônico no estado, que se estendeu de 1978 a 1983, e quando o Galo só não faturou o bicampeonato nacional por capricho do destino, como em 1977 e 1980. A geração seguinte também não desapontou. Nomes como Sérgio Araújo, Elzo e Batista mantiveram a hegemonia e só não levaram o estadual para Lourdes nos anos 80 em duas oportunidades.
Boas campanhas, poucos títulos
A década de 90 trouxe duas conquistas importantes para a história alvinegra. Em 1992 e 1997, o Atlético faturou a Copa Conmebol, sobre Olímpia e Lanús, respectivamente. No período, a massa alvinegra gritaria “é campeão” em outras três oportunidades, todas pelo Campeonato Mineiro (1991, 1995 e 1999). E foi só. O Galo até que fez boas participações nos demais torneios. No Brasileirão, por exemplo, foi três vezes semifinalista (1991, 1994 e 1996) e uma vez vice-campeão (1999). Na Conmebol, um 2º lugar, em 1995. Retrospecto que deixava sua torcida reticente.
Anos sombrios
Se antes o quase era uma tônica, o que se viu nos anos 2000 foi um período de agonia para a massa atleticana. O clube até que prometia voos altos, com a conquista do estadual no ano de 2000, porém, no segundo semestre, uma campanha pífia no Brasileirão (à época chamado de Copa João Havelange) só não culminou em tragédia porque o regulamento não previa rebaixamento. Em 2001 e 2002, boas campanhas terminaram em eliminações trágicas, para São Caetano, nas semifinais, e Corinthians, nas quartas, respectivamente.
Já em 2004, o Atlético flertou perigosamente com a Série B e só escapou na última rodada, após uma vitória por 3 a 0 ante o São Caetano. No ano seguinte, porém, não teve perdão. A campanha irregular culminou no rebaixamento do clube para a Segunda Divisão. Felizmente, a passagem foi curta e em 2006 o clube voltava à Série A com o calor da torcida alvinegra, que apoiou o clube durante toda a trajetória para o acesso.
Em 2007, o clube pôs fiz ao incômodo jejum de sete anos sem conquistar um estadual, com uma expressiva vitória por 4 a 0 sobre o maior rival, Cruzeiro. No segundo semestre, porém, o clube apenas fez uma campanha pouco expressiva no Nacional.
O ano seguinte marcaria um centenário de história do Atlético. Para a memória, ficaram as festas para celebrar os 100 anos, uma vez que dentro de campo o clube não correspondeu às expectativas. O calendário mudou e em 2009, o Galo ao menos voltou a fazer boas campanhas no Brasileirão, quando chegou a ser um real candidato ao título da peleja. Porém, a queda de rendimento no final do torneio fez o clube sair da disputa.

O ano de 2010 trouxe mais um Estadual. O feito foi repetido em 2012, desta vez de forma invicta, pela sexta vez na história da equipe. Porém, o que ficará guardado na memória de cada atleticano foi a bela campanha que o clube fez no Campeonato Brasileiro. Sob o comando de Ronaldinho, o Atlético encantou o país jogando um futebol ofensivo, de movimentação rápida entre os três setores do time. O título não veio, é verdade, mas ficou a esperança de que aquele segundo semestre foi um prenúncio de que o Galo voltará a cantar alto em território nacional, assim como fez em seu passado, quando ditou rumos e foi protagonista.
Ao Atlético, parabéns por seus 105 anos de história! 

Documentário, mostrando a campanha dos títulos de 92 e 97
Narração do documentário é de Rogério Correa
Entrevista com ídolos




Vídeo institucional produzido pela Central de Multimídia do Clube Atlético Mineiro para o Departamento de Relações Internacionais, com o objetivo de apresentar o Galo em terras japonesas.






Galo tem uma seleção dos sonhos praticamente imbatível; baixe o poster!

Wallace Graciano - Hoje em Dia


Editoria de Arte/Hoje em Dia
Galo tem uma seleção dos sonhos praticamente imbatível

