Magazine Luiza

quinta-feira, 7 de março de 2013

MWC 2013 - Mobile World Congress 2013 - Principais Reportagens

Descrição

O MWC 2013 aconteceu entre os dias 25 e 28 de fevereiro e traz lançamentos na área de smartphones e tablets da Samsung, Sony, Nokia e LG, dentre outras companhias. O MWC, ou Mobile World Congress, é o maior evento de telecomunicações e dispositivos móveis do mundo. Sediado em Barcelona, na Espanha, o congresso reúniu as principais fabricantes de tecnologia para mostrar suas novidades.
Site Oficial: http://www.mobileworldcongress.com/2013-preview/


A ordem é baratear  
Principal evento da indústria de celulares e tablets, o Mobile World Congress mostrou a intenção das fabricantes em colocar smartphones com preços acessíveis no mercado


Publicação: Jornal Estado de Minas 07/03/2013 Caderno Inform@tica - Repórter Bruno Silva 

 (Albert Gea/Reuters)


Barcelona – No que depender das fabricantes de celulares, o smartphone vai ficar cada vez mais popular. No Mobile World Congress 2013 (MWC), que ocorre anualmente na Espanha, os aparelhos de baixo custo ganharam bastante espaço – e foram estrelas de alguns estandes. Essa e outras tendências marcaram o principal evento da indústria dos dispositivos móveis, que terminou na semana passada.
Além dos dispositivos mais baratos, nos gigantescos pavilhões do centro de exposições Fira Gran Via, que reuniu cerca de 70 mil pessoas, foi mostrada outra vocação dos aparelhos: as grandes telas. Os foblets (smartphones + tablets) dominaram o topo de linha, com displays que chegam a gigantescas sete polegadas – imagine-se fazendo uma chamada telefônica com um tablet no ouvido. No segmento, processadores de quatro núcleos e câmeras de 13 megapixels também se tornaram configurações padrão.

Mas, por trás dos holofotes, o MWC foi um evento que pensou muito nos segmentos médios e até mesmo populares. Basta ter como exemplo o featurephone (o termo usado hoje para celulares sem acesso à internet) Nokia 105, com preço sugerido de apenas 15 euros (cerca de R$ 38). Na categoria dos smartphones, a faixa dos US$ 100 também era uma realidade, principalmente por conta do Firefox OS, desenvolvido pela Mozilla, para tornar esse tipo de dispositivo mais acessível a quem não tem condições de gastar muito dinheiro em um celular de ponta.

Brasil Uma questão recorrente em relação às tecnologias em alta da feira é saber se as funcionalidades serão compatíveis com a rede de telefonia brasileira, ou terão alguma utilidade. É o caso do 4G, que se encontra em fase de testes – mas começou a ser disponibilizado em cidades como Recife – e que deve chegar a todas as sedes da Copa das Confederações em junho. A preocupação é se os aparelhos seguirão o caminho do iPhone 5, que não suporta a frequência de 2,5GHz, reservada para o 4G nacional.

Entretanto, a maioria dos aparelhos 4G anunciados suportam esse espectro, principalmente em faixas intermediárias e com características que estão no gosto do brasileiro, como o suporte a dois chips. Além disso, a feira teve lançamentos voltados para o mercado brasileiro, caso do Samsung Galaxy Express, que deve ser posicionado como telefone habilitado ao 4G com um preço de R$ 1,5 mil, mais barato do que os integrantes do segmento, todos na faixa dos R$ 2 mil.

Os aparelhos que não têm suporte a 2,5GHz também têm chance de funcionar no Brasil, contanto que seja resolvido um impasse na telecomunicação nacional: a liberação da frequência de 700MHz, que o governo também quer destinar ao 4G. A faixa atualmente é ocupada pela televisão analógica. A demora para liberar os 700MHz no país leva o governo a considerar subsídios para conversão total para o sinal digital.

"Se eu quiser acelerar a digitalização, não posso falar para as pessoas que elas não podem mais ter TV analógica. É preciso haver medidas para que o consumidor compre. Ou damos o receptor ou o conversor ou, em alguns casos, até mesmo o aparelho. O governo vai ter que resolver, pois queremos usar a frequência da tevê hoje na banda larga", afirmou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, em coletiva no MWC.

