Magazine Luiza

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Especial CES 2012 - Melhores reportagens sobre o evento

A CES (Consumer Electronics Show), é uma das maiores feiras de eletrônicos do mundo que reúne anualmente em Las Vegas os principais fabricantes de eletrônicos do mercado. Empresas como Microsoft, Samsung, LG, Nokia e Sony, por exemplo, mostram neste encontro suas principais apostas para o ano. Nesta edição, em 2012, o evento aconteceu de 10 a 13 de janeiro.

Site Oficial www.cesweb.org/

As maiores surpresas da CES 2012

Saiba quais foram os principais destaques da maior feira de eletrônicos do planeta.
A CES 2012 chegou ao fim, mas os produtos que estiveram expostos nos mais variados estandes durante a última semana estão apenas começando o seu ciclo de vida. Infelizmente, nem todos terão um futuro promissor. Alguns provavelmente jamais ganharão o mercado, enquanto outros são aguardados com ansiedade pelos consumidores.
O Tecmundo preparou uma seleção com alguns dos produtos que mais deram o que falar durante a feira, além dos momentos surpreendentes, capazes de deixar todos os espectadores constrangidos.

Project Fiona

(Fonte da imagem: Baixaki / Tecmundo)
Um tablet com potencial para rodar os principais jogos de PC existentes no mercado. Quando a Razer anunciou a novidade, de imediato a curiosidade foi geral. Inegavelmente, a proposta é tentadora. Entretanto, na prática, pode ser que a coisa não funcione muito bem.
A equipe do Tecmundo testou o aparelho, que conta com dois joysticks nas laterais. Pesado para carregar, desajeitado para jogar e com um touchscreen ainda ineficiente, a Razer terá que trabalhar duro para colocar o seu produto no mercado em condições de brigar com portáteis cada vez mais poderosos.

TV com resolução de 8K

(Fonte da imagem: Dvice)
Enquanto boa parte das empresas trazia como novidades aparelhos de TV com resolução de 4K, qualidade de imagem quatro vezes superior às atuais Full HD, a Sharp surpreendeu ao anunciar um aparelho com resolução de 8K. A definição é simplesmente 16 vezes maior do que a resolução HD.
A imagem com a impressionante resolução de 7680x4320 também foi conferida de perto pela nossa equipe. Mesmo próximo da tela, é quase impossível notar algum tipo de pixelização. Contudo, a qualidade de imagem ainda é inferior à das telas OLED.

Smart Windows: a janela da Samsung

(Fonte da imagem: Baixaki / Tecmundo)
No futuro, sua janela também será um equipamento eletrônico da marca Samsung. O mais novo produto da empresa sul-coreana é uma tela que, além de permitir que você visualize a paisagem, exibe uma série de informações em forma de widgets.
Se a vista lá fora não é das mais agradáveis, o produto disponibiliza uma persiana virtual, uma espécie de papel de parede que simula outros ambientes ou ainda transforma a sua janela em uma televisão.

Huawei apresenta o celular mais fino do mundo

(Fonte da imagem: The Verge)
É possível os celulares ficarem ainda mais finos? A chinesa Huawei demonstrou na CES 2012 que sim. O novo Ascend P1 S tem apenas 6,68 milímetros de espessura, 0,02 milímetros a menos do que o Arrows, da Fujitsu.
As configurações do aparelho também impõem respeito: processador dual-core 1,5 GHz, 1 GB de RAM e processador gráfico SGX540, o mesmo utilizado no Samsung Galaxy Nexus. Android 4.0 e tela Super AMOLED completam o smartphone.

Intel é pega forjando apresentação do DirectX 11

Era para ser uma demonstração e tanto do potencial dos novos processadores Ivy Bridge, da Intel. Para comprovar esse poderio, a empresa escolheu um jogo que exigisse o máximo do processador, executando o DirectX 11.
O que ninguém esperava é que, em vez de mostrar o game em tempo real, a empresa colocasse no telão um vídeo e, sem avisar, simulasse a apresentação. Uma pequena falha na reprodução denunciou o truque e a Intel precisou se desculpar no dia seguinte.

Justin Bieber na CES

(Fonte da imagem: Baixaki / Tecmundo)
O que é que o Justin Bieber foi fazer na CES 2012? Muita gente, inclusive a equipe do Tecmundo, está se perguntando até agora. Supostamente era para o artista apresentar um robô dançarino da empresa Tosy Robotics, mas o máximo que ele fez foi retirar o pano que cobria o produto e revelá-lo para o público.
Alguns fãs ficaram decepcionados por ele não dar nenhuma palhinha de uma de suas músicas. Outros visitantes, porém, ficaram felizes porque o tumulto em torno da sua chegada demorou pouco mais de 20 minutos.



Jogos de tabuleiro ganham variante tecnológica com a ePawn Arena

Publicação 17/01/2012 10h25 -Alessandro Iglesias Para o site TechTudo
Fãs dos tradicionais jogos de tabuleiro poderão se encantar com a ePawn Arena. O jogo  pretende unir o melhor dos dois mundo em um produto. O ePawn Arena é um tabuleito eletrônico de 26 polegadas, com ampla interatividade e recursos, que foi apresentado na CES 2012.
De acordo com o CEO da marca, Christophe Duteil, a tecnologia usada neste tabuleiro tecnológico não é equivalente à vista em tablets e demais gadgets com tela touchscreen. Ao contrário, o ePawn Arena utiliza o magnetismo presente na base de peças de personagens para informar ao sistema quais suas localizações e movimentações, o que daria menor tempo de resposta e agilidade em jogos.
ePawn Arena (Foto: Reprodução)ePawn Arena (Foto: Reprodução)
Esta arena de desafios e fantasias funciona conectada a dispositivos como um PC, ou geridos por sistemas operacionais Android ou iOS. Com a tela de seu jogo escolhido projetada na ePawn Arena, basta deslocar seus pequenos heróis e atacar adversários de acordo com a geografia do cenário do momento.

É claro que existem leis de restrição que deverão ser cumpridas, como por exeplo, a impossibilidade de atingir um Orc com uma bola de fogo caso ele esteja atrás de uma espessa parede de pedras. Tudo isso acontece com a ajuda de efeitos visuais que pretendem garantir maior imersão à partida; um exemplo disso é a emissão de vapores em labirintos subterrâneos.
Em termos de versatilidade, já existem cinco jogos para esta plataforma, e a previsão é de que mais desses sejam lançados em breve pela ePawn e, quem sabe, outras marcas, caso o Arena torne-se um fenômeno de vendas e utilização.
De olho em tornar-se a fronteira final dos tabuleiros de jogos, a ePawn Arena possui por enquanto somente um grande desafio a encarar: encontrar compradores interessados em investir os US$ 400 pedidos pelo brinquedo. Caso esteja em dúvida se esta compra compensa, dê uma espiada na demonstração da ePawn Arena em plena CES 2012:


..

