Magazine Luiza

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Atualizado o post Comentários políticos com Bob Fernandes.

Atualizado o Post 

Com esses vídeos:

8 de jun de 2016
Reações ao vazamento dos pedidos de prisão para Sarney, Eduardo Cunha, Renan Calheiros e Romero Jucá. O ministro do Supremo Tribunal, Gilmar Mendes, protestou:

- É processo oculto, pede-se sigilo, mas divulga-se para a imprensa. Isso é grave, brincadeira com o Supremo. Quem faz isso está cometendo crime, certo?

Certíssimo... Mas...centenas de vazamentos ocorreram nos últimos dois anos, nas investigações do "petrolão".

Há três meses, de maneira ilegal foi gravada parte de conversa entre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula. Com vazamento ilegal da porção ilegalmente gravada.

À época o ministro Zavaski criticou e cobrou o juiz Moro. O que disse então o ministro Gilmar Mendes sobre o vazamento?

Disse que a divulgação foi "correta" e que importante era discutir o "conteúdo extremamente grave".

Agora Gilmar Mendes diz ser preciso "chamar às falas os responsáveis". Em 2008, preso Daniel Dantas, Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres (aquele) foram ao Planalto.

Para protestar contra grampos, que não existiram, e chamar "às falas" o presidente Lula.

Paulo Lacerda, que havia modernizado a Polícia Federal, foi demitido da ABIN. O delegado Protógenes seria demitido da PF.

Como previsível, agora, enfim, delações começam a pegar geral. É o que mostra vídeo que não interessa a tantos que pontificam sobre "corrupção".

Blog de Fausto Macedo, do Estadão, flagra o delator Cerveró dizendo no décimo minuto de depoimento online:

-A Odebrecht sempre teve profunda influência (na Petrobras) desde época do (Joel) Rennó...

Prossegue Cerveró:

-Braskem é um dos maiores escândalos criados na época do Fernando Henrique, não foi o Lula que inventou. Essas coisas não são investigadas, é isso é que eu fico impressionado.

E continua: "A Braskem é um escândalo, feita com a Odebrecht".

Nesse exato instante, quem interroga Cerveró interrompe, busca mudar de assunto perguntando: "Passados dois anos..."

Cerveró vira-se para alguém ao lado, franze testa e sobrancelha, balança mãos e cabeça como quem diz "tá vendo?", e conclui:

-... Essas coisas é que chamam a atenção...

Cerveró, entenda uma coisa: isso não vem ao caso.


1 de jun de 2016
A Odebrechet fechou acordo e vai fazer delação premiada. No alvo os grandes partidos, todos.

Citados na Lista da Odebrechet, 316 políticos terão noites de insônia. Essa delação deve chegar ao sítio de Atibaia, cuja propriedade Lula nega.

Ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro segue inocentando Lula nos casos do sitio em Atibaia e do tríplex no Guarujá.

Como, até agora, Léo Pinheiro inocenta o ex-presidente, os que querem Lula preso não aceitam fechar a delação premiada do sócio da OAS.

Já na Operação Zelotes, investigadores acusam Luís Claudio, filho de Lula, de ter recebido R$ 10 milhões ilegalmente.

A Zelotes investiga contribuintes acusados de pagar propina para encolher multas na Receita Federal.

Pela mesma Zelotes, a Polícia Federal indiciou Trabuco, presidente do banco Bradesco. Joseph, dono do Banco Safra, já é réu na Zelotes.

E André, presidente do Grupo Gerdau, também foi indiciado pela PF na Zelotes.

Tudo isso é e foi manchete. Às vezes, quando fato objetivo, exaustivamente apurado, a notícia fala por si mesma.

Outras vezes a notícia vem coalhada de condicionantes: "suposto", "teria", "diz o delator" "segundo fontes" etc.

Se o citado, o delatado for absolvido depois, ou nem mesmo se tornar réu... azar dele. Estrago já feito, lamenta-se e...bola pra frente.