Outra funcionalidade que começa a pintar em smartphones de ponta no país é o Near Field Communication (NFC, ou comunicação de campo próximo, em tradução livre). A tecnologia pode ser utilizada, por exemplo, para pagamentos, com o mesmo nível de segurança de um cartão de crédito. "Acredito que de 12 a 18 meses essa função estará disponível", estima Rodrigo Meirelles, chefe de mobile para a América Latina da Visa.

Recentemente, a companhia anunciou um acordo com a Samsung para a inclusão de aplicativos de pagamento integrados com NFC direto do celular. Segundo Meirelles, isso deve agilizar a implantação da tecnologia. "Antes, as transações eram baseadas no cartão SIM e  envolviam as operadoras de telefone na discussão. Com o NFC, cortamos um intermediário."


Para fugir do Android  
Sistemas operacionais alternativos marcaram presença na MWC. O Firefox OS é voltado para aparelhos de baixo custo e o Sailfish, da startup Jolla, é o sucessor do finado MeeGo



 
 
O Open, aparelho barato  capaz de rodar o sistema operacional Firefox, da Mozilla, foi o grande astro na mostra da ZTE (Josep Lago/AFP)
O Open, aparelho barato capaz de rodar o sistema operacional Firefox, da Mozilla, foi o grande astro na mostra da ZTE


Barcelona – Um pequeno celular da fabricante chinesa ZTE, o Open, roubava a atenção dos foblets, dos tablets e dos smartphones. Não por conta das especificações, mas pela novidade do sistema operacional que fazia a máquina funcionar: o Firefox OS, que passou por sua primeira grande exibição durante o Mobile World Congress. Quatro fabricantes (LG, Sony, ZTE e Alcatel-Lucent) anunciaram que farão dispositivos equipados com essa nova plataforma.
Além do fator novidade – e de ser uma das poucas alternativas ao batalhão de Androids e Windows Phones exibidos na feira –, o Firefox OS chama a atenção por sua filosofia. Concebido como um software barato para celulares a preços acessíveis, ele é feito em código aberto com base na linguagem HTML5, a mesma utilizada nos navegadores de internet mais avançados. Isso significa que a loja de aplicativos dos celulares com esse sistema é praticamente toda baseada na web.

"O Firefox OS traz a liberdade e a inovação sem limites da internet aberta para os usuários de telefones móveis no mundo. Com o apoio da nossa comunidade e dos parceiros, nosso objetivo é aumentar a área de atuação e oferecer uma explosão de conteúdo e serviços que vão ao encontro da diversidade exigida pelas pessoas que estão on-line", disse Gary Kovacs, CEO do Mozilla.
A interface também ajuda a consolidar essa ideia. No menu de apps, há uma barra de busca que interliga informações com aplicativos em HTML5. Digitar o nome de uma banda, por exemplo, leva a perfis em redes sociais, aos sites oficiais e até mesmo aos links com músicas ou vídeos para serem ouvidos no SoundCloud ou vistos no YouTube. Há também uma loja de aplicativos, mas, segundo a Mozilla, responsável pelo sistema, é apenas para não confundir os usuários acostumados com esse modelo de download.

Os dois aparelhos com o sistema disponíveis na feira também reforçam a ideia de que o Firefox OS é feito para smartphones baratos. O ZTE Open e o Alcatel One Fire compartilham diversas especificações: tela de 3,5 polegadas, câmera de 3.2 megapixels e processador Qualcomm com frequência entre 600MHz e 800MHz.

Alternativas Outro sistema operacional que deu as caras no MWC foi o Sailfish OS, da startup finlandesa Jolla. O software é conhecido como sucessor do MeeGo, que era baseado em Linux, nasceu dentro da Nokia e acabou abandonado em detrimento da parceria com a Microsoft (Windows Phone). No evento, a empresa mostrou uma versão de testes do sistema rodando em um Nokia N9, e apontou que, até o fim do ano, vai lançar um aparelho com o sistema, embora não tenha mencionado se o licenciamento será feito por meio de código aberto.