O que muda nos notebooks depois da CES 2012?

Publicação 18/01/2012 11h43 Repórter Filipe Garrett Para o site TechTudo
A CES 2012 trouxe muita novidade na tecnologia. Mas uma das tendências mais interessantes que a feira apontou foi a consolidação de um novo formato para o velho notebook. A ideia dos ultrabooks, da qual a Intel é a responsável e grande patrocinadora, inclusive financeiramente, veio para ficar e dar vida nova ao mercado de PCs portáteis.
O que é um ultrabook?
Ultrabook da Lenovo (Foto: Divulgação)Ultrabook da Lenovo (Foto: Divulgação)
Em resumo, um notebook, mas com três grandes diferenciais em relação aos produtos anteriores deste nicho: pouco peso, bateria com mais fôlego e hardware potente. Até então, o consumidor tinha duas escolhas em termos de notebooks. Os ultra-portáteis com hardware raquítico, simbolizados pelos netbooks; e aqueles com desempenho bem superior, mas nada portáteis e com baterias que raramente sobrevivem a duas horas de uso.
Há demanda por ultrabooks?
Ela existe e a Intel identificou isso por observar o crescimento de vendas dos laptops da Apple. A linha de MacBook, mesmo os leves Air, aposta em oferecer o melhor hardware possível, portabilidade e boa experiência em termos de sistema operacional. A ideia do ultrabook é posicionar esta nova forma de encarar os PCs móveis como francos concorrentes dos MacBooks.
Então há mercado. Ao ponto de que a Intel, que serve os MacBooks com seus processadores, criar um fundo de US$ 300 milhões para incentivar o desenvolvimento de novos modelos pelos fabricantes parceiros da ideia.
Até que ponto o mercado de ultrabooks irá redefinir os PCs é algo ainda incerto. Mas pode ter certeza de que o notebook convencional, pesado, grande e não tão eficiente assim está próximo de ser substituído definitivamente pelos ultrabooks. O que é algo excelente para o consumidor.
Custo x Benefício
aspireAcer Aspire S5 (Foto: Reprodução)
Qualquer consumidor interessado em adquirir um computador estará sempre interessado em adquirir o melhor sistema e o melhor hardware que puder pagar. E se a ideia é que os ultrabooks sejam tão populares, um bom começo para garantir uma boa entrada dos diversos modelos no mercado é ter certeza de que os preços são competitivos.
A meta da Intel é estabelecer um teto de US$ 1000 dólares a unidade. Este valor é mais do que tudo simbólico. A ideia é que o fabricante consiga desenvolver um bom produto na faixa de US$ 800. Isso ainda não foi possível com a primeira geração de ultrabooks, mas lançamentos previstos para 2012 da Acer, Lenovo, HP e Dell ficarão perto deste valor. Para isso, contam com a ajuda da Intel, que se compromete a subsidiar até US$ 100 por unidade.
Então pense: você precisa de um computador portátil. Pode comprar um netbook bem barato, mas de capacidades limitadas. Pode comprar um notebook maior e parrudo, mas que você não terá conforto em carregar por todo canto. Pode também investir mais dinheiro e apostar nos produtos da Apple. Ou por menos, pode unir tudo que precisa no ultrabook.
Ultrabooks para ficar de olho
A Acer chamou bastante atenção com o Aspire S5, o mais fino do mundo. Ele tem apenas 15 mm no ponto onde é mais espesso. Outros modelos interessantes são o Dell XPS 13 e o HP Spectre. Todos com lançamento agendado para os próximos meses.
Além do S5, a Acer prepara a série Timeline, com modelos que oferece como principal destaque a duração da bateria que pode alcançar 8 horas. Outros fabricantes, como Samsung, Toshiba e LG demonstraram seus modelos.
Outros rumos do mercado de notebooks
yogaLenovo ThinkPad Yoga (Foto: Divulgação)
Os ultrabooks são a grande tendência, mas os fabricantes também mostraram outras apostas. Algo comum é a adoção de um formato híbrido de computador com tablet, fazendo uso das capacidades multiplataforma do Windows 8.
Com a nova interface Metro do sistema operacional da Microsoft será confortável digitar num teclado físico e interagir com uma tela touch. A ideia é oferecer as duas experiências em um único portátil. Um fabricante que se mostrou especialmente confortável com este conceito foi a Lenovo, que apresentou o IdeaPad Yoga: uma mistura de ultrabook com tablet.
Ultrabook é um termo que define um tipo de notebook, assim como netbook. Mas está tão fortemente ligado à Intel que a sua grande concorrente, a AMD, criou um nome diferente para os notebooks ultraportáteis com seus processadores: os ultrafinos. Estima-se que ao longo do segundo semestre os ultrafinos da AMD surgirão no mercado apostando nos chips Fusion.
ARM pode aparecer nos produtos mais baratos
O Windows 8 terá versões para processadores construídos no design da ARM Holdings. Ainda há muita incerteza sobre o desempenho destes processadores em aplicações mais pesadas e até mesmo na disponibilidade de softwares compatíveis com a plataforma.
Esta incerteza tende a fazer chips ARM comuns em notebooks de entrada, ou seja, com preço mais baixo. Chips ARM são famosos pelo baixo consumo de energia e versatilidade. São dois argumentos que certamente serão usados para acelerar as vendas dos dispositivos que usarem os processadores da arquitetura ARM.

Cada vez mais inteligentes  
Feira de eletrônicos em Las Vegas apresentou tendências que vão movimentar o mercado este ano. TVs que só faltam falar e ultrabooks devem receber investimentos especiais dos fabricantes  

Publicação: Jornal Estado de Minas 19/01/2012 - Caderno Inform@tica - Reporter Silas Scalioni Enviado especial a Las Vegas





Voz e gestos entram no lugar do controle remoto da smart TV da Samsung. Todo mundo quis interagir (Ethan Miller/Getty Images/AFP)
Voz e gestos entram no lugar do controle remoto da smart TV da Samsung. Todo mundo quis interagir
 Imponente, bela, gigantesca e inteiramente representativa do setor, a Consumer Electronics Show (CES) é sempre anunciada e esperada como um dos mais importantes eventos tecnológicos do mundo e o principal para o setor de eletrônicos de consumo. Realizada semana passada em Las Vegas (EUA), se por um lado a edição 2012 não lançou equipamento ou produto que se possa batizar de revolucionário, por outro, serviu para consolidar tecnologias mostradas em eventos anteriores e deixou claras algumas tendências.

