Magazine Luiza

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Ich!... E agora? Com a morte da terceira opção como ficará as eleições para presidente no Brasil?



Eduardo Campos morre em acidente aéreo em Santos

Eduardo Campos morre aos 49 anos em acidente aéreo em Santos. Presidenciável do PSB morre no mesmo dia - 13 de agosto - que seu avô, Miguel Arraes, que morreu em 2005

eduardo campos morre avião santos
Eduardo Campos morre em queda de avião em Santos (Edição: Pragmatismo Político)
O candidato à Presidência da República Eduardo Campos (PSB-PE) morreu na manhã desta quarta-feira, aos 49 anos, vítima de um acidente aéreo em Santos. A informação foi confirmada pelo coordenador-adjunto da campanha do PSB, Bazileu Margarido. O presidenciável do PSB morreu no mesmo dia que o seu avô, Miguel Arraes – 13 de agosto.
Eduardo Campos seguia do Rio de Janeiro para Santos para cumprir agenda eleitoral, mas o avião arremeteu por conta do mau tempo no litoral paulista. Ao menos cinco imóveis foram atingidos na queda da aeronave. A Rede Globo inicialmente informou que o candidato estaria acompanhado da mulher e de um dos filhos. O jornal O Estado de S.Paulo, no entanto, desmentiu a informação e garantiu que não havia familiares de Eduardo Campos no avião.
Marina Silva, vice de Eduardo Campos, não estava no avião. A ex-senadora, que embarcaria hoje na mesma aeronave de Campos, decidiu mudar a rota na última hora e embarcar em um avião de carreira com assessores.
A presidente Dilma Rousseff deve fazer um pronunciamento oficial ainda hoje. Ela cancelou a entrevista marcada para hoje à noite no Jornal Nacional e na Globo News.
Luciana Genro, candidata do PSOL à Presidência da República, lamentou morte de Eduardo Campos. “Minha solidariedade aos familiares e amigos. Esta eleição se transformou em luto!”, publicou no Twitter.
A Rede Sustentabilidade se pronunciou sobre a queda do avião de Eduardo Campos. “Todos estamos chocados com a morte de Eduardo Campos, em queda de avião hoje de manhã. Marina Silva segue agora para Santos (SP)”, divulgou o perfil do partido no Twitter.

Entrevista no Jornal Nacional

Após dar uma entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, na noite de ontem, Eduardo Campos deveria cumprir agenda eleitoral em Santos, onde, às 10h30, concederia entrevista coletiva na Praia do Mercado. Contudo, o presidenciável não compareceu aos compromissos e não era possível fazer contato com ele, preocupando os membros de sua campanha.

ANAC

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), o avião pertence a um particular (AF Andrade Empreendimentos e Participações Ltda.) e está com a documentação em dia.
“Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave. A Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os fatores que possam ter contribuído para o acidente”, diz a nota, assinada pelo brigadeiro do ar Pedro Luís Farcic, chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.

Biografia

Eduardo Campos nasceu em Recife, em 10 de agosto de 1965 e deixa a esposa, Renata Campos, e cinco filhos: Maria Eduarda, João Henrique, Pedro Henrique, José Henrique e Miguel. Era filho do poeta e cronista Maximiano Campos e neto do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, cassado durante o golpe de estado de 1964.
Campos formou-se em economia pela Universidade Federal de Pernambuco em 1985. Participou da campanha de Miguel Arraes ao governo de Pernambuco em 1986 e, com a vitória do avô, passou a atuar como chefe de gabinete e organizou a criação da primeira Secretaria de Ciência e Tecnologia do estado.
Filiou-se ao PSB em 1990 e foi eleito deputado estadual no mesmo ano. Disputou sua primeira eleição majoritária em 1992 para prefeitura de Recife, ficando em quinto lugar. Foi deputado federal por Pernambuco por três mandatos consecutivos, entre 1994 e 2007. Em 2004, foi nomeado ministro da Ciência e Tecnologia no primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006). Em 2005, assumiu a presidência nacional do PSB.
Foi governador de Pernambuco por dois mandatos consecutivos (2007-2014), com apoio de Lula. Foi reeleito com 82% dos votos em 2010. Em setembro do ano passado, liderou o afastamento do PSB do governo Dilma, com a entrega de todos os cargos na gestão. Deixou o governo do estado em abril deste ano, para disputar a presidência da República, tendo como vice a ex-senadora Marina Silva, da Rede Sustentabilidade.