Nesses 105 anos de vida, o Atlético teve vários jogadores que honraram sua camisa, seja marcando gols decisivos ou mesmo defendendo o clube nos momentos mais complicados. Definir quem foi o mais importante e compará-lo com outro de uma época distinta é um exercício difícil, mas que não deixa de ser prazeroso. Por isso,  o Hoje em Dia pediu a 12 jornalistas que elaborassem uma lista dos atletas mais marcantes que já atuaram pelo Galo, para montar para você, caro atleticano, um poster de uma verdadeira Seleção Alvinegra.
Os critérios de escolha foram os mais diversos. Teve jornalista que só votou naqueles que viu jogar. Outros preferiram ressaltar a importância de determinado atleta para o clube, enquanto alguns até mudaram o jogador de sua posição, somente para que ele figurasse entre seus 11 escolhidos. O sistema tático também pouco importava, seja 4-4-2, 4-3-3, 4-2-4... Bastava apenas ser democrático.
E esses critérios diversos trouxeram algumas curiosidades. Para se ter ideia do quão difícil foi estabelecer uma equipe ideal, somente Luizinho figurou em todas as listas. Nem Reinaldo, um dos maiores ídolos da história do Atlético conseguiu a unanimidade. Outro ponto de discussão foi a igualdade entre Kafunga/Taffarel, na meta alvinegra, e Vantuir/Réver, como zagueiros. Para o desempate, ficou definido que o atleta mais antigo seria agraciado com um lugar entre os 11.
Assim, ao final da votação ficou estabelecido que a seleção dos 105 anos de história do Atlético seria composta por Kafunga, Nelinho, Luizinho, Vantuir e Paulo Roberto Prestes; Toninho Cerezo, Gilberto Silva, Ronaldinho e Éder Aleixo; Reinaldo e Marques. Todos eles seriam comandados por Telê Santana. Um time de respeito.
Abaixo seguem as seleções de cada um e a quantidade de votos. Claro que esses 11 ideais não são definitivos e cada um tem seu jogador predileto. Por isso, convidamos você, caro atleticano, a escalar nos comentários os jogadores que mais o marcaram durante esses 105 anos.
Quem votou em quem:
Álvaro Castro: Kafunga, Nelinho, Luizinho, Procópio, Paulo Roberto Prestes; Toninho Cerezo, Gilberto Silva, Marcelo; Palhinha, Marques e Reinaldo. Técnico: Telê Santana
Felippe Drummond: Mazurkievski, Nelinho, Vantuir, Luizinho, Éder Aleixo; Cerezo, Paulo Isidoro, Ronaldinho Gaúcho; Reinaldo, Dario e Guará. Técnico: Telê Santana
Maristela Bretas: Mazurkievski, Nelinho, Grapete, Luizinho, Cincunegui; Oldair, Toninho Cerezo, Éder Aleixo; Marques, Dario e Reinaldo. Técnico: Telê Santana
Mamede Filho: Taffarel, Beletti, Luizinho, Réver, Paulo Roberto Prestes; Gilberto Silva, Sérgio Araújo, Ronaldinho e Éder Aleixo;  Marques e Reinaldo. Técnico: Telê Santana
Felipe Torres: Taffarel; Paulo Roberto Costa, Réver, Luizinho e Dedê; Gilberto Silva, Toninho Cerezo, Éder Aleixo Aleixo e Ronaldinho Gaúcho; Marques e Guilherme. Técnico: Telê Santana
João Alberto Aguiar: Taffarel; Paulo Roberto Costa, Luizinho, Réver e Paulo Roberto Prestes; Toninho Cerezo, Gilberto Silva, Renato Morumbaga e Ronaldinho Gaúcho; Reinaldo e Éder Aleixo Aleixo. Técnico: Telê Santana
Lucca Figueiredo: Kafunga, Nelinho, Luizinho, Osmar Guarnelli, Cincunegui; Gilberto Silva, Cerezo, Ronaldinho Gaúcho e Eder Aleixo; Marques e Reinaldo. Técnico: Telê Santana
Pedro Arthur: Kafunga; Nelinho, Luizinho, Murilo e Cincunegui; Cerezo, Vanderlei, Lola e Marcelo; Reinaldo e Dario.  Técnico: Telê Santana
Pedro Rotterdan: Taffarel, Paulo Roberto Costa, Réver, Galván, Dedê; Gilberto Silva, Cerezo, Éder Aleixo, Ronaldinho Gaúcho; Marques e Guilherme. Técnico: Levir Culpi 
Rodrigo Rodrigues: João Leite; Nelinho, Luizinho, Vantuir e Paulo Roberto Prestes; Cerezo, Paulo Isidoro, Marcelo e Ronaldinho; Reinaldo e Éder Aleixo. Técnico: Telê Santana
Vinícius Las Casas: João Leite, Nelinho, Luizinho, Vantuir, Paulo Roberto Prestes; Cerezo, Paulo Isidoro, Marcelo e Éder Aleixo; Reinaldo e Ubaldo. Técnico: Telê Santana
Wallace Graciano: Kafunga, Nelinho, Vantuir, Luizinho, Cincunegui; Toninho Cerezo, Paulo Isidoro e Éder Aleixo; Reinaldo, Dario e Mário de Castro.  Técnico: Telê Santana
Quantos votos cada jogador obteve
Goleiro:  Kafunga (4 votos), Taffarel (4 votos); João Leite (2 votos); Mazurkievski (2 votos)
Lateral-direito: Nelinho (8 votos), Paulo Roberto Costa (3 votos) e Beletti (1 voto)
Zagueiro: Luizinho (11 votos), Vantuir (4 votos), Réver (4 votos), Galván (1 voto), Murilo (1 voto), Procópio (1 voto),  Grapete (1 voto) e Osmar Guarnelli (1 voto)
Lateral-esquerdo: Paulo Roberto Prestes (5 votos); Cincunegui (4 votos) e Dedê (2 votos)
Meias: Cerezo (12 votos), Éder Aleixo (10 votos) Ronaldinho (6 votos); Gilberto Silva (6 votos), Marcelo (4 votos); Paulo Isidoro (4 votos), Lola (1 voto), Renato Morumbaga (1 voto), Sérgio Araújo (1 voto) e Oldair (1 voto).
Atacantes: Reinaldo (10 votos) Marques (6 votos), Dario (4 votos), Guilherme (2 votos) Palhinha (1 voto), Guará (1 voto), Mário de Castro (1 voto) e Ubaldo (1 voto)
Técnico: Telê Santana (11 votos) e Levir Culpi (1 voto)
Pelo Campeonato Mineiro de 2007, o Atlético enfrentou o Cruzeiro e aplicou uma goleada histórica. 4 x 0 fora o baile atleticano para cima dos celestes, a contar com o gol do atacante Vanderlei, o gol do título, que entrou para a história.