Por exemplo: os fabricantes vão trabalhar para oferecer TVs com imagens cada vez mais definidas. Além disso, os aparelhos vão crescer em tamanho e se tornar ainda mais finos. E o mais importante: ficarão mais inteligentes e obedecerão às ordens do dono por comando de voz e movimento. Ou seja, o controle remoto como o conhecemos pode estar vivendo seus últimos dias, pois bastará ao usuário dar ordens ao aparelho (como liga, desliga, troque o canal etc.) simplesmente usando a voz.

Além disso, a conectividade da maior tela da casa à web, que atrai o interesse das novas empresas de software, fabricantes de aparelhos e gigantes da informática. Alguns fabricantes, como ficou demonstrado, produzem televisores que se conectam à internet com software da Google TV.

Outra clara tendência detectada na CES 2012 é o direcionamento das indústrias, na área da computação, para o desenvolvimento e fabricação de mais modelos do que se convencionou chamar de ultrabooks, que nada mais são do que uma interessante evolução dos notebooks. Mais finos, eles são equipados com processadores potentes, como o i5 e o i7 da Intel, disco rígido Solid State Drive (SSD), que não apresenta partes móveis, além de oferecer maior duração de bateria, com no mínimo carga de cinco horas.

E a guerra dos tablets, iniciada no ano passado, com certeza vai ficar ainda mais acirrada, principalmente sabendo-se que a Apple lança este ano o iPad 3. As fabricantes concorrentes, de fato, se preocupam com isso e, com certeza, pelo que se viu na CES 2012, não deixarão por menos. A busca pela menor espessura abrange esse tipo de equipamento, coisa que a Toshiba mostrou muito bem, apresentando aquele que é considerado o tablet mais fino do mundo.

Já a área de smartphones mostrou poucos destaques. Com exceção da Sony, que acabou a parceria com a Ericsson e lançou o seu Xperia; da Nokia, lançando o Lumia 900 com Windows Phone; e da LG, apresentando o Spectrum.  Muitas das novidades apresentadas na CES ainda não têm data para chegar às lojas, mas deverão estar nos mercados norte-americano, europeu e asiático já neste ano. Só depois é que poderão estar disponível ao usuário brasileiro.


Lançando moda para o mundo
A CES é realizada desde 1967, sendo que sua primeira edição foi em Nova York, sempre apresentando produtos que passaram a fazer parte da vida de todo mundo. Em 1970, por exemplo, ela apresentou o videocassete e, 11 anos mais tarde, lançou o CD e a câmera filmadora amadora. Em 1988 foi a vez de surpreender os amantes dos games com o famoso título Tetris. As TVs de alta definição começaram a ser conhecidas mesmo depois da feira de 1998. Em 2009, o principal produto apresentado foi o netbook e no ano seguinte a feira começou a fazer onda com as TVs 3D e os leitores digitais. Em 2011, os tablets com Android roubaram a cena.

Leia nesta edição especial do Informátic@ por que equipamentos ganharam mais destaque que outros e as razões pelas quais devem se consolidar ou não no mercado.


O céu é o limite 
As maiores do mundo, com imagens mais definidas, as de melhor conexão à internet e até comandadas à moda de videogame. As TVs espertas foram estrelas em feira nos EUA




Modelo de 55 polegadas, 3D e tela OLED, da fabricante sulcoreana LG, foi o vencedor do concurso oficial de melhor aparelho da CES (Ethan Miller/AFP)
Modelo de 55 polegadas, 3D e tela OLED, da fabricante sulcoreana LG, foi o vencedor do concurso oficial de melhor aparelho da CES
 Na CES 2012, foi interessante acompanhar a briga das empresas fabricantes de TV e descobrir qual oferecia o aparelho mais inteligente e de melhor definição. A maior televisão do mundo muitas anunciam ter, e fica-se realmente em dúvida até descobrir detalhes que diferenciam uma da outra. A conclusão é que, apesar de o número de polegadas diferir, nenhuma fabricante está mentindo. Só que uma TV é a maior medindo-se a diagonal. A outra é a maior produzida em tela OLED, enquanto a terceira pode ser a maior se considerada a adoção da tecnologia ultra definition. Pelo sim, pelo não, o prêmio de melhor aparelho da CES – competição oficial do evento levada a cabo pelo site de informação especializada Cnet mediante julgamento de um painel de especialistas em tecnologia – promete pôr mais lenha na fogueira do mercado das TVs, em que cada fabricante faz de tudo para superar os rivais.

O prêmio foi para a TV ultrafina da empresa sul-coreana LG Eletronics, apresentada como o maior televisor OLED do mundo. O modelo 3D de 55 polegadas (1,4 metro), que já havia sido anunciado dias antes da feira, foi mostrado pela primeira vez e fez sucesso. A TV, com tela de apenas 4mm de espessura, pesa 7,5kg. A LG não informou preço e a data de lançamento ao mercado do produto. A televisão, que deve custar cerca de US$ 5 mil, é aguardada no mercado no segundo semestre do ano.

Além da LG, Samsung, Sony, Lenovo e Panasonic apostam firmes na condição de ter o televisor mais inteligente. A tecnologia 3D ainda não emplacou de vez, mas está presente em todos os modelos lançados e segue como aposta da indústria.

GOOGLE TV No início da CES 2012, a Sony confirmou o compromisso de expandir o número de telas conectadas via Google TV – lançado em 2010 mas que ainda precisa ganhar força no mercado – com um reprodutor Blu-ray e um acessório inteligente equipados com o sistema. Tais dispositivos, para ampliar ainda mais o leque de novidades, deverão chegar acompanhados de um novo comando que também se mostrou tendência na feira: realização de buscas por meio de gestos e comandos de voz. "A televisão está se tornando rapidamente a porta de entrada de conteúdo da internet", afirmou o vice-presidente executivo da Sony, Kazuo Hirai, durante uma apresentação durante a feira.

Também o lançamento, pela LG, de uma tela com tal plataforma, demonstrou que as empresas continuam confiando no trabalho do Google. A empresa anunciou, inclusive, que está produzindo seus próprios chips para fortalecer as TVS com recursos on-line juntamente com controles de gesto e de voz. "Desde o início da revolução da smart TV, descobrimos que o conjunto das indústrias de chips nos deixou para trás não oferecendo alta performance", afirmou o responsável técnico da LG Electronics, Scott Ahn. "A partir deste ano, vamos aplicar nossos próprios chips da linha L a uma linha de TV premier. Acreditamos ter algumas grandes tecnologias que fariam da Google LG uma escolha popular", explicou Ahn.