Se a informação vem de uma autoridade, se oficializada ou documentada de alguma forma, o repórter checa até o limite. Garantido por documento ou ofício, segue adiante.

Divide-se, em tais casos, o custo da decisão ética. Já a autoridade que vaza tem, desde o início, a responsabilidade legal pelo vazamento.

Com tantas delações, gravações, vazamentos, prisões e manchetes por corrupção fica até chato tocar nesse assunto.

Nem tanto pelos que, ao menos, têm como se defender. Ainda mais grave é os que não têm como se defender.

Segundo o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias -Infopen- de 607 mil prisioneiros no Brasil, 41% estão presos sem condenação.

Enquanto isso, 7 meses depois, a cassação, ou não, de Eduardo Cunha ficou...pra próxima semana.

30 de mai de 2016
Reunido com bispos, o Papa Francisco disse estar preocupado com "golpes suaves" na América Latina. Sua Santidade referia-se ao Brasil também.

O Papa manifestou tal opinião antes de conhecida parte das conversas gravadas por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro.

As gravações com Sarney, Renan Calheiros, Romero Jucá, são tomografia da derrubada de Dilma Roussef.

O que o PMDB articula nas conversas vazadas é um "acordo". Um "pacto" para derrubar Dilma e fazer "Michel" presidente.

Escancarado na expressão "estancar a sangria", motivo óbvio é tentar conter a Lava Jato, que ameaça todos eles.

Além do desespero de alvos da operação, o que esse converseiro mostra?

Mostra entranhas do topo do Poder. E da Política, do PMDB de Eduardo Cunha -personagem oculto das gravações- depondo Dilma para tentar salvar seus pescoços.

Os vazamentos buscam desobstruir o caminho da Lava Jato em direção a alvos secundários. E alargá-lo rumo ao alvo primordial.

O vazamento das conversas entre Lula e Dilma havia contraído a Lava Jato. Por que ilegal ao menos parte da gravação e o vazamento. E por então ter atiçado as outras ruas.

Ruas cada dia mais ocupadas por oposições que hoje estão adiante de partidos e movimentos sociais tradicionais. Agora oposições ao governo interino.

As gravações de Machado foram em março. O procurador Janot teve acesso ao teor das conversas, e a essa trama, antes do afastamento de Dilma ser autorizado, só em maio?

Governo Temer, terceira semana. Balança o segundo ministro. Como Romero Jucá, vitimado pelo mesmo delator, Sérgio Machado.

Fabiano Silveira, ministro da Transparência, foi gravado aconselhando Renan sobre como driblar a Lava Jato.

A propósito de conselhos... Em editorial, a Folha recomenda a Gilmar Mendes "evitar atitudes que destoem das práticas do judiciário".

O ministro preside o TSE. E a Segunda Turma, que julga processos da Lava Jato.

Sábado à noite Gilmar Mendes foi ao Palácio do Jaburu. Diz o ministro do Supremo que foi discutir com o interino Temer o "orçamento do TSE".