Gols do Atlético-MG: Éder Luis, Danilinho, Marcinho e Vanderlei

Narração: Marcos Leandro Sportv/PFC


Especial: Galo x Seleção Brasileira

Há mais de 40 anos, o Atlético recebia a Seleção Brasileira para um amistoso no Mineirão.




Video documental do Jogador de Futebol Reinaldo Lima.
José Reinaldo de Lima, mais conhecido como Reinaldo (Nascido em 11 de Janeiro de 1957, em Ponte Nova) é um ex-jogador de futebol brasileiro revelado em meados dos anos 70 pelo Atlético Mineiro, clube a que dedicou praticamente toda a carreira.


Após um estudo minucioso realizado pelo Canal Sportv, do Sistema Globo de Televisão, em parceria com o curso de Especialização em Futebol da Universidade Federal de Viçosa (UFV), a Cidade do Galo foi eleita o melhor centro de treinamento do Brasil.

A equipe do Sportv viajou mais de 20 mil quilômetros para avaliar a estrutura dos 20 clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro de 2010. Para avaliar os centros de treinamento, o Sportv encomendou a elaboração de um caderno de avaliação utilizado para estruturar um ranking de qualificação.

O presidente Alexandre Kalil se emocionou com o resultado. Esta é uma obra feita por vários atleticanos abnegados. A todos eles, o agradecimento eterno do Clube Atlético Mineiro.

Veja a classificação e a pontuação de cada clube:

1º ATLÉTICO 3.538
2º Atlético-PR 3.509
3º Cruzeiro 3.465
4º São Paulo 3.447
5º Santos 3.142
6º Palmeiras 3.107
7º Internacional 3.032
8º Goiás 2.993
9º Grêmio 2.964
10º Botafogo 2.814
11º Flamengo 2.690
12º Vasco 2.650
13º Corinthians 2.439
14º Fluminense 2.297
15º Avaí 2.255
16º Guarani 2.252
17º Atlético-GO 2.156
18º Vitória 1.943
19º Ceará 1.705
20º Grêmio Prudente 395


Os quatro momentos mais marcantes da campanha do Vice-campeonato Brasileiro de 2012: O Gol do Jô contra o Grêmio depois de uma grande jogada de Bernard. O Gol de Neto Berola que selou a melhor campanha do primeiro turno numa emocionante narração do Mário "Caixa". O Gol de Placa do Ronaldinho Gaúcho contra o Cruzeiro que daria a vitória no primeiro clássico se o juiz marcasse aquela falta sobre o Guilherme.  O Jogo contra o Fluminense com o gol do Leonardo Silva contra o Fluminense que selou a vitória contra os futuros campeões, levaram o título, mas no independência o Galo manda!






Demais esse gol do bernard em 2012 com essa narração épica do galvão bueno em 1999 com o gol de Ronaldinho Gáucho em Brasil 5 x 0 Venezuela



E esse foi o Pior momento desses 105 anos...

Documentário - Coração em Preto e Branco

 

 Esse vídeo está no Blog Ser Flamengo. É o jogo da Libertadores de 1981 entre Flamengo X Atlético. Dois times semelhantes, aquele que passaria seria campeão da Libertadores e Mundial. O José Roberto Wright expulsou 5 jogadores do Atlético e o Flamengo que precisava da vitória ganhou de W0.Até hoje ele fala que o Reinaldo mereceria ser expulso com aquela falta sobre o Zico... Veja o vídeo e avalie: O comentário do Telê Santana: "o José Roberto Wright está mais nervoso que os jogadores..." Logo depois o mesmo vídeo com os lances comentados.

 


 

 

Hino do Galo - Arr: Almir Amarante

Octeto de Contrabaixos arranjado e executado por Almir Amarante

E para terminar....

 

segunda-feira, 25 de março de 2013

5 Anos do NeoBux!

Essa mensagem foi postada no Forum do NeoBux pelo seu administrador...
Vou postar a original em inglês e sua tradução logo a seguir...
 