COISA FINA
Bem parecida com a tecnologia AMOLED, adotada nos celulares. As telas OLED não precisam de luz de fundo ou lateral, o que permite, entre outras coisas, que a televisão seja extremamente fina. Elas contam com um contraste de cores melhor que as telas planas padrão de tecnologia LED.


MY SPACE
A Panasonic mostrou como maior surpresa a força que está dando para o ressurgimento do site de relacionamentos MySpace, que estava já agonizando e, depois de ser comprado pelo ator, cantor e compositor Justin Timberlak, está voltando com uma nova roupagem e com o nome de MySpace TV. Com a plataforma, os usuários dos novos televisores Panasonic Smart Viera conseguem compartilhar com seus contatos do MySpace o que estão assistindo, interagir com eles e dividir conteúdos. Na demonstração feita na CES, várias pessoas, em espaços diferentes, assistiram a um jogo de futebol americano e ao mesmo tempo comentaram lances e comemoraram os pontos do seu time, via televisor.


Hora da ultradefinição 
 
Fabricantes buscam cada vez mais imagem superior para suas TVs  (Ethan Miller/Divulgação)
Fabricantes buscam cada vez mais imagem superior para suas TVs
A Ultra Definition 84, um televisor que conta com resolução 4K e proporciona uma experiência em três dimensões das mais fantásticas foi outro destaque da LG. A UD 84 tem bordas finas e o acabamento é todo em metal. Mas é a resolução 4K e o seu 3D que realmente impressionam. As possibilidades de cores e contraste também são show. O modelo estará disponível nos Estados Unidos a partir de julho nos tamanhos 60", 72" e 84".

Para não ficar atrás das concorrentes, a Sony apresentou uma TV de ultradefinição com display LED feito de cristal. O protótipo de 55 polegadas em exibição da CES chamou a atenção pela qualidade de imagem, uma vez que o visor de cristal substitui os conhecidos pixels por minúsculos diodos emissores de luz. A tecnologia, que utiliza seis milhões de LEDs montados na frente da tela, apresenta qualidade de imagem claramente superior a outras tecnologias, como LCD e plasma.

Também a Toshiba divulgou um protótipo de TV de 55 polegadas e de ultradefinição, que deve chegar ao mercado americano ainda neste trimestre. O modelo, segundo a empresa, é um 3D que dispensa o uso de óculos especiais. Batizado de 55LZ2, tem uma tecnologia que separa até nove ângulos diferentes da imagem, mostrando visões independentes tanto para o olho direito quanto para o esquerdo. Assim, a visão não se altera, mesmo o espectador mudando de lugar.

Festa de pixels e zooms  
Tela touch, funcionalidades de smartphones e compactas possantes foram destaques entre câmeras fotográficas


Sem tantas novidades quanto em edições anteriores, houve bom espaço para as câmeras digitais. E a Polaroid aproveitou bem para mostrar o modelo HDSC1630 Smart, equipado com sistema Android. A máquina usa todos os benefícios relevantes de uma câmera point and shoot com os atrativos de um smartphone. Tem tela touch de 3,2 polegadas, 16MP de resolução com zoom óptico de 3x e 512MB de armazenamento interno (expansível para 32GB com cartão MicroSD). O modelo conta com conexão Wi-fi, GPS e acesso aos aplicativos do Google Market para Android. A HD SC1630 Smart chega ao mercado, segundo prevê a empresa, em abril e deve custar de US$ 299.

 A Canon, por sua vez, apresentou dois modelos compactos para a sua nova linha chamada Elph: 520 HS, com lente de 28mm e zoom de 12x; e a 110 HS, com lente de 24mm e zoom de 5x. As duas têm especificações comuns, como sensor CMOS, processador DIGIC 5, conexão com USB 2.0 e HDMI, opção para focagem automática e ISO mínimo de 100 e máximo de 3.200. A diferença fica apenas nos megapixels: a HS 520 tem 10.1MP enquanto a 110 16.1MP. Também se destacou a PowerShot G1X com sensor de 14,3MP, o maior da linha: 18,7 x 14. Ela ainda grava vídeos em 1.080p, conta com LCD de três polegadas e tem processador DIGIC 5. Está prevista para chegar ao mercado em fevereiro ao preço de US$ 800.

PEQUENAS ESPECIAIS Os novos modelos de câmeras apresentados pela Samsung, compactos, têm conexão Wi-fi, GPS e salvam fotos para Facebook, YouTube, Picasa, além de e enviá-las por e-mail. Os modelos são chamados de WB850F, WB150F e ST200F. A WB850F é a compacta de 16MP, com zoom de 21x e sensor CMOS, enquanto os outros dois modelos têm sensor tipo CCD. A WB150F é de 14MP e zoom de 18x; já a ST200F tem zoom de 10x e 12MP de resolução.

 A nova compacta da Panasonic apresentada na CES foi a S2, com 14MP, lente f3.1-6.5 28-112mm 4x com estabilizador de imagem e capacidade para gravar vídeos em HD. O LCD é de 2,7 polegadas. Além desse modelo, a empresa japonesa exibiu com destaque a ultracompacta Lumix FH8, que tem lente Leica de 24-120mm, zoom de 5x, LCD de 3 polegadas e conexão USB.

 Tradicional nesse segmento, a Sony preparou um trio de compactas para lançar na feira. Os modelos DSC-W610, DSC-W620 e DSC-W650 apresentados são para o segmento de pessoas que querem ter uma câmera para gravar vídeos, tirar fotos e armazenar o conteúdo no PC. E a um preço que não fuja muito de R$ 280. Pois os modelos são assim e gravam em HD com resolução máxima de vídeo de 720p. Todas têm acima de 10MP de resolução.

 Por falar em gravar em HD, a FujiFilm apresentou a X PRO 1, uma câmera de 16MP num sensor APS-C CMOS. O modelo conta com três novas lentes: f2 18mm, de 35mm f1.4 e 2.4 60mm, além de saída para vídeos usando um mini-HDMI. Segundo a empresa, a máquina vai receber novas lentes até chegar ao mercado, em fevereiro, com preço sugerido de US$ 650.