Sem utilizar botões, o sistema operacional tem uma interface fluida e intuitiva. Com duas passadas de dedo para baixo, o aparelho sai da tela de bloqueio para a área de trabalho e, em seguida, para a lista de aplicativos. Os programas mostram informações na interface principal, mesmo quando minimizados, e um movimento com o dedo para a direita abre uma central de notificações. O celular também permite que dois apps rodem ao mesmo tempo em tela dividida – uma função reservada a apenas alguns aparelhos bem mais potentes mostrados, como o Galaxy Note 8.

*O jornalista viajou a convite da Samsung






  - Atualizado em 02/03/2013 14h15

Nova película de safira deixa telas de smartphones 'indestrutíveis'

Puplicação Site TechTudo 02/03/2013 14h15 Repórter Thiago Barros

A baixa resistência das telas dos smartphones é um ponto muito negativo apontado por boa parte dos usuários destes aparelhos. No entanto, já é possível adquirir capas e até películas que ajudam a diminuir este problema. Nenhuma delas, porém, é tão poderosa quanto as telas de safira, como as que a empresa GT Advanced Techonologies mostrou durante o MWC 2013, que aconteceu na Espanha esta semana.
Safira deixa aparelho bem mais resistente (Foto: Reprodução/CNET)
Safira deixa aparelho bem mais resistente (Foto:
Reprodução/CNET)
No evento, houve uma demonstração com uma pequena película de safira aplicada sobre um iPhone 5. A camada extra passa despercebida por quem vê o aparelho, porém não para quem tenta arranhá-lo ou quebrá-lo. A modificação torna o display do gadget muito mais resistente, totalmente intacto às tentativas de arranhão, como foi demonstrado na MWC. Pouco depois, a película foi retirada, os mesmos testes foram realizados, e os resultados totalmente diferentes: o vidro Gorilla Glass ficou bem avariado.
Dependendo da fórmula exata aplicada na fabricação do produto, a safira pode fazer com que o telefone seja 2,5 ou até 3 vezes mais forte do que os tradicionais. Atualmente, no entanto, ainda não há projetos de fabricação em massa de telas com a safira, que é utilizada para alguns outros fins no mercado, como produtos militares, aeroespaciais e médicos, além de TVs de LED e relógios de última geração.

Um dos poucos celulares com safira é o Vertu TI, que é vendido por cerca de US$ 10 mil (R$ 20 mil) e é considerado um aparelho de luxo. Seu custo alto não é só por causa da tela especial, mas também por causa dela, já que este material é muito mais caro do que o vidro tradicional. Resta saber se mais companhias vão investir nesta tecnologia para terem aparelhos “indestrutíveis”, mesmo que por um preço mais alto.