==========================================================================
 
Hoje às 13:22
Admin editou esta mensagem em 2013/03/25 às 13:37
It was 5 years ago today that NeoBux in a very shy but determined way made its first appearance to the world.
Little the world did know the amazing potential NeoBux would offer in the following years. We not only changed the PTC industry but we also marked the previous model as deprecated and rendered it useless.

In our first 5 years we already set in motion lots of amazing new features that made PTC what it is today. Amongst thousands of features like instant payments, referral renting, properly paid offers, AdAlert, and AdPrize we also showed the world that being honest and most of all working for the user and not for ourselves was the path that everyone should go. Unfortunately most don't go that path and the few that do don't go all the way. I still believe that one day every PTC can give everything back to its users in an honest way. I still dream that a unified PTC industry would help thousands of people and change their lives for the better. While we actually don't struggle alone we're still making the largest part of the changes.

You may wonder why we give almost everything to the users in an altruist way. NeoBux was made for users and every action we take does reflect that. The offers you make are entirely for you and your referrer. AdPrize is entirely for you being you a user and/or advertiser. These are just a few examples that count for tens of thousands of dollars per day that we give away.

The way we do things is actually rewarding for us. We don't care so much about monetary rewards but instead we care about recognition which is something that makes our work look worthwhile and immediately shows that we have users who love us and appreciate what we have to offer.

A simple example of that is that we're currently amongst the top 100 sites as per Alexa's rating. No other PTC has reached this high and that is a good way for us to know that what we do is the right thing. Sure, we're not perfect, but we strive to reach higher in our users' satisfaction and work towards such purpose.

You know something? Without you all this couldn't be possible. Sure, we can give almost everything to everyone but in the end it's the way that everyone acknowledges our efforts that makes us proud to have such a great community which will only get bigger every day.

Really, thank you ALL for what you are and for what you gave us. NeoBux without you would simply be a great but unused project. With you it's an amazing thing that, for as hard as I try, I can't even start to describe it.

It's been 5 years and all our work is still starting. So many wonderful things will come in the future that when we look back in a few years from now we'll all wonder what our lives would be without it.

We know we can't thank you enough but we can offer you something in our anniversary:

Renewal discount on referrals for all memberships:
30 days: 8%
60 days: 13%
90 days: 20%
150 days: 27%
240 days: 32%

Discount on Golden Membership purchases and / or extensions:
 Golden  $15 discount = $75

Discount on new Golden Pack purchases:
 Emerald  $5 discount = $285
 Sapphire  $5 discount = $285
 Platinum  $15 discount = $475
 Diamond  $15 discount = $475
 Ultimate  $30 discount = $860

Discount on Golden Pack renewals:
 Emerald  $5 discount = $265
 Sapphire  $5 discount = $265
 Platinum  $15 discount = $445
 Diamond  $15 discount = $445
 Ultimate  $30 discount = $770

The promotional period will end on March 28th at 16:00 server's time.
 
 
 
==========================================================================
Foi há 5 anos hoje que NeoBux de forma muito tímida, mas determinada fez sua primeira aparição para o mundo.
 
O mundo pouco sabia do incrível potencial que o NeoBux iria oferecer nos anos seguintes. Nós não só mudamos a indústria de PTC, mas também marcamos o modelo anterior como obsoleto e a tornava inútil.

Em nossos primeiros 5 anos já definimos uma porção de incríveis novos recursos que fez o PTC que é hoje. Entre os milhares de recursos, como pagamentos instantâneos, Indicados alugados, Mini trabalhos pagos, ofertas, AdAlert e AdPrize nós também mostrou ao mundo que ser honesto e a maioria de todos trabalhando para o usuário e não para nós mesmos foi o caminho que todos devem seguir. Infelizmente a maioria não vai nesse caminho e os poucos que fazem não vão todo o caminho. Eu ainda acredito que um dia cada PTC pode dar tudo de volta a seus usuários de forma honesta. Eu ainda sonho que um indústria PTC ajudaria milhares de pessoas e mudar suas vidas para melhor. Enquanto que na verdade não lutamos sozinhos estamos ainda fazendo a maior parte das mudanças.

Você pode se perguntar por que dar quase tudo para os usuários em um altruísta maneira. NeoBux foi feito para os usuários e cada ação que tomamos reflectem isso. As ofertas feitas são inteiramente para você e seu indicador. AdPrize é inteiramente para você, sendo você um usuário e/ou anunciante. Estes são apenas alguns exemplos que contam para dezenas de milhares de dólares por dia em que podemos dar de presente.

A forma como fazemos as coisas é realmente gratificante para nós. Nós não nos importamos tanto sobre recompensas monetárias, mas em vez disso, nós nos preocupamos com o reconhecimento de que é algo que faz com que nosso trabalho pareça interessante e imediatamente mostra que temos usuários que nos amam e apreciam o que temos para oferecer.