CÂMERA TOP

 (Ethan Miller/AFP)

A Nikon D4 custa a bagatela de US$ 6 mil e convence a clientela a gastar cada centavo em sua compra. Além do chassi de liga de magnésio e 16,2 milhões de pixels no formato FX, a câmera traz os recursos de ser controlada por iPod ou iPhone e captura de vídeos em três ângulos diferentes.



E MAIS...
Carros autônomos

As empresas automotivas investem em veículos semiautônomos, nos quais o computador de bordo controla os freios e/ou volante, por exemplo. De vilões, os smartphones podem virar aliados dos dispositivos de segurança. A Ford apresentou um aparelho para evitar que o motorista mude de fila de repente. Na marca Mercedes, uma manobra perigosa pode ter a trajetória corrigida por rodas que freiam sozinhas.

Sapatos motorizados
Eles foram sensação durante a feira. Com o nome de spnKiX, o calçado, que é uma mistura de bota de esqui e patins com grandes rodas, deve ser ajustado, com correias, ao seu sapato normal. O dispositivo alcança uma velocidade de até 16 km/h. A invenção é de Peter Treadway, desenhista industrial de Los Angeles. É possível deslocar-se de três a cinco quilômetros antes de recarregar a bateria.  A partir de março os sapatos podem ser comprados, a US$ 649.

Relógio inteligente
O acessório chamou a atenção ao levar a conexão à web aos punhos. O SmartWatch e o i’m Watch foram lançados, respectivamente, pela Sony e a Watch. Os modelos têm sistema operacional Android e permitem checar e-mails, curtir músicas ou acessar qualquer outro conteúdo da internet. O SmartWatch, touchscreen, fará conexão com celulares por meio de Bluetooth, e deve chegar ao mercado em março com preço de US$ 149. Já o i’m Watch, de pulseiras de silicone, já está disponível por US$ 350. O relógio faz chamadas telefônicas, recebe atualizações de redes sociais e acessa álbuns digitais.




TVs exibidas na CES 2012 aposentam o controle remoto

Publicação Site G1 - 11/01/2012 19h06 Reporter Gustavo Petró Do G1, em Las Vegas (EUA)


G1 testa aparelho da Samsung com comando por voz e por gestos.
Sony mostra televisor com 6 milhões de LEDs na feira.

Em 2012, as televisões terão imagens ainda mais definidas, ficarão maiores, mais finas, mais inteligentes e mais "obedientes". A Consumer Electronic Show (CES) 2012, maior feira de eletrônicos do mundo, decreta que o controle remoto está prestes a se aposentar:  nas próximas TVs, usando só a voz, o dono poderá trocar de canal, aumentar ou diminuir o volume, ligar e desligar o aparelho. E ele reconhecerá quem sentou no sofá, apresentando conteúdo diferenciado conforme o "cliente".
Na CES, a briga é para ver qual empresa entre Samsung, Sony, Lenovo e LG, tem a TV mais inteligente. Para vencer, todas buscam copiar algo que dá muito certo em outro ramo: os videogames, mais especificamente, um acessório deles, o Kinect.
Tal qual o sensor de movimentos do Xbox 360, da Microsoft, o protótipo de TV da Samsung, por exemplo, reconhece os usuários que sentam em sua frente, atende a comandos de voz e capta os movimentos de quem está assistindo (veja demonstração no vídeo acima).
Televisor é fino e com pouca borda, dando a sensação de que a imagem 'flutua' na parede (Foto: Gustavo Petró/G1)Televisor da Samsung usado em teste é fino e com
pouca borda, dando a sensação de que a imagem
'flutua' na parede (Foto: Gustavo Petró/G1)
O G1 testou o aparelho da Samsung. A experiência começou com ordens ditas em inglês, como: “TV, ligar”, “TV, canal 1048” e “TV, aumente volume” -todas "obedecidas" prontamente. O funcionamento é bastante simples e o aparelho reconheceu de imeditato os comandos de um “estranho”. Até mesmo buscas na web (a TV se conecta na internet por meio de Wi-Fi, utilizando o serviço do Bing, da Microsoft) foram possíveis usando apenas a voz.
Acertar o volume é problemaPode parecer novidade, mas comandos de voz muito parecidos existem no Kinect desde 2010 -- o recurso, porém, não está disponível no Brasil. Ao falar “Xbox, games”, o videogame mostra os jogos do usuário; “Xbox, amigos”, e a tela de amigos do usuário aparece. Mas é a primeira vez que esses recursos estão embutidos em um televisor. Porém, por se tratar de um protótipo, a Samsung terá um pouco mais de trabalho pela frente antes de colocar o aparelho no mercado.
TV inteligente da Samsung reconhece o usuário, capta movimentos e obedece comandos de voz, além de ser super fina (Foto: Gustavo Petró/G1)TV inteligente da Samsung reconhece o usuário,
capta movimentos e obedece comandos de voz,
além de ser super fina (Foto: Gustavo Petró/G1)
Há alguns pontos que necessitam de revisão. Falta, por exemplo, a possibilidade de mudar de canal ao dizer o nome da emissora, em vez do número. Aumentar e baixar o volume também é um problema, pois, ao dar a ordem, o som aumenta aos poucos, número por número. Talvez por isso a fabricante ainda não pensa em abandonar o controle remoto: o acessório deverá vir com o televisor, de acordo com um representante da empresa.
Gestos para se conectarPor se tratar de uma TV inteligente e conectada na internet, o usuário pode utilizar uma série de recursos na área chamada Smart Hub, que apresenta aplicativos e navegador de web. Para acessá-lo, claro, basta dizer “TV, Smart Hub”. Nesta tela, é possível usar o sensor de movimentos do aparelho para acessar fotos, vídeos e músicas, além do browser. Curiosamente, para acionar o uso de movimentos, é preciso acenar para a TV -- o mesmo gesto usado no Kinect.
Câmera e microfones estão acoplados na parte superior do televisor (Foto: Gustavo Petró/G1)Câmera e microfones estão acoplados na parte
superior do televisor (Foto: Gustavo Petró/G1)
A área Smart Hub, quando o aparelho reconhece o usuário por meio da câmera que fica na parte superior da tela, irá apresentar aplicativos e conteúdo exclusivo para ele.
Navegar na internet usando as mãos é simples: basta mover a mão para o link desejado e, para clicar nele, é preciso fechar as mãos. A Samsung afirma que a TV irá entender que o usuário deseja acessar aquele conteúdo e, por isso, a mão não precisa estar exatamente em cima do link.
O televisor, que deve chegar ao mercado até o final de 2012, segundo a companhia, ainda terá aplicativos, entre eles um para fazer exercícios e games. O design deve mudar pouco: a TV é extremamente fina e as bordas quase não existem.
TV com AndroidA chinesa Lenovo anunciou, mas, na conferência com a imprensa, não demonstrou os comandos por voz de sua K91Smart TV, que conta com sistema o sistema operacional Android 4.0, conhecido como Ice Cream Sandwich. Segundo a marca, o aparelho vem ainda com câmera de 5 megapixels que poderá reconhecer o usuário. Conversas com vídeo também estarão disponíveis utilizando um aplicativo. O televisor deve chegar ao mercado chinês ainda neste ano.
LG mostrou a maior TV de OLED do mundo, tecnologia que mostra cores mais vivas (Foto: Gustavo Petró/G1)LG mostrou a maior TV de OLED do mundo, tecnologia que mostra cores mais vivas (Foto: Gustavo Petró/G1)
Em busca da melhor definição
Depois do plasma, do LCD e do LED, evolução que melhorou a qualidade e o tempo de resposta nas imagens, eliminando o borrado, a tendência na CES 2012 é o OLED. Abreviação para organic light-emitting diode (diodo orgânico emissor de luz, em tradução), ela resulta em cores ainda mais vivas do que as TVs de LED existentes no mercado.
A tecnologia, até então, era usada em celulares, com telas que não passavam de 5 polegadas. Mas a LG apresentou sua TV OLED de 55 polegadas que, segundo ela, é a maior do mundo. Na apresentação com imagens em 3D, foi possível perceber que as cores são mais próximas do real e que a imagem não borra quando há movimentos mais bruscos.
TV de OLED é tão fina que fica difícl mostrar sua espessura na foto (Foto: Gustavo Petró/G1)TV de OLED é tão fina que fica difícil mostrar sua
espessura na foto (Foto: Gustavo Petró/G1)
Mesmo com imagens melhores, o destaque do OLED é permitir a fabricação de televisores finos, com poucos milímetros de espessura e praticamente sem bordas. Ao ficar pendurado em uma parede, ele mais parece um quadro flutuando.
A Sony apostou em outra tecnologia em suas TVs, chamada de Crystal LED. Em vez de usar apenas uma luz de LED, como normalmente é feito, são usadas 6 milhões de pequenas luzes de LED que agem em conjunto para apresentar as imagens. O sistema é similar aos vistos nas grandes telas de estádios, que usam pequenas luzes de LED para compor a imagem, só que em escala reduzida.
O resultado é que as imagens da Crystal LED, que ainda não tem previsão para chegar ao mercado, apresentam maior constraste. Ao colocar uma TV de LED comum ao lado do novo modelo, a diferença é gritante: as cores preta e branca ganham tons mais fortes, deixando as imagens com tonalidades mais realistas. A Sony afirma que, em imagens com muito movimento, não há nenhum efeito de borrado. Assim, em uma partida de futebol, o espectador verá até a jogada mais veloz sem perder nenhum detalhe.
Cadê o 3D?