9 de mai de 2016
Começou como farsa, segue como comédia e circo. Que não termine em tragédia.
.
Presidente interino da câmara, o obscuro Waldir Maranhão (PP-MA) é mais um farsante, e investigado na Lava Jato.
.
Oito dos 10 sucessores de Eduardo Cunha na presidência respondem a processos ou têm condenações. E Cunha é réu, com uma pilha de processos.
.
Dos 513 deputados que votaram pelo impeachment, 299 tem ocorrências na Justiça e/ou tribunais de contas.
.
Recordemos: os pedidos de impeachment, 37 ao todo, começaram logo depois da eleição. Até as "pedaladas" a cada mês mudavam os motivos.
.
Temer também assinou "pedaladas". Anastasia, relator do impeachment no senado, "pedalou" em bilhões quando governador de Minas. Governadores e prefeitos "pedalam".
.
Tudo isso é fato. Mas a cada fato que não interessa ao jogo farsesco aplica-se o já célebre " mas não vem ao caso".
.
Usando ou não a expressão "golpe", mundo afora se percebe o óbvio: existe impeachment porque existem a Lava Jato e o megadebate sobre corrupção.
.
Então, como réus e acusados de roubar julgam quem não foi acusada de corrupção por ato de responsabilidade pessoal? Qual a legitimidade disso? Ou "não vem ao caso"?
.
Vários listados para o governo Temer, incluindo o próprio Temer, estão citados na Lava Jato ou similares. "Não vem ao caso"?
.
Como o motivo legal para o impeachment pode ser um artifício contábil usado por tantos que estão julgando ou apoiando? Ou "não vem ao caso"?
.
Truques e gambiarras se acumulam. A forma como Cunha foi suspenso não está prevista na Constituição. O Supremo, hoje o Poder real, valeu-se de uma gambiarra.
.
Há 5 meses já existiam os motivos alegados para afastar Cunha. Mas ele só foi derrubado depois de ter feito o serviço.
.
Para a história, inesquecíveis as imagens e manchetes dos que estavam com Cunha. E diante das faixas "Somos milhões de Cunhas" o silêncio cúmplice.
.
Farsas antes, hoje comédia e circo de Waldir Maranhão, "O Brevíssimo", & Cia Vamos ao futuro...

18 de abr de 2016
No rosário de erros políticos, econômicos e morais que ajudam a entender a derrota do governo, um é simbólico.

Em 13 anos, Dilma ou Lula jamais convidaram o chamado "povo" para qualquer Reforma ou causa. Salvo para eleições. Ou para salvar o próprio pescoço.

O vazamento das conversas entre Dilma e Lula jogou nas ruas multidões e muitos dos movimentos sociais até então desmobilizados.

Ali, tardiamente, se entendeu o que estava, está a caminho. E que neste domingo se viu num Brasil partido.

Mas, ao contrário de certo senso comum, o Brasil não se partiu agora, ou nas campanhas. O que se se assiste é escancaração de um Brasil desde sempre partido.

Não se partiu agora, País que chegou ao século 21 com uma das piores distribuições de renda do mundo, que não tem esgoto em metade das moradias.

Pais que convive com quase 60 mil homicídios ao ano não foi partido pelo marketing.

A distância entre debate sobre corrupção nas ruas e mídias e o espetáculo grotesco que se viu na Câmara é uma tomografia.

Cheios de razões, milhões clamaram contra corrupção. A Lava Jato investiga corrupção, e sem a Lava Jato não existiria "impeachment".

Mas a autorização para o processo de impeachment não se deu contra ato de corrupção de Dilma.

Pelo contrário. No Congresso, e não apenas, o impeachment foi, é comandado por acusados de grossa corrupção na mesma Lava Jato. E não só.

Justas razões, mas também ódio de classes, profundas ignorância e hipocrisia embalam essa disputa.

Mesmo amparado por mercados e manchetes, cercado por bandos de réus em busca de salvação não será um Temer quem irá colar os cacos desse país partido.

Uma cena, e suas repercussões, resumiram mundo afora o Brasil partido. Messias Bolsonaro homenageou Ustra, torturador na ditadura. Depois xingou Jean Wyllys.

Jean cuspiu na cara de Bolsonaro... Muitos querem discutir só a cusparada. Muitos lamentam que Jean Wyllys não tenha vomitado.