 

 

Eduardo Campos morre em acidente aéreo

Candidato à Presidência da República estava em jato particular com mais seis pessoas. Campanha ainda não se manifestou. Marina Silva se dirigiu para o litoral paulista

Publicação Estado de Minas: 13/08/2014 11:24 
Eduardo Campos estava na aeronave junto com outras seis pessoas (Reprodução/Twitter)
Eduardo Campos estava na aeronave junto com outras seis pessoas

O candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB) morreu na manhã desta quarta-feira em um acidente aéreo em Santos (SP). O ex-governador de Pernambuco saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, para um compromisso no Guarujá (SP). O piloto tentou aterrisar, mas devido ao mau tempo, arremeteu e fez um novo procedimento de aproximação. Nesse momento, o jato caiu próximo ao Canal 3, bairro nobre de Santos, sobre uma academia de ginástica na Rua Vahia de Abreu, no Boqueirão. Além de Campos, também morreram no desastre aéreo o fotógrafo Alexandre da Silva, o assessor Carlos Augusto Leal Filho (Percol), os pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins; Pedro Valadares Neto e Marcelo Lira.



Casas foram atingidas com a queda da aeronave (Pato Rodriguez OK / Twitter)
Casas foram atingidas com a queda da aeronave
Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), os certificados de aeronavegabilidade e a inspeção anual de manutenção estavam em dia. A aeronave foi fabricada em 2011 e foi exposta na edição 2012 da LABACE, a feira de aviação executiva que acontece anualmente no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

O jato pertence ao Grupo Andrade Empreendimentos e Participações, com sede em Ribeirão Preto, mas estava à disposição da comitiva de campanha do candidato Eduardo Campos.
 
Repercussão

A morte de Campos deixou políticos e partidários estarrecidos. Ao Blog da Bertha, o candidato do PSB ao governo de Minas, Tarcísio Delgado, afirmou que está  "completamente traumatizado e em estado de choque". O prefeito de Belo Horizonte, prefeito Marcio Lacerda (PSB), diz estar chocado com o acidente. "É uma grande perda para o partido e para o processo democrático".
A assessoria de imprensa do deputado federal e presidente do PSB em Minas, Julio Delgado, informou que o líder do partido não está em condições de falar com a imprensa. “Ele tinha uma relação muito próxima com o Eduardo e por isso pedimos a compreenção neste momento difícil”, afirmou a assessoria.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, cancelou na tarde desta quarta-feira, 13, toda a agenda de hoje no Rio Grande do Norte e também os compromissos que estavam previstos em Patos, na Paraíba. Assim que seu avião aterrissou em Natal, Aécio recebeu as nformações sobre o acidente envolvendo a aeronave de Eduardo Campos (PSB) e desceu para dar uma declaração à imprensa.

"Estamos todos absolutamente perplexos com as notícias envolvendo o candidato e meu amigo Eduardo Campos. Estamos cancelando toda nossa genda no Rio Grande do Norte e as outras que teríamos", afirmou Aécio.

A presidente Dilma Rousseff cancelou a agenda de campanha pelos próximos três dias e fará um pronuncialmento na tarde desta quarta-feira.

Pelas redes sociais, autoridades e personalidades brasileiras lamentaram o ocorrido

 O PSB divulgou nota na tarde desta quarta-feira (13) em que lamenta a morte do ex-governador Eduardo Campos no "auge de sua brilhante carreira política" e diz que o perdeu "quando mais o Brasil precisava de seu patriotismo, seu  despreendimento, seu destemor e sua competência". Campos era presidente do partido.