Tendências da CES 2010 e 2011, as TVs 3D ainda não caíram no gosto do público, embora elas apareçam aos montes nos pavilhões do evento. Mas já que muitos reclamam de ter que usar óculos, as companhias começam a investir em aparelhos que reproduzem imagens tridimensionais sem a necessidade deles. Mas fazem isso discretamente.
A Sony, por exemplo, tem um televisor de 52 polegadas que apresenta imagens em 3D sem a necessidade de óculos. A definição e a qualidade das cores é boa, mas fica abaixo do que é esperado para aparelhos do tipo. Até mesmo a sensação profundidade é inferior e não há aquele efeito de que o objeto lançado pelo herói do filme vai saltar para fora da tela. Tudo é muito sutil, o que indica que a tecnologia deve ficar em desenvolvimento por mais alguns anos.
Televisão da Sony com tecnologia Crystal LED, com 6 milhões de pequenas luzes de LED (Foto: Gustavo Petró/G1)Televisão da Sony com tecnologia Crystal LED, com 6 milhões de pequenas luzes de LED (Foto: Gustavo Petró/G1)

Mantendo a tradição pelo último ano, a Microsoft faz o show principal no dia anterior à abertura da CES para convidados e participantes, além da imprensa. Steve Ballmer e um time de executivos sobe ao palco mais importante para revelar para os presentes ao evento em Las Vegas e a uma audiência global pela internet quais são os destaques da MS para o ano que se inicia – na verdade, nada de essencialmente novo, mas a empresa fez questão de sublinhar.
Confira abaixo os pontos mais importantes da apresentação de Ballmer e da Microsoft. Mas antes, o vídeo apresentado no evento comemorando a parceria de longa data entre a CEA, a associação de eletrônicos de consumo (organizadora da CES) e a MSFT.
Windows Phone. ”Nós utilizamos os mesmos sistemas nos quais os seus amigos estão: Facebook Messenger e Windows Live Messenger.” Entre os parceiros para o WP estão Samsung, HTC, LG e Nokia, que lançou o Lumia 900 em uma coletiva pré-CES. A variedade e diversidade é incrível e a qualidade do que foi feito também. São mais de 50 mil apps até agora, com mais 300 novos apps a cada dia no Marketshare do Windows Phone.
Metro. O visual Metro usa literalmente todos os pixels disponíveis na tela.
Windows Store. Apps são os que fazem a experiência do Windows 8. A Windows Store será o local para encontrar apps pagas e gratuitas. “Nós queremos fazer o melhor trabalho possível para conectar as pessoas com bons aplicativos.” Cut The Rope, o joguinho casual, foi refeito em HTML5 para funcionar direitinho com o Windows 8. A loja vai abrir no fim de fevereiro para todos os países nos quais há Windows. No Brasil teremos uma loja em português com cobrança em reais.
Semantic Zoom
Semantic Zoom. O usuário pode usar os movimentos de pinça para ver todos os aplicativos na Home Screen do Windows 8. Caso não queira, ele também tem a opção de utilizar o mouse e o teclado para navegar entre os aplicativos. Por meio do Semantic Zoom o usuário ainda tem a opção de criar “pastas” de aplicativos.
Windows 7. São 7 novas licenças vendidas por segundo, configurando como o sistema operacional mais vendido de todos os tempos. Ballmer promete que todos os PCs rodando atualmente o Windows 7 vão suportar o futuro sistema operacional sem problemas nem engasgos.
Xbox 360. Com a nova Dashboard fica fácil acionar comandos simplesmente ao falar com o videogame. E o Bing integrado faz busca em jogos, músicas, filmes e tudo o mais armazenado no console da Microsoft bem como na Live.
Essa gente toda no painel são parceiros da Microsoft no Xbox
Entretenimento. Com uma infinidade de parceiros, a Microsoft quer fazer do Xbox a central de entretenimento para a família. Fecharam acordo com algumas operadoras de televisão por assinatura nos Estados Unidos e com a Fox – para conteúdo da emissora e do jornal WSJ, entre outros.
Televisão interativa. Por meio do Kinect, uma criança convidada pela Microsoft interagiu com um episódio de “Vila Sésamo” feito especialmente para o console. O rebento não só falava com o personagem como tinha seus movimentos capturados pelo acessório. Parece um jogo de videogame, mas eles dizem que é interação com um episódio de série televisiva. Em dado momento, a imagem capturada pela câmera do Kinect era repetida no televisor com itens digitais, criando uma realidade alternativa totalmente interativa.
Kinect no Windows. Ballmer anunciou que o acessório chegará ao Windows em 1º de fevereiro, “em apenas algumas semanas”.
Ryan Seacrest, apresentador de televisão, e Steve Ballmer, CEO da Microsoft
Buscador. Bing e Yahoo detém, combinados, 30% do mercado de buscas nos Estados Unidos.
A próxima grande coisa. ”Metro, Metro, Metro! Windows, Windows, Windows!” Não preciso nem dizer de quem é a pérola.