25 de abr de 2016
Nas redes sociais milhões reproduzem e debatem o ator José de Abreu no "Domingão do Faustão".
Perplexidade, pasmo e debate já escancaram: espanto pela raridade, ineditismo da cena.
Cena não num programa eleitoral, humorístico, ou em contraponto num telejornal da Globo.
A propósito de explicar cusparadas em um casal, Abreu deu os nomes de Temer e próximos listados na Lava Jato.
Citando Marco Aurélio Mello, do Supremo, disse: "O impeachment é golpe".
José de Abreu disse o que uma porção do país sempre ouviu, e que outra não ouvia. E o que milhões ouviam, ouvem, mas fazem de conta não ouvir ou saber:
-Cunha é ladrão...
Essa cena resulta, também, de debate que tem acontecido nas Mídias e parlamentos mundo afora. Debate não apenas sobre impeachment e aquela grotesca noitada de votação.
Debate também sobre monopólios, atuação e influência dos meios de comunicação no processo político no Brasil.
Por exemplo: durante romarias às moradias de Temer, como ouvir réus da Lava Jato, ou de outros processos, atacando a "córrupição" sem que se pergunte a tais atores:
-Mas o senhor não é réu também?...A senhora, o senhor, não responde a processos?
Sendo quem são personagens e instituições, esse enredo sempre foi a Crônica de um Desastre Anunciado. Há 8 meses, exatos 226 dias, dissemos aqui:
"Cresce o cerco dos que querem o impeachment de Dilma. Ainda falta coesão entre os que disputam o Poder. E clareza sobre os riscos da operação".
"Riscos internos e externos. Internos porque, passados down e perplexidade virá a realidade: a conta gigantesca e o contra-ataque dos quem tem pressa e fome".
"Risco externo porque derrubar presidente é ato seríssimo. Mancha quem cai, mas pode manchar para sempre quem, mesmo com a mão do gato, derruba".
"Se não for ação estritamente legal, aos olhos da História e do mundo será altíssimo o custo de voltar a portar-se como republiqueta de bananas e golpes".






Especial: É tudo um assunto só!

Outro dia discutindo sobre as manifestações do dia 15, sobre crise do governo e a corrupção da Petrobrás eu perguntei a ele se tinha acompanhado a CPI da Dívida Pública. Então ele me respondeu: Eu lá estou falando de CPI?! Não me lembro de ter falado de CPI nenhuma! Estou falando da roubalheira... A minha intenção era dizer que apesar de ter durado mais de 9 meses e de ter uma importância ímpar nas finanças do país, a nossa grande mídia pouco citou que houve a CPI e a maioria da população ficou sem saber dela e do assunto... Portanto não quis fugir do assunto... é o mesmo assunto: é a política, é a mídia, é a corrupção, são as eleições, é a Petrobras, a auditoria da dívida pública, democracia, a falta de educação, falta de politização, compra de votos, proprina, reforma política, redemocratização da mídia, a Vale, o caso Equador, os Bancos, o mercado de notícias, o mensalão, o petrolão, o HSBC, a carga de impostos, a sonegação de impostos,a reforma tributária, a reforma agrária, os Assassinos Econômicos, os Blog sujos, o PIG, as Privatizações, a privataria, a Lava-Jato, a Satiagraha, o Banestado,  o basômetro, o impostômetro, É tudo um assunto só!...



A dívida pública brasileira - Quem quer conversar sobre isso?

Escândalo da Petrobrás! Só tem ladrão! O valor de suas ações caíram 60%!! Onde está a verdade?

A revolução será digitalizada (Sobre o Panamá Papers)

O tempo passa... O tempo voa... E a memória do brasileiro continua uma m#rd*

As empresas da Lava-jato = Os Verdadeiros proprietários do Brasil = Os Verdadeiros proprietários da mídia.

Desastre na Barragem Bento Rodrigues <=> Privatização da Vale do Rio Doce <=> Exploração do Nióbio

Sobre o mensalão: Eu tenho uma dúvida!

Trechos do Livro "Confissões de um Assassino Econômico" de John Perkins 

Meias verdades (Democratização da mídia)

Spotniks, o caso Equador e a história de Rafael Correa.