Leia a íntegra da nota:

"No dia em que são passados nove anos do falecimento de Miguel Arraes, o Partido Socialista Brasileiro cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento, nesta data, vítima de acidente aéreo, do seu presidente, ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, nosso candidato à Presidência da República.

Aos 49 anos recém completados, Eduardo Campos vivia o auge de sua brilhante carreira política: deputado estadual, secretario de Estado de Pernambuco, deputado federal, ministro de Estado, governador de  Pernambuco reeleito por consagradora maioria, oferecia sua experiência e juventude ao serviço do País.

Candidato à Presidência da República, apresentou-se ao debate de nossas questões fundamentais, coerente com os princípios que sempre nortearem sua vida, e o primeiro deles era a busca por justiça social, razão de existência do Partido Socialista Brasileiro.

Perdemos Eduardo Campos quando mais o Brasil precisava de seu patriotismo, seu  despreendimento, seu destemor e sua competência.

Não é só Pernambuco e sua gente que perdem seu líder; não é só o PSB que perde seu líder. É o Brasil que perde um jovem e promissor  estadista.

Estamos todos de luto.

Brasília, 13 de agosto de 2014

Roberto Amaral
Primeiro vice-presidente do Partido Socialista Brasileiro"

Eduardo Campos (1965-2014)

Juca Kfouri


IMG_2131.JPG
Conheci Eduardo Campos durante a CPI da CBF na Câmara dos Deputados, em 2000.
Ele foi um dos mais atuantes e competentes membros daquela CPI, firme e eficaz em suas participações.
Estabelecemos ótimas relações, até por eu ser um admirador de seu avô, Miguel Arraes.
O reecontrei, com meus amigos José Paulo Cavalcanti Filho e Bob Fernandes, em janeiro de 2008, numa noite festiva na praia do Touquinho, perto do Recife.
Representante da nova política brasileira, Campos naquela noite contou como tinha sido sua negociação, meses antes, para fazer do Recife uma das sedes da Copa do Mundo.
Num encontro no Recife, no Palácio das Princesas, com o então presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que ele investigou na CPI e, portanto, sabia bem quem era, o ex-governador pernambucano foi claro: “Ricardo, nós não nos gostamos, mas Pernambuco tem de ficar acima disso.”
O próprio Teixeira dizia em seu círculo que de Campos não esperava nenhum ato desleal, porque o relacionamento obrigatório entre ambos era explícito.
Este é, entre outras características pessoais admiráveis, o novo político que o Brasil acaba de perder.
Uma tragédia.



 Avião Cessna, cai sobre casa ao lado de academia em Santos, no litoral de SP
Segundo Bombeiros, acidente aconteceu na Rua Vahia de Abreu.



Coordenador da Rede Rede Sustentabilidade diz que Marina está 'chocada' com morte de Campos

Candidata a vice na chapa do presidenciável Eduardo Campos (PSB) a ex-senadora Marina Silva abandou o estúdio onde gravava programa para o horário eleitoral gratuito em São Paulo e foi para casa. Segundo o coordenador da Rede Sustentabilidade, partido que Marina tenta criar, Bazileu Margarido, a candidata está em "chocada". "Ela está na casa dela chocada", disse ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.
Margarido afirma que além de Campos, a aeronave que caiu em Santos na manhã desta quarta-feira, 13, era ocupada por assessores técnicos da campanha.

Aécio cancela agenda e se diz 'perplexo' com acidente que matou Eduardo Campos

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, cancelou na tarde desta quarta-feira toda a agenda desta quarta-feira no Rio Grande do Norte e também os compromissos que estavam previstos em Patos, na Paraíba. Assim que seu avião aterrissou em Natal, Aécio recebeu as informações sobre o acidente envolvendo a aeronave de Eduardo Campos (PSB) e desceu para dar uma declaração à imprensa. "Estamos todos absolutamente perplexos com as notícias envolvendo o candidato e meu amigo Eduardo Campos. Estamos cancelando toda nossa agenda no Rio Grande do Norte e as outras que teríamos", afirmou Aécio. "Esperamos que as notícias que venham possam ser melhores que as iniciais. Neste momento, não há nada a fazer a não ser rezar e aguardar as informações oficiais, esperando e rezando todos para que as notícias sejam positivas", afirmou Aécio que ainda não tinha no momento notícias da confirmação da morte de Campos. O candidato do PSDB retornou à aeronave e seguiu para São Paulo.
Aécio foi recebido pelo candidato ao governo do Rio Grande Norte e presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB), que também cancelou sua agenda do dia.