Um exemplo simples de que é que nós estamos atualmente entre os sites do top 100 conforme classificação do Alexa. Nenhum outro PTC chegou a esta alta e isto é uma boa maneira para nós saber que o que fazemos é a coisa certa. Claro, nós não somos perfeitos, mas nós nos esforçamos para alcançar maior satisfação dos nossos usuários e trabalhar para tal finalidade.

Você sabe de uma coisa? Sem você, tudo isso não poderia ser possível. Claro, podemos dar quase tudo para todos, mas no final é a maneira que todo mundo reconhece nossos esforços que nos deixa orgulhosos de ter uma comunidade tão grande, que só será maior todos os dias.

Realmente, agradecer-lhe tudo o que você está e o que você nos deu. NeoBux sem você seria simplesmente um gigante projeto, mas não utilizado. Com você é uma coisa tão fantástica que por mais que eu tente, não consigo descrever o sentimento.

Já faz 5 anos e todo o nosso trabalho ainda está começando. Tantas coisas maravilhosas virão no futuro, que quando olhamos para trás, daqui a alguns anos agora vou todos perguntamos quais seriam nossas vidas sem ele.

Sabemos que não podemos agradecê-lo bastante, mas podemos oferecer-lhe algo em nosso aniversário:

Desconto de renovação em referências para todas as subscrições:
30 dias: 8 %
60 dias: 13%
90 dias: 20%
150 dias: 27%
240 dias: 32%

Desconto sobre compras de ouro da associação e / ou extensões:
Desconto de membro ouro = $75

Desconto em novas compras de Golden Pack:
Esmeralda desconto de =  $285
Safira desconto de $5 =  $285
Desconto de  $15 platina = $475
Desconto de diamante $15 = $475
Desconto de $30 final = $860

Desconto em renovações de Golden Pack:
Esmeralda desconto de $5 =  $265
Safira desconto de $5 =  $265
Desconto de  $15 platina = $445
Desconto de diamante 15 dólares = US $445
Desconto de $30 final = $770

O período da promoção terminará no dia 28 de março, em vez do servidor de 16:00.
 
 
 


Tabela Campeonato Brasileiro 2013 Completa - Brasileirão 2013 - Tabela Completa

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou na tarde desta sexta-feira a tabela do Campeonato Brasileito de 2013. A primeira rodada será em 26 de maio e terá 10 jogos. Três deles entre equipes de São Paulo e do Rio de Janeiro: Vasco x Portuguesa , Corinthians x Botafogo e Santos x Flamengo . Esse último confronto, como antecipado pelo Correio Braziliense, será no Estádio Nacional Mané Garrincha.

Com o fim dos clássicos estaduais nas duas últimas rodadas, a edição de 2013 contará com confrontos “comuns”, como Botafogo x CriciúmaBahia x FluminenseSão Paulo x Coritiba.

A tabela também mostra um intervalo entre a quinta e sexta rodada (9 de junho a 7 de julho) por causa da Copa das Confederações no país. O campeonato tem fim previsto para 8 de dezembro. Os horários e os locais das partidas ainda não foram divulgados.