O caso grego: O fogo grego moderno que pode nos dar esperanças contra a ilegítima, odiosa, ilegal, inconstitucional e insustentável classe financeira.


Uma visão liberal sobre as grandes manifestações pelo país. (Os Oligopólios cartelizados)

Depoimento do Lula: "Nunca antes nesse país..." (O país da piada pronta)
(Relata "A Privataria Tucana", a Delação Premiada de Delcidio do Amaral e o depoimento coercitivo do Lula para a Polícia Federal)


Seminário Nacional - Não queremos nada radical: somente o que está na constituição.

Seminário de Pauta 2015 da CSB - É tudo um assunto só...

UniMérito - Assembleia Nacional Constituinte Popular e Ética - O Quarto Sistema do Mérito 

As aventuras de uma premiada brasileira! (Episódio 2016: Contra o veto da Dilma!)


As histórias do ex-marido da Patrícia Pillar

A mídia é o 4° ou o 1° poder da república? (Caso Panair, CPI Times-Life)

O Mercado de notícias - Filme/Projeto do gaúcho Jorge Furtado

Quem inventou o Brasil: Livro/Projeto de Franklin Martins (O ex-guerrilheiro ouve música)

Luiz Flávio Gomes e sua "Cleptocracia"

Comentários políticos com Bob Fernandes.

Ricardo Boechat - Talvez seja ele o 14 que eu estou procurando...



PPPPPPPPP - Parceria Público/Privada entre Pilantras Poderosos para a Pilhagem do Patrimônio Público

Pedaladas Fiscais - O que são? Onde elas vivem? Vão provocar o impeachment da Dilma?

Como o PT blindou o PSDB e se tornou alvo da PF e do MPF - É tudo um assunto só!

InterVozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social

Ajuste Fiscal - Trabalhadores são chamados a pagar a conta mais uma vez

Resposta ao "Em defesa do PT"

Melhores imagens do dia "Feliz sem Globo" (#felizsemglobo)


Desastre em Mariana/MG - Diferenças na narrativa.

Quanto Vale a vida?!


Questões de opinião:

Eduardo Cunha - Como o Brasil chegou a esse ponto?




Sobre a Ditadura Militar e o Golpe de 64:

Dossiê Jango - Faz você lembrar de alguma coisa?

Comissão Nacional da Verdade - A história sendo escrita (pela primeira vez) por completo.

Sobre o caso HSBC (SwissLeaks):

Acompanhando o Caso HSBC I - Saiu a listagem mais esperadas: Os Políticos que estão nos arquivos.

Acompanhando o Caso HSBC II - Com a palavra os primeiros jornalistas que puseram as mãos na listagem.

Acompanhando o Caso HSBC III - Explicações da COAF, Receita federal e Banco Central.

Acompanhando o Caso HSBC V - Defina: O que é um paraíso fiscal? Eles estão ligados a que países?

Acompanhando o Caso HSBC VI - Pausa para avisar aos bandidos: "Estamos atrás de vocês!"... 

Acompanhando o Caso HSBC VII - Crime de evasão de divisa será a saída para a Punição e a repatriação dos recursos

Acompanhando o Caso HSBC VIII - Explicações do presidente do banco HSBC no Brasil

Acompanhando o Caso HSBC IX  - A CPI sangra de morte e está agonizando...

Acompanhando o Caso HSBC X - Hervé Falciani desnuda "Modus-Operandis" da Lavagem de dinheiro da corrupção.





Sobre o caso Operação Zelotes (CARF):

Acompanhando a Operação Zelotes!

Acompanhando a Operação Zelotes II - Globo (RBS) e Dantas empacam as investigações! Entrevista com o procurador Frederico Paiva.

Acompanhando a Operação Zelotes IV (CPI do CARF) - Apresentação da Polícia Federal, Explicação do Presidente do CARF e a denuncia do Ministério Público.

Acompanhando a Operação Zelotes V (CPI do CARF) - Vamos inverter a lógica das investigações?