CES 2011 x CES 2012: veja quais, dos principais gadgets, chegaram ao Brasil

Publicação:CES 2012 | 16 de janeiro de 2012  Site http://itweb.com.br
Quem é brasileiro sabe o quanto demora para uma novidade tecnológica apresentada por empresas internacionais chegar por essas bandas. E quando o assunto é Consumer Electronics Show – a maior feira de tecnologia para consumo do mundo -, onde cada produto mais legal que o outro é lançado, a ansiedade (para não dizer frustração) é ainda maior. A edição deste ano da feira, a CES 2012, acabou, com uma prateleira gigante, com 20 mil produtos apresentados. Quais deles vão chegar ao Brasil ainda é um mistério, mas é possível ter uma ideia com base no desempenho da CES 2011.
Selecionei uma lista com as principais tecnologias apresentadas na CES 2011 na avaliação da InformationWeek EUA – nossa parceira de conteúdo nos Estados Unidos – para termos uma ideia de como fica o pós-feira, em especial para o Brasil. Ressalto que a lista não chega nem perto de ter uma amostragem científica ou algo do tipo: foram os produtos que mais chamaram a atenção da equipe do IT Web, aqui na redação. Mas nada impede que você, que está lendo estas linhas, tenha outras opiniões. Se isso acontecer, compartilhe conosco comentando este post.
Alguns dos produtos apresentados, como os da Vizio, sequer eram encontrados em revendas online pela internet, tamanha a falta de penetração e presença da marca no Brasil. E fica aqui registrado um agradecimento à equipe de assessoria de imprensa das empresas citadas que, mesmo diante da correria da semana da CES, cavaram tempo onde não tinha para levantar dados e auxiliar na produção deste material.
  • Dell
2011. Comecemos pela Dell. No ano passado, uma galeria inteira foi dedicada a produtos da marca: o tablet Android Streak 7 e a linha de notebook e desktop Alienware Aurora, voltada para games, que prometia visão e interação 3D.
Agora. Nenhum dos dois é encontrado aqui: o tablet de sete polegadas foi descontinuado no mundo inteiro e nem chegou a dar as caras no Brasil. O Alienware Aurora, por sua vez, foi vendido por aqui, mas essa facilidade já acabou. Quem quiser comprar um dispositivo deve buscar em lojas nos Estados Unidos.
Promessa 2012. Além de um ultrabook, o  XPS13, em parceria com a Intel, a  companhia confirmou o lançamento de um tablet ainda neste ano, mas não deu detalhe algum sobre suas características. As apostas são de que ele venha com o Windows 8 como sistema operacional, depois da derrapada com a estratégia do Android. Como a versão para tablets do sistema operacional da Microsoft ainda não é comercializado em nenhum lugar do mundo, talvez leve algum tempo. Será que este virá para o Brasil?
  • Samsung
2011. Fino. Esta é a palavra que definiu a linha de televisões e monitores multifuncionais (MFMs) 3D que a companhia lançou no ano passado. Estes, na verdade, foram os itens que mais chamaram a atenção à época, pelo menos no caso dos jornalistas da InformationWeek EUA que produziram o conteúdo de cobertura. O Galaxy Tab, um dos tablets considerados como potencial competidor do iPad – travando, inclusive, batalhas judiciais sobre quebra de patente ao redor do mundo – já estava no mercado em 2010, mesmo ano de lançamento do precursor.  Um dado interessante: o tablet, que roda Android, chegou ao Brasil antes mesmo do iPad.
Agora. A companhia não respondeu à solicitação de detalhes sobre o andamento dos lançamentos por aqui. Como não havia o modelo dos itens apresentados na CES 2011, em uma busca mais informal no site da companhia, é possível ver a disponibilidade de telas 3D em geral, seja televisor ou monitor.
Promessa 2012. A nova versão do Galaxy Tab, com 7.7 polegadas.O que chama a atenção para o produto é que, além do processador dual core de 1.4GHz e suporte à HTML 5, ele tem menos de oito milímetros de espessura e 345 gramas de peso. Nos Estados Unidos, ele irá com tecnologia 4G. No Brasil, deve vir com 3G mesmo.
  • Ford
2011. A Ford prometia carros mais integrados à nuvem e com características de software. A ideia era deixar o ambiente mais parecido com um computador sobre rodas, agregando funcionalidades e facilidades.
Agora. A companhia cumpriu a promessa. Em outubro do ano passado, foi apresentado o New Fiesta Hatch 2012 que oferece tecnologias avançadas para a interatividade, encontradas somente em automóveis de segmentos de luxo e de preço mais elevado. Ele é feito sistema multimídia Sync, desenvolvido pela Ford em conjunto com a Microsoft, com comando de voz em português.  A conexão Bluetooth permite realizar as principais funções do celular sem precisar tirar as mãos do volante: atender e fazer ligações, consultar a agenda, ler e enviar mensagens de texto com comando de voz – o sistema lê as mensagens para o motorista –, além de executar músicas arquivadas na memória no telefone.
Promessa 2012. O Focus Eletric, que virá com redes sociais, tendências hypermiling – que é a tentativa de percorrer o maior número de quilometros por litro – e com o aplicativo MyFord Mobile, que, de acordo com a companhia, ajuda o motorista a preservar o meio ambiente. O MyFord Mobile mostra as informações sobre a carga da bateria do carro e aponta onde estão as estações de carregamentos mais próximas. De acordo com a Ford, o app ainda planeja as rotas e pode ajustar o clima ao agir como um controle remoto. Além disso, engenheiros da Ford Europa desenvolveram um banco de carro capaz de monitorar o batimento cardíaco do motorista, abrindo novas possibilidades para salvar vidas e também para o bem-estar e conveniência a bordo. O sistema, desenvolvido pelo Centro Europeu de Pesquisa e Inovação da Ford em Aachen, na Alemanha, junto com o centro técnico da Universidade de Aachen, usa seis sensores especiais embutidos no banco para detectar os impulsos elétricos do coração. O projeto ainda está em fase de pesquisa experimental.