Clique aqui para baixar o PDF da tabela divulgada pela CBF

Tabela de jogos - COMPLETA

RODADA DATADIAHORAMANDANTE#x#VISITANTEESTÁDIOCIDADETV
1a rodada 26/05Dom-Vasco
x
PortuguesaA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Fluminense
x
Atlético-PRA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Corinthians
x
BotafogoA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Vitória
x
InternacionalA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Grêmio
x
NáuticoA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Ponte Preta
x
São PauloA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Criciúma
x
BahiaA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Cruzeiro
x
GoiásA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Coritiba
x
Atlético-MGA definirA definir-
1a rodada 26/05Dom-Santos
x
FlamengoA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Botafogo
x
SantosA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Flamengo
x
Ponte PretaA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-São Paulo
x
VascoA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Bahia
x
CoritibaA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Internacional
x
CriciúmaA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Goiás
x
CorinthiansA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Náutico
x
VitóriaA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Atlético-MG
x
GrêmioA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Atlético-PR
x
CruzeiroA definirA definir-
2a rodada 29/05Qua-Portuguesa
x
FluminenseA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Botafogo
x
CruzeiroA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Fluminense
x
CriciúmaA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Corinthians
x
Ponte PretaA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Vitória
x
VascoA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Internacional
x
BahiaA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Goiás
x
CoritibaA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Náutico
x
PortuguesaA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Atlético-MG
x
São PauloA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Atlético-PR
x
FlamengoA definirA definir-
3a rodada 02/06Dom-Santos
x
GrêmioA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Vasco
x
Atlético-MGA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Flamengo
x
NáuticoA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-São Paulo
x
GoiásA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Bahia
x
BotafogoA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Grêmio
x
VitóriaA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Ponte Preta
x
Atlético-PRA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Criciúma
x
SantosA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Cruzeiro
x
CorinthiansA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Coritiba
x
FluminenseA definirA definir-
4a rodada 05/06Qua-Portuguesa
x
InternacionalA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Vasco
x
BahiaA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Fluminense
x
GoiásA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Corinthians
x
PortuguesaA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Vitória
x
Atlético-PRA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Grêmio
x
São PauloA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Ponte Preta
x
BotafogoA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Criciúma
x
FlamengoA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Cruzeiro
x
InternacionalA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Coritiba
x
NáuticoA definirA definir-
5a rodada 09/06Dom-Santos
x
Atlético-MGA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Botafogo
x
FluminenseA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Flamengo
x
CoritibaA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-São Paulo
x
SantosA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Bahia
x
CorinthiansA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Internacional
x
VascoA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Goiás
x
VitóriaA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Náutico
x
Ponte PretaA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Atlético-MG
x
CriciúmaA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Atlético-PR
x
GrêmioA definirA definir-
6a rodada 07/07Dom-Portuguesa
x
CruzeiroA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Vasco
x
FlamengoA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Fluminense
x
InternacionalA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Corinthians
x
Atlético-MGA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Vitória
x
São PauloA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Grémio
x
BotafogoA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Ponte Preta
x
BahiaA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Criciúma
x
GoiásA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Cruzeiro
x
NáuticoA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Coritiba
x
Atlético-PRA definirA definir-
7a rodada 14/07Dom-Santos
x
PortuguesaA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Botafogo
x
NáuticoA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Fluminense
x
VascoA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-São Paulo
x
CruzeiroA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Vitoria
x
BahiaA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Internacional
x
FlamengoA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Goiás
x
PortuguesaA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Criciúma
x
GrêmioA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Atlético-MG
x
Ponte PretaA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Atlético-PR
x
CorinthiansA definirA definir-
8a rodada 21/07Dom-Santos
x
CoritibaA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Vasco
x
CriciúmaA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Flamengo
x
BotafogoA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Corinthians
x
São PauloA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Bahia
x
GoiásA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Grêmio
x
FluminenseA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Ponte Preta
x
SantosA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Náutico
x
InternacionalA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Cruzeiro
x
Atlético-MGA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Coritiba
x
VitóriaA definirA definir-
9a rodada 28/07Dom-Portuguesa
x
Atlético-PRA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Botafogo
x
VitoriaA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Fluminense
x
CruzeiroA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Corinthians
x
GrêmioA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Bahia
x
FlamengoA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Internacional
x
SantosA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Goiás
x
VascoA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Náutico
x
São PauloA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Atlético-MG
x
Atlético-PRA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Coritiba
x
Ponte PretaA definirA definir-
10a rodada 31/07Qua-Portuguesa
x
CriciúmaA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Vasco
x
BotafogoA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Flamengo
x
Atlético-MGA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-São Paulo
x
BahiaA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Vitória
x
PortuguesaA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Grêmio
x
InternacionalA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Ponte Preta
x
FluminenseA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Criciúma
x
CorinthiansA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Cruzeiro
x
CoritibaA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Atlético-PR
x
GoiásA definirA definir-
11a rodada 04/08Dom-Santos
x
NáuticoA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Vasco
x
Ponte PretaA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Flamengo
x
PortuguesaA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-São Paulo
x
InternacionalA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Vitória
x
FluminenseA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Grêmio
x
CoritibaA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Goiás
x
NáuticoA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Criciúma
x
CruzeiroA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Atlético-MG
x
BotafogoA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Atlético-PR
x
BahiaA definirA definir-
12a rodada 07/08Qua-Santos
x
CorinthiansA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Botafogo
x
GoiásA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Fluminense
x
FlamengoA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Corinthians
x
VitóriaA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Bahia
x
GrêmioA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Internacional
x
Atlético-PRA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Ponte Preta
x