MWC 2013: confira o que rolou de mais legal no maior evento mobile do mundo

Publicação Site CanalTech  01.03.2013 06h10 Repórter Rafael Romer RSS 

MWC 2013
A décima sexta edição do Mobile World Congress, o maior evento da indústria de dispositivos móveis do mundo, chegou ao fim nesta quinta-feira (28) com inúmeras novidades e tendências para os próximos anos da indústria.
Um dos principais focos do evento deste ano foi nos dispositivos de baixo custo, voltados para os mercados que ainda não têm grande penetração de smartphones, como partes da África, Ásia e América Latina. Os lançamentos da Nokia, como o Nokia 105,  que sairá por apenas US$ 20 (cerca de R$39), e o destaque dado para o Firefox OS, com seus celulares de baixo custo, mostram qual deve ser a tendência do mercado nos próximos anos.
Ficou provado também que os smartphones de primeira linha devem continuar aumentando em tamanho. Eles deixam de ser dispositivos de telefonia e passam para a categoria de plataformas sociais, profissionais e de navegação na rede - mais próximos dos tablets. Lançamentos como o Samsung Galaxy Note 8, o phablet híbrido de 8 polegadas, o Asus Fonepad, de 7 polegadas, o ZTE Grand Memo, de 5,7 polegadas, o LG Optimus, de 5,5 polegadas, e o já antecipado Samsung Galaxy S4, que deve ganhar tamanho em relação à geração anterior, provam que os smartphones não chegaram ao seu limíte de tamanho.
Assim como na Consumer Electronics Show deste ano, empresas chinesas como a ZTE, Huawei e TLC também aproveitaram o espaço da MWC para jogar seus principais lançamentos. Separamos alguns dos lançamentos mais legais da WMC 2013 em uma lista abaixo. Confira!
Galaxy Note 8.0
Galaxy Note 8.0
O novo modelo de tablet Android 4.1.2 da Samsung é equipado com uma mistura de recursos presentes no Note 10.1, no Note 2 e no smartphone Galaxy S3. Com um display de 8 polegadas e resolução de 1280x800 pixels, o Note 8 virá com processador quad-core Exynos 4 de 1,6 Ghz, 2GB de RAM e armazenamento de 16 ou 32 GB.
O tablet virá com a caneta S Pen, que terá aplicativos exclusivos para ela, como o S Note e o S Planner. De acordo com a empresa sul-coreana, o Galaxy Note 8.0 deverá chegar ao mercado brasileiro em abril deste ano, com um valor que deverá girar em torno de R$ 1,5 mil.
Wallet
Outra novidade da Samsung foi o anúncio do aplicativo Wallet, que possuirá funções semelhantes ao Passbook, da Apple. O sistema deverá ser integrado ao novo Galaxy S4 e permitirá que o usuário armazene informações sobre ingressos, cartões de embarque, cartões de sócio e cupons de compra com base em sua carteira virtual. A aplicação fornecerá em tempo real informações sobre qualquer mudança em horários ou datas que envolvam os dados armazenados.
Sony Xperia Tablet Z
Sony Xperia Tablet Z
O mais novo modelo de tablet da Sony, o Xperia Tablet Z, pesará apenas 495 gramas, e terá 10,1 polegadas de display com apenas 0,6 milímetros de espessura. Ele virá com processador quad-core Snapdragon S4 Pro de 1,5GHz, 2GB de memória RAM, 16 ou 32GB de armazenamento interno, tela com resolução Full HD e Android Jelly Bean 4.1.2.
Assim como a nova geração de smartphones da japonesa - o Sony Xperia Z, apresentado durante a CES 2013 -, o tablet é à prova d'água e é capaz de permanecer imerso por até 30 minutos a uma profundidade máxima de 92 centímetros. A Sony afirmou que o Tablet Z estará disponível a partir do segundo semestre de 2013, com preços a partir de US$ 499 (cerca de R$ 980) nos EUA.
Nokia 105
Na tentativa de recuperar sua posição de destaque no mercado de celulares, a Nokia anunciou o seu primeiro modelo que custa apenas US$ 20 (cerca de R$ 39), o Nokia 105. O aparelho foi desenvolvido para atender mercados emergentes, com funções que incluem  display colorido, teclado físico à prova de pó e gotas de água, rádio FM, despertador, lanterna e bateria com capacidade de duração de 35 dias. O 105 deverá chegar já no primeiro trimestre de 2013 a mercados como China, Nigéria, Egito, Índia, Indonésia, Rússia, Vietnã e alguns países da Europa. Não há planos de lançar o celular de baixo custo aqui no Brasil.
Firefox OS
Alcatel One Touch Fire
Já visto pelos brasileiros na Campus Party 2013 e durante um evento realizado na semana passada em São Paulo, a Mozilla também exibiu seus primeiros celulares equipados com o sistema operacional Firefox OS durante o MWC 2013. Os dispositivos, que serão produzidos pela Alcatel, LG e ZTE,  devem ser lançados ainda este ano em países como Brasil, Colômbia, México, Espanha, Venezuela, Hungria e Polônia. Focado em mercados emergentes, o celular deverá custar R$ 150 no Brasil.
Conforme afirmou o CEO da Mozilla, versões mais avançadas de smartphones com o Firefox OS deverão ser lançadas daqui algum tempo em mercados consolidados, como Europa Ocidental e Estados Unidos.
LG Optimus G Pro
Vídeo teaser LG MWC 2013
Anunciado um pouco antes da MWC, mas considerado um dos destaques da feira neste ano, o LG Optimus G Pro possui um display Full HD de 5,5 polegadas, processador quad-core Snapdragon 600 de 1,7GHz, câmera d 13 megapixels e uma bateria de 3,140 mAh que promete durar o dia inteiro. 
Considerado um concorrente para dispositivos como o iPhone 5 e o Galaxy S3, o G Pro terá um display que utiliza um vidro curvo, o que a empresa garante que promove a visualização de imagens e vídeos como se fosse em 2,5 dimensões.
O Optimus G Pro também é equipado com uma nova tecnologia que permite a gravação de imagens ao mesmo tempo com a câmera frontal e traseira, e também faz fotos em 360 graus com a ajuda do recurso VR Panorama. Ainda não há data de lançamento para o smartphone.