Últimas 24 horas de Eduardo Campos foram intensas

O ex-governador de Pernambuco cumpria intensa agenda de campanha 
 
 Publicação: 14/08/2014 07:17 
 
 

 
Compromissos, metas, prazos e a necessidade de fazer o máximo sempre em um ritmo muito intenso. O ex-governador Eduardo Campos era conhecido pelo perfil dinâmico e ágil que exigia resultados de si e de quem estava ao seu redor. Para ele o tempo urgia e assim viveu suas últimas 24h. A terça-feira era um dia importante. À noite daria uma entrevista ao Jornal Nacional e, para isso, passou horas estudando. Treinou o discurso, revisou promessas, atualizou-se das notícias correntes.
 
Por nota, ontem, os entrevistadores Willian Bonner e Patrícia Poeta comentaram a passagem dele pelos estúdios da emissora. Era a primeira vez que conversavam pessoalmente com o candidato. Contaram que o clima nos bastidores foi tranquilo e que Campos sorria muito. "Comentei que as perguntas que fazemos sempre são as necessárias, que não surpreenderiam os assessores dele. Eduardo Campos retrucou, sorrindo: 'o problema é quando surpreendem o candidato'”, escreveu Bonner. A candidata a vice, Marina Silva, que acompanhava a agenda, chegou a brincar: “o media training dele foi com o Miguel”, o filho caçula do socialista.

A esposa, Renata Campos e filho Miguel estiveram com Eduardo durante toda a terça-feira. A única atividade pública dele no Rio de Janeiro era um encontro com Cardeal Acerbispo, Dom Orani Tempesta, que ocorreu às 14h na Arquidiocese da capital fluminense. Na volta para o hotel, cumprimentou funcionários os sempre sorridente. A um dos manobristas, deu um santinho com a foto dele ao lado da vice.

Pela tarde Campos recebeu ligações de lideranças políticas. A maioria para a fechar agendas. Entre as pessoas com quem falou, o amigo Beto Albuquerque (PSB). “Conversamos pouco antes da entrevista. Falamos sobre campanha e definimos a agenda para a quinta-feira. Era a inauguração do comitê central aqui em Brasília. Ele estava muito animado com tudo”, comentou o candidato ao Senado.

Eduardo Campos concedeu ainda outra entrevista naquela noite, esta para a Globo News. Voltou tarde para o hotel e dormiu ainda mais tarde. Era quase meia-noite e falava com aliados e amigos pelo telefone. Para eles, afirmava ter sentido que se saiu bem das entrevistas e que a campanha ganharia ainda mais fôlego. “Telefonei para ele após o programa. Conversamos sobre a entrevista e eu disse que ele tinha se saído muito bem. Ele se mostrou muito animado”, lembrou o candidato ao governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB). O socialista disse que Campos também fez várias perguntas sobre a campanha do correligionário. “A última frase que ele me disse foi: ‘se prepare que você vai governar o DF”.

Ontem, Eduardo Campos acordou cedo. Ligou para o irmão, Antônio Campos e às 7h40 saiu apressado do Hotel Sofitel, no Posto 6 da Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio, com destino ao aeroporto Santos Dummont. Despediu-se da esposa e do filho mais novo e embarcou, 9 minutos antes do previsto, às 9h21, rumo ao Guarujá. O avião modelo Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, caiu às 10h. Às 12h30 era confirmada a notícia de que Eduardo Campos, cinco integrantes da campanha e piloto e co-piloto haviam falecido.