CriciúmaA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Náutico
x
Atlético-MGA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Cruzeiro
x
SantosA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Coritiba
x
VascoA definirA definir-
13a rodada 11/08Dom-Portuguesa
x
São PauloA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Botafogo
x
InternacionalA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Fluminense
x
CorinthiansA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-São Paulo
x
Atlético-PRA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Vitória
x
Ponte PretaA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Grêmio
x
CruzeiroA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Goiás
x
FlamengoA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Criciúma
x
NáuticoA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Atlético-MG
x
BahiaA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Coritiba
x
PortuguesaA definirA definir-
14a rodada 14/08Qua-Santos
x
VascoA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Vasco
x
GrêmioA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Flamengo
x
São PauloA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Corinthians
x
CoritibaA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Bahia
x
SantosA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Internacional
x
Atlético-MGA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Ponte Preta
x
GoiásA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Náutico
x
FluminenseA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Cruzeiro
x
VitóriaA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Atlético-PR
x
CriciúmaA definirA definir-
15a rodada 18/08Dom-Portuguesa
x
BotafogoA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Vasco
x
CorinthiansA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Flamengo
x
GrémioA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-São Paulo
x
FluminenseA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Bahia
x
NáuticoA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Internacional
x
GoiásA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Ponte Preta
x
CruzeiroA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Criciúma
x
CoritibaA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Atlético-MG
x
PortuguesaA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Atlético-PR
x
BotafogoA definirA definir-
16a rodada 25/08Dom-Santos
x
VitóriaA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Botafogo
x
São PauloA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Fluminense
x
SantosA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Corinthians
x
FlamengoA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Vitória
x
CriciúmaA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Grêmio
x
Ponte PretaA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Goiás
x
Atlético-MGA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Náutico
x
Atlético-PRA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Cruzeiro
x
VascoA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Coritiba
x
InternacionalA definirA definir-
17a rodada 01/09Dom-Portuguesa
x
BahiaA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Botafogo
x
CoritibaA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Flamengo
x
VitóriaA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-São Paulo
x
CriciúmaA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Bahia
x
CruzeiroA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Internacional
x
CorinthiansA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Goiás
x
GrêmioA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Náutico
x
VascoA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Atlético-MG
x
FluminenseA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Atlético-PR
x
SantosA definirA definir-
18a rodada 04/09Qua-Portuguesa
x
Ponte PretaA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Vasco
x
Atlético-PRA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Fluminense
x
BahiaA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Corinthians
x
NáuticoA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Vitória
x
Atlético-MGA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Grêmio
x
PortuguesaA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Ponte Preta
x
InternacionalA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Criciúma
x
BotafogoA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Cruzeiro
x
FlamengoA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Coritiba
x
São PauloA definirA definir-
19a rodada 08/09Dom-Santos
x
GoiásA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Botafogo
x
CorinthiansA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Flamengo
x
SantosA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-São Paulo
x
Ponte PretaA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Bahia
x
CriciúmaA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Internacional
x
VitóriaA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Goiás
x
CruzeiroA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Náutico
x
GrémioA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Atlético-MG
x
CoritibaA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Atlético-PR
x
FluminenseA definirA definir-
20a rodada 11/09Qua-Portuguesa
x
VascoA definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Vasco
x
São Paulo A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Fluminense
x
Portuguesa A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Corinthians
x
Goiás A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Vitória
x
Náutico A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Grêmio
x
Atlético-MGA definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Ponte Preta
x
Flamengo A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Criciúma
x
Internacional A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Cruzeiro
x
Atlético-PRA definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Coritiba
x
Bahia A definirA definir-
21a rodada 15/09Dom-Santos
x
Botafogo A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Vasco
x
Vitória A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Flamengo
x
Atlético-PRA definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-São Paulo
x
Atlético-MGA definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Bahia
x
Internacional A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Grêmio
x
Santos A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Ponte Preta
x
Corinthians A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Criciúma
x
Fluminense A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Cruzeiro
x
Botafogo A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Coritiba
x
Goiás A definirA definir-
22a rodada 18/09Qua-Portuguesa
x
Náutico A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Botafogo
x
Bahia A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Fluminense
x
Coritiba A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Corinthians
x
Cruzeiro A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Vitória
x
Grêmio A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Internacional
x
Portuguesa A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Goiás
x
São Paulo A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Náutico
x
Flamengo A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Atlético-MG
x
Vasco A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Atlético-PR
x
Ponte Preta A definirA definir-
23a rodada 22/09Dom-Santos
x
Criciúma A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Botafogo
x
Ponte Preta A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Flamengo
x
Criciúma A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-São Paulo
x
Grêmio A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Bahia
x
Vasco A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Internacional
x
Cruzeiro A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Goiás
x
Fluminense A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Náutico
x
Coritiba A definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Atlético-MG
x
SantosA definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Atlético-PR
x
VitóriaA definirA definir-
24a rodada 29/09Dom-Portuguesa
x
CorinthiansA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Vasco
x
InternacionalA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Fluminense
x
BotafogoA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Corinthians
x
BahiaA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Vitória
x
GoiásA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Grêmio
x
Atlético-PRA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Ponte Preta
x
NáuticoA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Criciúma
x
Atlético-MGA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Cruzeiro
x
PortuguesaA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Coritiba
x
FlamengoA definirA definir-
25a rodada 02/10Qua-Santos
x
São PauloA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Botafogo
x
GrêmioA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Flamengo
x
VascoA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-São Paulo