Matéria completa: http://canaltech.com.br/noticia/mwc/MWC-2013-confira-o-que-rolou-de-mais-legal-no-maior-evento-mobile-do-mundo/#ixzz2Mr5XAnzo
O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Google confirma que não tem planos para montar lojas físicas de varejo



Google
No início deste mês, alguns rumores circularam pela web dizendo que o Google estaria planejando lançar algumas lojas físicas de varejo, a fim de promover seus produtos como os Chromebooks, dispositivos Nexus e o esperado Google Glass. Porém, Andy Rubin, vice-presidente de dispositivos móveis do Google, disse que não há necessidade de lojas de varejo já que a maioria dos consumidores não precisa experimentar um dispositivo antes de comprá-lo.
Durante uma mesa redonda com jornalistas no Mobile World Congress (MWC) nesta terça-feira (26), Rubin disse que atualmente os consumidores não precisam sentir e tocar os dispositivos, afinal eles conseguem obter as informações que precisam para tomar uma decisão de compra conversando com amigos e pesquisando na web, por exemplo. Além disso, ele também disse que o hardware produzido pelo Google ainda é muito jovem.
O pessoal do AllThingsD conta que o executivo usou o Nexus como exemplo, dizendo que não acredita que a linha está madura e avançada o suficiente para que a empresa pense sobre a necessidade de ter os aparelhos apresentados em lojas físicas. O mesmo vale para o Chromebook e para o Google Glass, que sequer foi lançado oficialmente para os pobres mortais. Rubin foi enfático ao dizer que o "Google não tem planos e não temos nada para anunciar."
Mas, como as empresas costumam mudar de ideia de acordo com o fluxo, nunca se sabe o que pode acontecer mais para frente. A loja do Google será sempre uma possibilidade, não imediata, mas pode ser que vingue futuramente. Sem contar que quando esses rumores de lojas físicas surgiram, as ações do Google na bolsa de valores atingiram valores altíssimos, ultrapassando a marca de US$ 800. Seria apenas coincidência?

[Mercado Telecom - MWC 2013 - Mobile World Congress encerra com número recorde de 72 mil visitantes]
Organizadores da feira ficaram satisfeitos com os resultados do evento

puplicação: Site mobilexpert  Segunda-feira, 04 de Março de 2013 Repórter Elisangela Bispo 

O Mobile World Congress 2013 terminou no dia 28 de fevereiro com um recorde de participações em exposição e de público presente. Mais de 70.000 visitantes passaram pela maior feira de tecnologia móvel do mundo, que aconteceu na famosa cidade de Barcelona. Segundo dados da GSMA, organizadora do evento, 72.000 visitantes, exatamente, estiveram presentes no MWC 2013 - 8% a mais que na edição de 2012. John Hoffman, Conselheiro-Delegado da GSMA, comentou que está muito contente com os resultados obtidos durante o evento. 
A feira de negócio de 2013 quebrou recorde em metros quadrados de exposição. Foram, simplesmente, 94.000 metros de área disponibilizada para o evento e para os 3.400 jornalistas credenciados. Na conferência de quatro dias, milhares de visitantes e profissionais de quase 200 países deixaram em Barcelona, durante o congresso, mais de 320 milhões de euros (mais de 822 milhões de reais)  - 19 milhões a mais que em 2012.