Acompanhando a Operação Zelotes VI (CPI do CARF) - Silêncio, erro da polícia e acusado inocente depõe na 5ª reunião da CPI do CARF.

Acompanhando a Operação Zelotes VII (CPI do CARF) - Vamos começar a comparar as reportagens das revistas com as investigações...

Acompanhando a Operação Zelotes VIII (CPI do CARF) - Tem futebol no CARF também!...

Acompanhando a Operação Zelotes IX (CPI do CARF): R$1,4 Trilhões + R$0,6 Trilhões = R$2,0Trilhões. Sabe do que eu estou falando?

Acompanhando a Operação Zelotes X (CPI do CARF): No meio do silêncio, dois tucanos batem bico...

Acompanhando a Operação Zelotes XII (CPI do CARF): Nem tudo é igual quando se pensa em como tudo deveria ser...

Acompanhando a Operação Zelotes XIII (CPI do CARF): APS fica calado. Meigan Sack fala um pouquinho. O Estadão está um passo a frente da comissão? 

Acompanhando a Operação Zelotes XIV (CPI do CARF): Para de tumultuar, Estadão!

Acompanhando a Operação Zelotes XV (CPI do CARF): Juliano? Que Juliano que é esse? E esse Tio?

Acompanhando a Operação Zelotes XVI (CPI do CARF): Senhoras e senhores, Que comece o espetáculo!! ("Operação filhos de Odin")

Acompanhando a Operação Zelotes XVII (CPI do CARF): Trechos interessantes dos documentos sigilosos e vazados.

Acompanhando a Operação Zelotes XVIII (CPI do CARF): Esboço do relatório final - Ainda terão mais sugestões...

Acompanhando a Operação Zelotes XIX (CPI do CARF II): Melancólico fim da CPI do CARF. Início da CPI do CARF II

Acompanhando a Operação Zelotes XX (CPI do CARF II):Vamos poupar nossos empregos


Sobre CBF/Globo/Corrupção no futebol/Acompanhando a CPI do Futebol:

KKK Lembra daquele desenho da motinha?! Kajuru, Kfouri, Kalil:
Eu te disse! Eu te disse! Mas eu te disse! Eu te disse! K K K

A prisão do Marin: FBI, DARF, GLOBO, CBF, PIG, MPF, PF... império Global da CBF... A sonegação do PIG... É Tudo um assunto só!!

Revolução no futebol brasileiro? O Fim da era Ricardo Teixeira. 

Videos com e sobre José Maria Marin - Caso José Maria MarinX Romário X Juca Kfouri (conta anonima do Justic Just ) 

Do apagão do futebol ao apagão da política: o Sistema é o mesmo


Acompanhando a CPI do Futebol - Será lúdico... mas espero que seja sério...

Acompanhando a CPI do Futebol II - As investigações anteriores valerão!

Acompanhando a CPI do Futebol III - Está escancarado: É tudo um assunto só!

Acompanhando a CPI do Futebol IV - Proposta do nobre senador: Que tal ficarmos só no futebol e esquecermos esse negócio de lavagem de dinheiro?!

Acompanhando a CPI do Futebol VII - Uma questão de opinião: Ligas ou federações?!

Acompanhando a CPI do Futebol VIII - Eurico Miranda declara: "A modernização e a profissionalização é algo terrível"!

Acompanhando a CPI do Futebol IX - Os presidentes de federações fazem sua defesa em meio ao nascimento da Liga...

Acompanhando a CPI do Futebol X - A primeira Liga começa hoje... um natimorto...

Acompanhando a CPI do Futebol XI - Os Panamá Papers - Os dribles do Romário - CPI II na Câmara. Vai que dá Zebra...

Acompanhando a CPI do Futebol XII - Uma visão liberal sobre a CBF!


Acompanhando o Governo Michel Temer

Acompanhando o Governo Michel Temer I