x
VitóriaA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Bahia
x
Ponte PretaA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Internacional
x
FluminenseA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Goiás
x
CriciúmaA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Náutico
x
CruzeiroA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Atlético-MG
x
CorinthiansA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Atlético-PR
x
CoritibaA definirA definir-
26a rodada 06/10Dom-Portuguesa
x
SantosA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Vasco
x
FluminenseA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Flamengo
x
InternacionalA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Corinthians
x
Atlético-PRA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Bahia
x
VitóriaA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Grémio
x
CriciúmaA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Ponte Preta
x
Atlético-MGA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Náutico
x
BotafogoA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Cruzeiro
x
São PauloA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Coritiba
x
SantosA definirA definir-
27a rodada 09/10Qua-Portuguesa
x
GoiásA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Botafogo
x
FlamengoA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Fluminense
x
GrêmioA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-São Paulo
x
CorinthiansA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Vitória
x
CoritibaA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Internacional
x
NáuticoA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Goiás
x
BahiaA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Criciúma
x
VascoA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Atlético-MG
x
CruzeiroA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Atlético-PR
x
PortuguesaA definirA definir-
28a rodada 13/10Dom-Santos
x
Ponte PretaA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Vasco
x
GoiásA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Flamengo
x
BahiaA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-São Paulo
x
NáuticoA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Vitória
x
BotafogoA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Grêmio
x
CorinthiansA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Ponte Preta
x
CoritibaA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Criciúma
x
PortuguesaA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Cruzeiro
x
FluminenseA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Atlético-PR
x
Atlético-MGA definirA definir-
29a rodada 16/10Qua-Santos
x
InternacionalA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Botafogo
x
VascoA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Fluminense
x
Ponte PretaA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Corinthians
x
CriciúmaA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Bahia
x
São PauloA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Internacional
x
GrêmioA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Goiás
x
Atlético-PRA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Náutico
x
SantosA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Atlético-MG
x
FlamengoA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Coritiba
x
CruzeiroA definirA definir-
30a rodada 20/10Dom-Portuguesa
x
VitóriaA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Botafogo
x
Atlético-MGA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Fluminense
x
VitóriaA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Corinthians
x
SantosA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Bahia
x
Atlético-PRA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Internacional
x
São PauloA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Ponte Preta
x
VascoA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Náutico
x
GoiásA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Cruzeiro
x
CriciúmaA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Coritiba
x
GrêmioA definirA definir-
31a rodada 27/10Dom-Portuguesa
x
FlamengoA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Vasco
x
CoritibaA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Flamengo
x
FluminenseA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-São Paulo
x
PortuguesaA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Vitória
x
CorinthiansA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Grêmio
x
BahiaA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Goiás
x
BotafogoA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Criciúma
x
Ponte PretaA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Atlético-MG
x
NáuticoA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Atlético-PR
x
InternacionalA definirA definir-
32a rodada 03/11Dom-Santos
x
CruzeiroA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Vasco
x
SantosA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Flamengo
x
GoiásA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Corinthians
x
FluminenseA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Bahia
x
Atlético-MGA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Internacional
x
BotafogoA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Ponte Preta
x
VitóriaA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Náutico
x
CriciúmaA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Cruzeiro
x
GrêmioA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Atlético-PR
x
São PauloA definirA definir-
33a rodada 10/11Dom-Portuguesa
x
CorítibaA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Botafogo
x
PortuguesaA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Fluminense
x
NáuticoA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-São Paulo
x
FlamengoA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Vitória
x
CruzeiroA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Grêmio
x
VascoA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Goiás
x
Ponte PretaA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Criciúma
x
Atlético-PRA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Atlético-MG
x
InternacionalA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Coritiba
x
CorinthiansA definirA definir-
34a rodada 13/11Qua-Santos
x
BahiaA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Botafogo
x
Atlético-PRA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Fluminense
x
São PauloA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Corinthians
x
VascoA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Vitória
x
SantosA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Grêmio
x
FlamengoA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Goiás
x
InternacionalA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Náutico
x
BahiaA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Cruzeiro
x
Ponte PretaA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Coritiba
x
CriciúmaA definirA definir-
35a rodada 17/11Dom-Portuguesa
x
Atlético-MGA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Vasco
x
CruzeiroA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Flamengo
x
CorinthiansA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-São Paulo
x
BotafogoA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Bahia
x
PortuguesaA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Internacional
x
CoritibaA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Ponte Preta
x
GrêmioA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Criciúma
x
VitóriaA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Atlético-MG
x
GoiásA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Atlético-PR
x
NáuticoA definirA definir-
36a rodada 24/11Dom-Santos
x
FluminenseA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Vasco
x
NáuticoA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Fluminense
x
Atlético-MGA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Corinthians
x
InternacionalA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Vitória
x
FlamengoA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Grêmio
x
GoiásA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Ponte Preta
x
PortuguesaA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Criciúma
x
São PauloA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Cruzeiro
x
BahiaA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Coritiba
x
BotafogoA definirA definir-
37a rodada 01/12Dom-Santos
x
Atlético-PRA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Botafogo
x
CriciúmaA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Flamengo
x
CruzeiroA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-São Paulo
x
CoritibaA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Bahia
x
FluminenseA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Internacional
x
Ponte PretaA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Goiás
x
SantosA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Náutico
x
CorinthiansA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Atlético-MG
x
VitóriaA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Atlético-PR
x
VascoA definirA definir-
38a rodada 08/12Dom-Portuguesa
x
GrêmioA definirA definir-