Os que estiveram presentes no evento, durante os 4 dias da feira, puderam comprovar, em primeira mão, as principais novidades da Samsung, Asus, Huawei, ZTE, NEC, Sony,  HTC, entre outras. Os dias foram bastante agitados, cheios de conferências e debates. O Mobilexpert lista para você os principais lançamentos e novidades do MWC 2013.
Tablet FonePad da Asus com processador Intel

A Asus apresentou o FonePad, tablet da marca taiwanesa que traz uma tela de 7 polegadas de LCD com IPS, resolução de 1280x800 pixels, processador Intel Atom Z2420, 1GB de memória RAM, 8 ou 16GB de memória interna, slot para cartão microSD, câmera, traseira, de 3MP e, frontal, de 1,2MP.
LG Optimus G Pro

O Optimus G Pro, novo top de linha da fabricante sul-coreana, tem como grande destaque a sua tela de 5,5 polegadas Full HD (1080p) com densidade de 401 ppi. O foblet conta ainda com câmera traseira de 13 megapixels e frontal com resolução 2.1 MP, ambas com gravação Full HD, além do Android 4.1.2 Jelly Bean. 
Lumia 720

O Nokia Lumia 720 traz processador Qualcomm Snapdragon Krait dual-core de 1 GHz, 512 Mb de RAM, display de 4.3 polegadas ClearBlack LCD com resolução WVGA (800x480) e tecnologia super sensitiva que funciona com luvas, unhas entre outros. Câmera de 6.7 Megapixels e lente Carl Zeiss e câmera frontal de 1.3 Megapixels, armazenamento interno de 8 GB com expansão via microSD. 
Wireless Ultra HD Transmission, da LG, para transmitir vídeos em 4K

A LG apresentou a tecnologia Wireless Ultra HD Transmission, sistema que permitirá a transmissão de vídeos a partir do smartphone para um televisor com resolução de 4K, de forma dinâmica, ou seja, o smartphone reproduz o vídeo em Full HD 1080p e o televisor o executa em modo UHDTV retransmitindo as imagens em Ultra HD. Segundo os sortudos que viram a apresentação, o resultado é praticamente perfeito, não existindo diferenças perceptíveis, além de fluir quase perfeitamente.
 
HTC One Ultrapixels

A câmera é capaz de captar até 300% a mais de luz, fator imprescindível para fazer fotografias em ambientes pouco iluminados. O HTC One conta com uma abertura de f/2.0, que permite passar uns 44% a mais de luz que o sensor do iPhone 5, e quase 90% a mais que o Samsung Galaxy S III. Com uma melhor abertura que seus rivais, a câmera do dispositivo capta melhor a luz e, como ocorria com o HTC Ultrapixel, o resultado é uma fotografia com cores mais vivas e melhor definição de detalhes em ambientes de baixa luminosidade. 
Hands-on do V98, o tablet Windows 8 (x86) da ZTE

As especificações do tablet incluem tela TFT de 10.1 polegadas com resolução de 1366x768 pixels, processador Intel Atom de 1.8GHz, 2GB de memória RAM, conexão GSM/LTE, 32GB de espaço para armazenamento de arquivos (expansível via microSD). 
Além de apresentar o mais recente em telefones inteligentes, a conferência serviu para experimentar a tecnologia NFC, que permite que você efetue pagamentos pelo seu telefone. Os projetos apresentados durante o evento deram uma prévia de como a futura tecnologia mexerá com a vida nas grandes cidades com relação a coisas simples como pagamentos, oferta de vagas de estacionamento, corrida de táxi. Esses projetos envolveram empresas como Samsung, LG, Sony Huawei, Vodafone, Telefonica, Nokia, Intel e General Motors.

As gigantes Microsoft e Apple ficaram de fora do evento. Até mesmo a Samsung, principal fabricante de dispositivos com Android, teve uma participação bem discreta no MWC mas, ainda assim, recebeu um dos principais prêmios do congresso, como pode ser verificado acessando o link abaixo.  A organização confirmou o congresso de 2014 entre 24 de fevereiro e 27, novamente na Gran Via, em Barcelona. Basta clicar no link do Global Mobile Awards para ver a lista completa dos ganhadores dos prêmios, que publicamos no encerramento do evento, dia 28 de fevereiro.