  • AMD
2011. Um destaque da CES 2011 para a AMD foi a nova família de Accelerated Processing Unit (APUs), que prometia maior performance na vida útil da bateria, melhor qualidade de vídeo e melhor experiências em jogos por preços mais baixos.  Segundo a empresa, a tecnologia une o processador e o processador gráfico em apenas uma pastilha de silício, melhorando capacidade gráfica, tornando a execução de vídeos, acesso a internet, jogos e aplicações Windows muito mais rápidas e ricas em detalhes.
Agora. Segundo a AMD, as tecnologias AMD, assim que lançadas passam para a comercialização em nível mundial. Pode existir algum delay em alguns países, no entanto o intervalo entre lançamento e comercialização de cada produto nunca é maior do que 3 meses. A companhia garante ainda que nenhuma das tecnologias lançadas na CES 2011 foi descontinuada.
Promessa 2012. A promessa é muito mais um conceito do que um produto em si: “estilo de vida digital com ainda mais valor para o usuário final”, contemplando produtos com melhor desempenho gráfico e menor consumo de energia. Entre os exemplos para este ano foram detalhados tablet, notebooks e placas gráficas de última geração AMD RadeonTM com a tecnologia AMD Eyefinity.
  • LG
2011. O burburinho do ano passado em torno dos lançamentos da LG na CES foram o smartphone Android LG Optimus Black e do tablet, também com base Android, G-Slate.
Agora. A companhia foi uma das que não respondeu às solicitações. De qualquer forma, o smartphone Optimus Black pode ser comprado no Brasil, estando disponível, inclusive, via site da empresa. Já o tablet não deu as caras no Brasil, mas é possível encontrá-lo no site da marca dos Estados Unidos.
Promessa 2012. Nada poderia chamar mais a atenção do que a Google TV da companhia. De acordo com comunicado oficial, a televisão virá com sistema operacional Android e tecnologia 3D, aliada ao conceito de Smart TV.
  • Asus
2011. A grande vedete da CES 2011 para a Asus foi o Eee Slate EP121, um tablet com tela de 12 polegadas, com Windows 7 e que prometia ser o mais poderoso do mundo.  Outros citados pela companhia foram o Eee Pad Transformer, tablet Android 3, com tela de 10,1 que podia ser transformado em um netbook por meio de um acessório chamado Eee Station; e o Eee Pad Slider, tablet com a mesma configuração do Transformer mas que possui um teclado embutido, que desliza conforme a necessidade do usuário.
Agora. O Eee Pad Transformer e o Eee Pad Slider podem ser adquiridos no Brasil. O mais legal de todos, o EP121 ainda não é comercializado por aqui “e não temos previsão de lançamento no País”, informou o gerente de marketing da ASUS, Güido Alves.
Promessa 2012. Novos modelos da família de Ultrabooks TM. Entre eles o Zenbook, que possui linhas elegantes e um design em círculo concêntrico, com apenas nove milímetros de espessura na parte de trás que chega aos três milímetros na frente.  Além disso, a companhia citou o tablet Eee Pad Transformer Prime TF201, que possui processador Nvidia Tegra 3 de quatro núcleos e planos de atualização para o Android 4.0 Ice Cream Sandwich. Foi citado também um tablet da série Transformer 700 com opção de tela de 10,1 polegadas.
  • Motorola
2011. Durante a Consumer Electronics Show de 2011, a Motorola Mobility apresentou dois itens interessantes:  o smartphone Atrix e o tablet Xoom. O smartphone, com processador Dual Core de 1GHz e 1GB de memória RAM,  ganha leitura de um notebook quando acoplado a uma dock station. O Xoom, por sua vez, veio com 10,1 polegadas, widescreen com 1200 x 800 pixels, e é alimentado com processadores dual-core de 1GHz.
Agora. Ambos os produtos foram lançados em abril de 2011, em um tempo bem curto.
Promessa 2012. Smartphone Droid 4, com teclado Qwerty, suporte à rede 4G LTE e sistema operacional Android 2.3.5 Gingerbread – que será atualizado para o Android 4.0 Ice Cream Sandwich. Outra aposta é a Casa Integrada, ou Connected Home Gateway, que é a chave de inovação da companhia para a divisão de home. A aposta também é nos televisores que dão acesso a redes sociais e a conteúdos em múltiplos dispositivos.
  • Lenovo
2011. Foram, ao todo, 20 produtos, entre eles o ThinkPad Tablet, tablet corporativo com Android 3.1; ThinkStation E30, Workstation com tecnologia Intel vPro;  IdeaPad U300s, ultrabook de varejo com processador Intel Core i; e  IdeaPad Tablet K1, tablet de varejo com placa NVidia Tegra 2.0 T20 integrada.
Agora. A companhia garante que mantém o portfólio, com uma ou outra atualização, mas sem descontinuar nada.  Ainda, ela detalhou que todos os produtos podem ser encontrados no Brasil, mesmo os que não são produzidos por aqui. “O único mercado que não estamos focando no Brasil, e o qual a Lenovo tem um grande foco especificamente na China, é o de telefonia móvel”, pontuou Jaison Patrocínio, diretor de produtos da Lenovo no Brasil.
Promessa 2012. As apostas foram maiores na CES 2012: 32 produtos, além do conceito de computação em nuvem, o Personal Cloud” Vision, tecnologia em nuvem que integra dispositivos em quatro plataformas: tablets, PCs, smartphones e Smart TV. O portfólio vai desde os produtos da linha ThinkPad, como o novo notebook X1 hibrido (que pode rodar Windows e Android no mesmo equipamento), como o novo IdeaPad A720, o mais novo computador all-in-one com tela de 27 polegadas.