O que deve ser destaque MWC 2014?

Ano que vem será marcado por novos sistemas operacionais e o poder da Tegra 4.

Publicação Site TechMundo  28 de Fevereiro de 2013 Repórter  Nilton Kleina

O que deve ser destaque MWC 2014?
(Fonte da imagem: Divulgação/MWC)

Não, você não leu errado: já é hora de especular sobre uma das maiores e mais aguardadas feiras sobre dispositivos móveis do ano que vem. A edição de 2013 da Mobile World Congress acabou nesta quinta-feira (28), então já é possível tirar algumas conclusões e saber o que esperar do próximo evento em Barcelona.
De acordo com o Cnet, a aposta está totalmente em sistemas operacionais, já que vários aparelhos que fogem do padrão Android e iOS devem ser lançados ainda neste ano, possivelmente ganhando sucessores durante a MWC 2014. A ausência de companhias gigantes também deve ser levada em conta – e da maneira mais positiva possível.

Caras novas e sem gigantes

A possível chegada de dispositivos com Firefox OS, Ubuntu Touch e Tizen deve acirrar bastante a disputa por mercado, especialmente o setor de aparelhos de baixo custo, o que inclui ainda uma série de modelos Android. Tablets e smartphones vendidos a um menor preço podem ainda ocasionar uma queda no valor dos aparelhos mais tradicionais e potentes.
O que deve ser destaque MWC 2014?O Firefox OS é um competidor aguardado. (Fonte da imagem: Reprodução/Tecmundo)
Outro fator a ser levado em conta para 2014 é a ausência de empresas como Apple, BlackBerry e Samsung, que preferem eventos isolados e individuais para apresentar seus produtos. Isso pode parecer ruim por manter a MWC um pouco longe dos holofotes, mas é a chance de companhias menores mostrarem serviço e conquistarem mais visibilidade que o normal.

Tegra 4

O que deve ser destaque MWC 2014? (Fonte da imagem: Divulgação/NVIDIA)
Oferecer potência gráfica em um dispositivo móvel já é uma realidade, especialmente com o LG Optimus G Pro. Mas as coisas tendem a melhorar – e o grande responsável por isso atende pelo nome de Tegra 4, o processador que tem tudo para revolucionar os games mobile. Alguns jogos rodando a partir do chip já foram exibidos neste ano, mas é em 2014 que saberemos mesmo do que ele é capaz.


Veja como funciona o smartphone com duas telas da Nec

Publicação  UOL Notícias

O aparelho Medias W N-05E, da Nec, tem duas telas LCD. Fechado, tem 4,3 polegadas. Aberto, fica com 5,6 polegadas. Permite usar simultaneamente as duas telas para tarefas diferentes. Conta com câmera de 8 megapixels, processador dual-core e sistema operacional Android 4.1. Será lançado em abril, no Japão, por preço ainda não divulgado.



Feira de Barcelona dá destaque a telefones 'baratos'

Publicação  UOL Notícias 01/03/2013 07h35

O Mobile World Congress reúne operadoras e fabricantes de smartphone em um evento anual realizado em Barcelona (Espanha). O congresso é conhecido pela grande quantidade de lançamentos. No entanto, na edição de 2013, a feira mostrou a força dos fabricantes chineses no mercado de smartphones top e a preocupação das empresas em fazer aparelhos bons e acessíveis aos usuários.




Smartphone com tela gigante exige manobras para manuseio

 
 A Huawei, fabricante chinesa, diz que o Ascend Mate tem a maior tela de smartphone do mundo (ele conta com um display de 6,1 polegadas). O aparelho tem especificações boas quando comparadas aos seus pares: processador quad-core, câmera de 8 megapixels e Android Jelly Bean. No entanto, em visita ao estande da companhia no Mobile World Congress, a reportagem notou certa dificuldade dos participantes do congresso ao manusear o dispositivo.